sexta-feira, 16 de julho de 2010

Fodendo gostoso com meus irmãos




Olá meu nome é Sophie, sou morena tenho 18 anos, tenho 1,73m, 63kg. Seios grandes, mas não fartos, cabelos longos até a cintura, bumbum grande e arrebitado muito bem salientado em meu corpo violão. Minha xaninha é carnuda e tem poucos pelos.
O fato que vou lhes contar aconteceu-me esse ano mesmo, uns quatro meses após as férias de verão. Nessas mesmas férias eu havia conseguido um namorado na cidade em que meu pai mora, como morávamos em cidades diferentes eu só o via de finais de semana, ou eu ia pra lá quando dava ou ele vinha pra cá, o que era mais constante quando ele não tinha que viajar. Por causa disso eu abria mão de baladas com amigas para poder vê-lo, o que era motivo de chacota entre elas, mas eu não ligava.
Certo final de semana, eu e meu namorado estávamos sozinhos em casa, meu dois irmãos estavam na academia (tenho 2 irmãos gêmeos idênticos, Caio e André, ambos são morenos de olhos verdes acinzentados, altos e com cabelo raspado, pois os dois praticam Jiu-Jitsu e Luta-Livre nas horas vagas da faculdade. Caio e André tinham 20 anos, e faziam muito sucesso entre as mulheres, pelas quais eles usavam e abusavam), minha mãe estava trabalhando e só voltava no outro dia. Como a saudade era muita, acabamos nos levando pela paixão e logo nos vimos transando enlouquecidamente na minha cama.
Eu já havia gozado umas duas vezes no pau de Lucas (meu namorado), e já estava indo para a terceira vez, mas dessa vez em sua boca, gemia e rebolava em sua boca que nem uma cadelinha no cio. Já em transe, gozando, vi uma sombra passar na janela, mas achei apenas que fosse meu cachorro, e continuei, sem ao menos me preocupar, a dar bem gostoso para o meu namorado. Quando terminamos nossa loucura sexual, já era tarde e Lucas tinha que voltar para sua cidade, eu o acompanhei até a porta de casa, me despedi e então entrei.
Estava suada e exausta, queria tomar um banho, já estava na hora de meus irmãos chegarem da academia, então me apressei a ir tomar meu banho, pois nossa casa é grande, mas tem apenas dois banheiros, sendo que o segundo estava em reforma. Quando fui chegando perto do banheiro escutei gemidos, olhei rapidamente no meu relógio ‘17:42, Caio e André ainda não chegaram!’ pensei, abri um pouco a porta para ver quem estava lá dentro e me surpreendi ao ver Caio se masturbando embaixo do chuveiro, mas o que realmente me surpreendeu não foi o ato em si, mas sim seu membro, nunca tinha visto nenhum dos meus irmãos nus com o pinto durão. Seu pau não era tão grande quanto o de Lucas, mas era bem mais grosso. Fiquei hipnotizada, minha mente dizia para eu sair dali, senão Caio iria me ver, mas meu corpo não obedecia.
Ouvindo os gemidos de meu irmão se masturbando, vendo seu pau duro e pulsante, não sei por que me excitaram, nunca tinha imaginado nada entre meus irmãos e eu. Logo comecei a imaginar se o pau de André também seria grosso daquele jeito, me excitava, mas ao mesmo tempo me repreendia, pois sabia que não era certo ficar imaginando os paus dos meus irmãos. Minha xaninha escorria porra do meu namorado, e meus dedinhos entravam e saiam dela no mesmo ritmo que Caio se masturbava no chuveiro, imaginava tudo aquilo dentro de mim. Com uma gemida mais forte e alta, Caio gozou, e logo desligou o chuveiro.
Eu nem havia gozado, mas sai dali antes que ele me visse. Cheguei ao meu quarto e continuei a me masturbar até gozar. E finalmente fui tomar banho.
Ao sair do banho me deparei com André, que sorridente me perguntou se o banheiro já estava livre, eu lhe dei um beijo no rosto cumprimentando-o e disse que sim, indo para o meu quarto.
No dia seguinte, a tarde fui para a faculdade, o transito para variar estava infernal, e no carro veio a imagem de Caio na noite passada no banheiro, tentei inutilmente afastar aquele pensamento da minha mente, mas acabei me excitando novamente. Ao chegar da faculdade a noite, apenas Caio estava em casa, cumprimentei-o tentando não reparar em seu volume na calça , tomei meu banho, vesti uma camiseta velha de André que pra mim parecia um vestido uma calcinha pequena mas confortável e fui para o meu quarto estudar, mas acabei cochilando.
Acordei no meio da noite com Caio dando mordidas no meu bumbum, assustada expulsei-o do meu quarto, mas ele disse: ‘Aquele veado do seu namorado você deixa né? E eu que sou teu irmão e realmente te amo, você não deixa!!’. Eu: ‘Ele não é veado, e é meu namorado você gostando ou não, sai do meu quarto!!’ Caio: ‘Não vou sair daqui até que você deixe eu fazer o que quiser com você!’. Eu : ‘Você está louco? Você é meu irmão, não podemos fazer esse tipo de coisa!’. Caio: ‘Mas não foi isso o que você pensou quando voce me viu masturbando no banheiro, ou você acha que eu não percebi!?’. Eu: ‘Eu não sei do que você esta falando’. Caio: ‘Sabe sim, ou você deixa eu te comer, ou eu conto para a nossa mãe o que você anda fazendo com o seu namoradinho aqui em casa, e muitas vezes na cama dela!!’ Fiquei sem resposta, não sabia o que fazer, para a minha salvação, ao longe escutei o barulho da porta se abrir, e descobri que nossa mãe tinha chegado em casa.
Caio antes de sair do meu quarto disse: ‘Amanhã eu volto, pense bem na conversinha que tivemos’.
Fiquei completamente sem reação, e por conseqüência, mal dormi a noite com medo que ele voltasse fazendo mais alguma chantagem. Na noite seguinte para meu alívio minha mãe não teve que trabalhar, então ficou conosco a noite toda, mas assim que podia Caio passava a mão na minha bunda, xaninha e seios. Com aquela situação acontecendo, eu nem sequer pensava mais no pau de Caio, e naquela noite pude dormir sossegada.
No dia seguinte, não vi Caio pela manhã. Ao voltar da faculdade não havia ninguém em casa, mas depois de algumas horas apenas André chegou em casa, que me cumprimentou e foi para seu quarto, como Caio não voltara da academia com André, então imaginei que ele passaria a noite fora com uma de suas inúmeras mulheres. E fui para o meu quarto de banho tomado, e me deitei tranqüilamente para dormir.
No meio da noite, mais uma vez acordo com Caio dando mordidas no meu bumbum, ao perceber que eu havia acordado, perguntou: ‘Eae maninha gostosa, pensou na nossa conversinha? O que vai ser hem?’. Como eu nada respondia, Caio abaixou minha calcinha e começou a chupar minha xaninha, e eu mesmo achando tudo aquilo errado, comecei a gostar, já me via perdida nas mãos de Caio, não via alternativa. Então como que por encanto, lembrei que André estava em casa, e tinha certeza disso, pois ele ouvia música em seu quarto. Reuni as poucas forças que tinha, sai das mãos de Caio, e apenas com a camiseta velha de meu irmão, que deixava de fora quase toda a minha bundinha, corri para o quarto de André, e com lágrimas nos olhos disse: ‘André me ajuda por favor, o Caio ta doido!’
Os biquinhos dos meus seios marcavam a camiseta, e senti André me comer com os olhos. Caio chegou logo em seguida no quarto de André de calças arreadas. André se levantou da cama e disse para Caio: ‘Porra mano, sempre dividimos tudo, e agora vai querer nossa irmãzinha só pra você!?’ Eu gelei, achei que indo para o quarto de André estaria salva, mas estava acontecendo exatamente o contrário. Caio: ‘Foi mal mano!’, e trancando a porta do quarto Caio terminou de tirar as roupas.
André me jogou na cama e segurando meus braços com uma mão, e tampando minha boca com a outra disse: ‘Fique tranqüila maninha, vamos lhe tratar muito bem, sempre quis te comer e Caio também, só faltava-nos a chance, e aqui está ela e nós não vamos desperdiçá-la’. Caio: ‘Não vamos mesmo!!’ Eu me debatia e chutava, André tampou minha boca com algum pano, tirou minha camiseta e começou a chupar meus seios, enquanto Caio segurava minhas pernas e chupava minha xaninha. Logo eu já não tinha mais forças para me debater, e simplesmente deixava que eles fizessem o que queriam.
Caio percebendo minha desistência em lutar tirou o pano da minha boca, e veio para me dar um beijo que eu instantaneamente recusei, virando o rosto, o que resultou um tapa no meu rosto. Eu vendo que não tinha jeito aceitei o beijo de Caio, era forte e sensual, Caio fazia sua língua brincar com a minha e mordiscava meus lábios chupando-os, aquele beijo me fez delirar. Em seguido o beijo de André, que beijava mais calmamente, chupando minha língua e lábios.
Caio chupava meu seio esquerdo e brincava com minha xaninha enquanto André chupava meu seio direito e brincava com meu cuzinho. Eu estava começando a gostar rebolando nos dedinhos dos meus irmãos. Caio soltou minhas mãos e se ajoelhando em minha frente ordenou que eu o chupasse, me apontando seu mastro extremamente grosso. E enquanto André chupava e lambia minha bucetinha eu mamava bem gostoso no pau de Caio, chupava suas bolas e mordiscava a cabecinha de seu pau. Logo André também quis e tirando seu pau p/ fora da bermuda, que era exatamente igual ao do irmão gêmeo, mandou que eu o chupasse também. Logo eu estava com dois paus na boca, lambendo e punhentando meus dois irmãos. Eu já estava adorando a brincadeira e chupava-os com gosto.
Caio se deitou na cama e mandou que eu sentasse no seu pau, o que eu fiz já sem reclamar nem um pouco, a pica de Caio era grossa e me preenchia toda por dentro, era uma delícia, tanto que eu mal conseguia chupar o pau de André, que logo começou a foder minha boca.
André já não agüentando mais, deitou-se sobre mim forçando seu pau no meu cuzinho, e sem dó nenhuma enfiou-o todo dentro de mim, eu gritei de dor, pois havia perdido a virgindade no cuzinho com o meu namorado, que tinha o pau mais fino.
Acabei me acostumando com a rola grossa de André no meu cuzinho, os dois faziam movimentos alternados, enquanto Caio enfiava na minha xaninha, André tirava no meu cuzinho, e vice e versa. Eu nunca tinha feito dupla penetração, e estava adorando, rebolava e pedia mais, gemia, estava alucinada, senti meu corpo todo tremer, e com um grito anunciei: ‘aAaahh eu voou goozaaar...’. Nenhum dos dois havia gozado ainda, então resolveram trocar de lugar, André me pegou no colo enfiando na minha xaninha, enquanto Caio vinha por trás fodendo meu cuzinho. Era demais a sensação de ter dois paus dentro de mim, logo eu estava excitada novamente, rebolava e pulava no colo de André, enquanto Caio bombava forte no meu cuzinho. Não demorou muito para que os dois me enchessem de porra e eu gozando junto com eles.
Caímos exaustos os três na cama, passados alguns minutos de risos, eu já estava querendo mais, me ajoelhei na cama, punhetando os dois, chupava um, lambia outro, e assim foi até os dois estarem em ponto de bala novamente, e então eu pedi: ‘Eu quero sentir os dois de novo dentro de mim!’ Sentei com o cuzinho no pau de Caio, abri bem minhas pernas, com as duas mãos abri minha xaninha olhei pra André e disse: ‘Vem cá foder sua maninha vem’, parece que aquelas palavras o deixou louco, pois ele veio que nem um animal pra cima de mim, socando forte na minha xaninha.
Transamos muito a noite toda, sempre fazendo DP. No final da noite após Caio cair no sono, dei mais uma vez o rabinho para o André, que depois de gozar dormiu com o pau dentro do meu cuzinho.
Depois dessa noite sempre transo com Caio e André juntos, ou com um de cada vez de 2ª a 6ª, e de final de semana com meu namorado.

Um comentário:

  1. Vadiazinha gostosa, me escreve casado18cm@hotmail.com

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário ele é muito importante para melhorarmos cada vez mais o Blog.Se o comentario der como não enviado tente novamente é uma falha do blog, na segunda tentativa ele aceita.Obrigado!