segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Comi minha irmã! era o que eu queria.



Minha irmã é um tesão! Morena, cabelo liso, bunda grande e seios médios. Chama-se Luciana, tem 28 anos. Ela sempre foi muito reservada, mas eu, desde os meus 11 anos de idade (hoje tenho 25), tenho tesão nela.

Nunca demonstrei, embora ela já me pegara olhando várias vezes. Gostava de olhar suas pernas enquanto ela assistia TV com shortinho. Eu olhava muito ela, tinha muito tesão nisso.

Para aliviar meu tesão, eu fazia coisas de pervertido, como: me masturbar olhando ela dormir (ela dormia sempre de pouca roupa), cheirava as calcinhas usadas dela, gozava em suas roupas, e batia vendo as fotos dela de biquini.

Um dia cheguei em casa e ela estava deitada no sofá vendo tv, estávamos sozinhos em casa, sempre ficávamos sozinhos naquele horário,sentei no outro sofá e fiquei lá assistindo com ela.

Foi numa zapeada de canal que eu fui dar, que eu resolvi colocar no canal pornográfico, só afim de dar uma zoada. Quando coloquei no canal pornô estava passando um filme de uma mulher que tinha as mesmas caracteristicas dela, ela logo disse pra eu mudar de canal mas depois ela pediu pra ver só porque ela nunca tinha visto um filme pornográfico, ou melhor, pelo menos não era prática dela assistir.

Olhando para o filme ela me perguntou se a mulher do filme me excitava - uma mulher do filme tinha as caracteristicas dela, mas não era parecida de rosto. Eu disse que tinha tesão em mulheres com aquelas características. Depois de uns segundinhos de silêncio ela falou: "eu tenho as características dela, você me acha gostosa?"- gelei na hora, mas não podia perder a chance de dar uma indireta, então respondi que sim, disse que sempre achei ela gostosa. E foi aí que ela perguntou: "você já se masturbou pensando em mim?" - ela deve ter ligado uma coisa a outra, do que eu falei e das vezes que ela me viu olhando pra ela, ou de alguma outra evidencia que levava ela a pensar isso. Resolvi dizer que sim, mas disse: "algumas vezes!". A reação dela foi bem positiva, ela riu e perguntou se eu fazia isso mesmo, eu confirmei.

Depois de mais uns segundos de silêncio ela perguntou como eu imaginava ela quando me masturbava. Eu fiquei meio travado de responder, afinal eu era totalmente pervertido e teria vergonha falar tudo, então eu quis amenizar, perguntando: "como assim?". Ela na hora reformulou: "você me imagina pelada, ou envolve sexo?", aí eu descambei, minha adrenalina estava a mil, respondi: " que sim, que envolvia muito sexo!" .Ela de novo riu, daí eu já me encorajei e chutei o balde,pois percebi que ela estava gostando do assunto, contei algumas de minhas perversões em relação a ela. Com cara de espanto, minha irmã falou: "quer dizer que você já se imaginou transando comigo", então eu a corrigi: "transando com você não, já me imaginei FODENDO você, em todas as posições, em todos os buracos e sem camisinha!".

Nessa hora meu pau estava durasso, aproveitei o momento de intimidade e coloquei meu pau pra fora e falei que ia bater uma olhando o filme. Ela ficou quieta, meio sem reação, mas olhava o filme e olhava meu pau. então comecei a bater olhando pra ela. Minha irmã olhava fixamente meu pau sendo punhetado, foi neste momento que eu sugeri que ela pegasse pra sentir o que ela causava em mim, ela pegou. Não só pegou como disse que estava realmente muito duro, logo começo a massagea-lo levemente. Eu expressei minha satisfação com a mão dela, minha irmã ficou com mais tesão e começou a bater uma bem gostosa pra mim.

Meu pau babava muito, escorrendo muito na mão dela, quando percebi isso fiquei ainda mais louco, e percebia que ela já estava envolvida de vez. Então eu inseri: " quer sentir o gosto?". Sem pensar ela caiu de boca, chupava muito, com aquele talento de mulher que gosta de pica, e com uma voracidade de quem estava precisando daquilo. E estranhei um pouco, principalmente pelo fato dela ser gata e poder dar a hora que quiser, mas não aguentei muito tempo anunciei que ia gozar, foi nesse momento que eu mais curti, ela não tirou meu pau da boca, gozei dentro da boca de minha irmã, com ela olhando nos meus olhos. Quando eu terminei de gozar ela tirou a boca e murmurou: "que tesão!". Sem pestanejar eu já peguei ela e coloquei ela deitada no sofá, e tirei o shorts e a calcinha dela, e comecei a chupá-la, chupei muito, ela se contorcia e gemia de tesão. Minha irmã ficou muito molhada com isso, daí já coloquei meu pau dentro dela e comecei a meter firme, ela gemia muito, mas demonstrava que já era fera no assunto e que ia dar trabalho.

Comi muito ela naquela posição (franguinho assado), depois tirei a blusinha dela e chupei suas tetas, pegava nelas com gosto, apertava, beijava. Ela só gemia, pedia mais, apertava minha bunda e me chamava de safado. Virei a minha irmã e comecei a comê-la de quatro, daí ela pirou! Gritava, gemia, suspirava, se contorcia, eu ficava cada vez com mais tesão. Caí de boca de novo na buceta dela, estava muito molhada, chupei muito ela, eu lambia aquele cuzinho rosado e observava ela arrepiar, deitei ela de lado e comecei a esfregar meu pau no cú dela. Ela nada dizia, só gemia. Não pensei duas vezes fui enfiando o pau no cú dela. Já deu pra perceber que ela fazia anal não era daquele dia, foi muito fácil enfiar o pau lá, apesar de apertadinho ela deixava bem relaxado e eu o lubrificava pegando saliva da boca dela mesmo. No momentou enque eu metia nequele rabo como se fosse uma buceta ela gozou.

Foi a melhor gozada que eu vi uma mulher dando, ela gritava com uma voz trêmula, gemeu muito, tremeu e, ao acabar de gozar, disse que eu era um irmão desnaturado, porque fodia o rabo de minha propria irmã. Eu muito excitado ainda, tirei meu pau do cú dela e coloquei na boca dela, pra ela sentir o gosto daquele buraco. Depois mandei devolta na buceta dela, nesse momento dei todo meu gás, metia forte e rapidamente, mantendo o ritmo, chamava ela de gostosa, safada, passava a mão por todo corpo dela, principalmente nas pernas (que são deliciosas). Ela não aguentou muito tempo e gozou de novo, só que desta vez ela gritou: "fode sua irmã, fode!". Foi só escutar isso que eu não aguentei, disse pra ela que ia gozar mais uma vez, daí ela pediu pra que gozasse na cara dela, e foi o que eu fiz, melei a cara dela de porra! O melhor foi que ela adorou levar porra na cara, curtiu cada jato que saiu, com cara de safada.

Foi a melhor trapada da minha vida. Depois que acabou, ela foi ao banheiro tomar banho. Não demorou muito meus pais chegaram, no mesmo horiário de sempre, a situação ficou meio estranha mas não demorou pra eu desencanar, no dia seguinte a comi de novo.

Eu a comi durante um tempo, mas depois fomos trepando cada vez menos e hoje eu acho que eu não interesso mais a ela, Por mim ainda comeria ela. eu nunca vou esquecer das trepadas com ela, minha irmã é meu parâmetro de uma boa trepada. Continuo com tesão nela, pra aliviar voltei fazer coisas de pervertido e foi por isso que publiquei aqui minha história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário ele é muito importante para melhorarmos cada vez mais o Blog.Se o comentario der como não enviado tente novamente é uma falha do blog, na segunda tentativa ele aceita.Obrigado!