sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Meu irmão gostoso me comeu em seu quarto.



Sempre achei o meu irmão bonito. Quando eu tinha dezesseis anos ele voltou da Itália onde estava morando a quatro anos com nossos avós. Porém, achou que fosse melhor voltar para sua terra natal. Chegando aqui, quatro anos depois ele estava bem mais bonito. Era quase dois anos mais velho que eu e agora cultivava o corpo de um deus. Duvidei que fosse ele mesmo, mas quando vi os seus olhos azuis, que era a marca registrada da nossa familia (mamãe e papai tinham o mesmo tom de azul pelo fato de serem primos), tive certeza de que era ele. Eu corri para abraçá-lo e ele me ergueu no ar me dando um beijo no rosto, dizendo:
- Pirralha! Você cresceu hein! Nem parece mais aquela pentelha que me enchia o saco o dia todo!
- Algumas pessoas mudam, sabia!
Depois de todos os abrços de família fomos para casa. No período da noite eu vi o um irmão sair do banheiro só de toalha. E eu parei ele entrou no seu quarto e nem desconfiou de que eu o olhava. Ele estava um deus como eu tinha pensado assim que o vi no aeroporto. Ele sempre fora forte, mas agora, estava bem mais forte e tinha criado um tanquinho perfeito. Assim que percebi o que estava pensando tentei afastar esses pensametos da minha cabeça, afinal ele era o meu irmão! Não devia estar pensando essas coisas. Mas assim que entrei no meu quarto tranquei a porta e me masturbei pesando nele.
No dia seguinte assim que acordei e desci as escadas eu o vi sem camisa conversando com nossa mãe. Estavam botando o papo em dia e assim que ele me viu veio em minha doreção me abraçar com um sorriso no rosto. Isso era maldade! Conversamos durante um bom tempo enquanto eu tomava o meu café. Subi para tomar o meu banho e quando saí quase deixei a toalha cair por ter esbarrado nele, que me olhou com um olar que eu podia jurar que era desejo. Segui para o meu quarto me desculpando com ele pelo esbarrão e ele colocando a culpa nele mesmo se desculpava tambem.
Ele era o meu irmão, mas eu parei de me importar com essa parte. Quando chegou a hora de ir dormir eu vesti um baby doll bem sexy e uma calciha fio-dental. Fui ao quarto de meus pais e deu boa noite para eles. Me direcionei rapidamente para o meu e me olhei uma ultima vez. Modestamente sempre fui considerada uma garota bonita, cabelos negros meio ondulados, olhos azuis e pele branca um pouco corada. Tinha (e ainda tenho) seios um pouco mais que médios, mas não cegam a ser grandes, são do tamanho certo. Mas o que todos os homens dizem chamar mais atenção é a minha bunda, que mesmo aquela época era empinada e do tamanho que deixa qualquer homem louco.
Então me direcionei para o quarto de meu irmão. Bati na porta e ele disse para entrar, o que eu fiz sem êxito algum. Ele estava deitado na cama vendo televisão e assim que ele me viu abriu um sorriso e vi o seu olhar se direcionar para os meus seios demostrando um pouco de surpresa.
- Só vim desejar boa noite para o meu maninho! – Disse indo ao seu encontro e ele se sentou na cama e eu me abaixei para abraçá-lo.
- É tão bom estar em casa de novo.
Aproveitei que ele estava puxando assunto e me sentei em seu colo como quem não quer nada, mas assim que cruzei as pernas e passei o meu braço em volta de seu pescoço creio que ele percebeu minhas intenções.
- Como é lá na Itália?
- É um lugar lindo, queria que vocês tivessem ido lá.
- E as mulheres de lá como são?
- Não são tão bonitas quanto as daqui, com certeza. – Então olhou rapidamente para os meus seios, voltando o seu olhar para o meu e sorrindo fraco.
- Você teve alguma namorada por lá?
- Só uma. A Luciana. Namoramos por apenas dois anos e não deu mais certo.
- E você sentiu muita falta de nós aqui? – Eu disse me empinando um pouco mais e dimiuindo aos poucos a distância entre nós.
- Muita. E só agora eu vejo o tempo que eu fiquei fora. Você cresceu bastante, está bonita... parece uma mulher.
- Eu sou uma mulher.
- Prova.
Aquela foi a minha deixa. O beijei e ele não relutou. Nossas língua lutavam dentro de nossas bocas. Ele segurou em meus seios e eu me sentei em seu colo de frente para ele. Ele tirou a minha camisa e começou a lamber os meus seios que já estavam durinhos de tesão, assim como o seu pau que eu podia sentir roçando em minha bucetinha por causa da nossa posição. Eu já estava á beira da loucura. Eu o emurrei na cama, o fazendo deitar e deitei por cima dele, então eu fui descendo por todo o seu corpo. Chegando até o seu calção onde pude ver o volume que lá havia se formado. O tirei e seu pau praticamente pulou para fora. Estava duro de tanto tesão.
- Vou te fazer um carinho agora meu irmãozinho. Veja como a sua irmãzinha virou um puta!
O coloquei na boca. Fiz um boquete delicioso nele e ele puxava os meus cabelos e gemia.
- Ahhhhh! Isso, vai minha irmãzinha, chupa o meu pau chupa! Ahh! Assim! Como você faz isso bem hein! Você é uma putinha, uma vadiazinha experiente - e dava tapas e apertos em minha bunda.
Eu chupava o seu pau e o lambia. Chupava as suas bolas e as lambia e seguia lambendo até chegar á cabeça de seu pau e engoli-lo novamente. Eu cuspia nele, batia uma punheta Até que ele gozou. Eu engoli toda a sua gozada e o beijei, fazendo ele senti o seu próprio gosto. Me levantei e tirei o sorts do baby doll e ele tirou a minha calcinha. Me virei de costas para ele e o provoquei um pouco fazendo alguns movimentos e empinando bem a minha bunda para ele. Ele a segurou e a apertou me puxando para a cama de volta me beijando, então passou a mão pela minha bucetinha, brincando com o meu grelo eu que já estava molhada de tesão, agora estava mais molhada ainda. Foi quando ele me olhou com cara de safado e desceu até minha xoxota. Ele lambia todas as áreas e quando eu já estava quase explodindo de vontade de que ele lembesse o meu grelo, foi o que ele fez, o safado o havia deixado por último, pois sabia que assim seria mais gostoso. Ele chupava, lambia e cuspia em minha buceta e eu gemia agarrando os lençois e puxando algumas mechas de seus cabelos.
- Ahhh! Isso! Vai, vai seu puto! Lambe a bucetinha da sua irmãzinha, lambe! Me faz gozar! Me faz gozar!
Ele introduziu um dedo em minha vagina sem parar de lamber e chupar o meu grelo. Eu gemi mais ainda e então ele introduziu dois dedos em mim.
- Ahhhhhhh! Isso! Aí! Mais rápido, mais rápido!
Eu tinha espamos leves e então, tive um orgasmo.
- Enfia esse teu pau na bucetinha da tua irmã enfia!
Eu disse sem sair da posição somente dando leves palmadas em minha xaninha. Ele se colocou sobre mim e penetrou seu pau sobre mim. Eu gemia e apertava a sua bunda forçando cada vez mais para dentro de mim. Minhas unhas viraram garras nas suas costas e eu o arranhava sem parar. Até que eu tive um orgasmo e ele gozou dentro de mim. Pude sentir toda a sua gozada me invadindo e todo aquele líquido escorrendo para fora de minha vagina.
- Eu ainda quero te chupar mais meu irmãozinho. Deita aqui deita.
Ele se deitou e eu coloquei minha bucetinha em sua cara.
- Enquanto eu te chupo, vai lambendo o seu gozo vai, me deixa limpinha!
E engoli mais uma vez o seu pau, que já estava duro de novo depois de uma rápida punheta. Ele acertou o lugar novamente e eu mais uma vez gemia e por um momento quase me esqueci do seu pau na minha frente e só fazia uma punheta dele bem devagar, mas que ia bem fundo e voltava. Eu tive um orgasmo e coloquei seu pau na minha boca novamente senti o seu líquido em meu céu-da-boca.
Penetrei o seu penis em minha vagina e me empinei bem para ele e comecei a ir para frente e para trás e logo a pular em cima de seu pau. Eu cavalgava em cima dele e bem empinada dizia:
- Olha só, você gosta do meu cuzinho? Hein? Você quer comê-lo?
O que provcou uma reação nele. Ele me segurou e nos virou ne cama sem interromper a penetração, ele fez eu ficar de quatro e quando estávamos nessa posição ele socava com mais força o seu pau dentro da minha vagina e eu gemia. Então ele tirou o pau de minha vagina e lambeu o meu cuzinho.
- Eu sabia que você esava louco pelo meu cuzinho. Vai enfia esse cacetão em mim! Enfia ele no meu cuzinho.
- Você acha que aguenta?
- Você pode se supreender maninho!
Depois de lubrificar bem o meu cuzinho ele enfiou a cabeça do seu pau e a retirou assim fazendo até que enfiou o seu pênis todo no meu cuzinho. Eu gemia e mexia no meu grelo que estava latejando de tesão. Ele enfiava o pau dele cada vez mais forte. E com dois minutos nessa posição, eu tive um orgasmo e senti o gozo dele mais uma vez penetrando em mim. Foi quando eu me estirei na cama e disse para ele me limpar, afinal eu era a mais nova. Ele lambeu o meu cuzinho mais uma vez e ainda aproveitou para lamber a minha bucetinha. Quando ele acabou e me beijou mais uma vez eu disse:
- Viu como sua irmãzinha já é uma mulher?
- Sabe... ainda não deu pra saber se você é uma mulher mesmo.
- Então se prepare maninho, pois a noite vai ser longa! – Disse me jogando por cima dele novamente.
Os dias seguintes se passaram com uma rotina meio diferente. Ele me comia de manhã. Depois á tarde e toda noite antes de dormir. E até mesmo hoje ele ainda me come, porém, não com tanta frequencia. Afinal moramos cada um em seu apartamento e respeitamos quando o outro está em um relacionamento e não cometemos essa maluquice deliciosa que é comer o seu(a) irmão(a).




2 comentários:

  1. que merda é essa, posta video nessa merda de blog...

    ResponderExcluir
  2. ai Q delicia aaaaaaah vai vai

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário ele é muito importante para melhorarmos cada vez mais o Blog.Se o comentario der como não enviado tente novamente é uma falha do blog, na segunda tentativa ele aceita.Obrigado!