sábado, 26 de fevereiro de 2011

Transei com meu irmão‏ - relato real, escrito por Lúcia




Sempre quis contar meu relacionamento com meu irmão mas nunca tive pra quem nem como. Pesquisei na net e encontrei o site adorei a ideia. Sou casada, 47 anos, dois filhos. Uma baixinha muito tesuda, bunda gande seios fartos e duros, muito duros até hoje...Quando tinha 18 anos comecei o namoro com meu marido tendo namorado até os 25 quando casamos. Um homem lindo trabalhador educado inteligente diria que o homem perfeito. Um único problema um pinto pequeno( 11cm) mas ainda bem que sempre duro dia e noite, um tarado, talvez para compensar o tamanho. Qdo nos casamos trabalhava numa loja de confecções e ele tinha uma pequena empresa. Viajava muito e ficava até 7 dias fora vendendo e entregando calçados.Como morava num bairro distante e tinha muito medo, sempre pedia a meu irmão que fosse dormir comigo me fazendo companhia. Estava com 28 anos, três de casada, sem filhos trabalhando muito( já era gerente da loja) e meu marido também na mesma rotina de viagens.Er a dezembro, verão, calor e horário de verão. Meu irmão, com 22 anos como sempre companheiro e amigo, muitíssimo tímido mas excelente pessoa vinha religiosamente me fazer companhia. Naquele dia, cheguei em casa e fui lavar umas roupas para aproveitar a trade de verão quente e sol do horario de verão. Vesti um camiseta branca bem curta e um short muito apertado. Sem calcinha e sem sutiã. Já estava terminando de lavar as tais roupas quando a a campainha toco. Muito a contra gosto fui abrir. Era meu irmão. Veio para a área de serviço sentou-se e começou a conversar enquqnato eu lavava as últimas roupas.Ao terminar percebi que ele me olhava muito e percebi que o bico de meus peitos estavam à mostra na camiseta molhada.Deu pra ver o tesão que ele estva. Até então nunca havia percebido nada de tesão por parte dele e nem minha. Quando entramos em casa, fui para o banheiro e ao tirar a camiseta, o meu cabelo se enroscou no brincoe além da dor intensa eu n ão conseguia voltar o bração nem acabar de tirar a blusa. Gritei por ajuda e ele veio em meu socorro. Demorou a entender a confusão e a tirar o brinco mas nessas alturas eu já estva sem blusa e ele com um imenso pau duro.Entrei no banho e lá comecei a pensar no tamanho daquele pinto que vi pela calça.A curiosidade foi alta demis e abri a porta do banheiro para ver o que estava acontecendo quando vi meu irmão se masturbando no sofá. Um pinto enorme... Fui nas nuvens e voltei. Estava há mais de cinco dias sem transar e aquela coisa enorme me deixou louca. Chamei-o e ele levou um grande susto. Pedi que me trouxesse um rodo que estava na cozinha. Quando ele chegou na porta, fingi estar com sabão nos olhos e escancarei a porta para que ele me visse peladinha.Demori alguns minutos para abrir os olhos e quando abri, fingi levar um susto mas agi naturalmente e continuei a puxara a água com a porta aberta pela metade. Percebi o quanto ele estava com tesão e virei nat uralemtne e perguntei-lhe porque não vinha me ajudar a "lavara" o banheiro. Ele deu um sorriso tímido e foi tirando a roupa e entrando. Foi um momento estranho nós dois, irmãos nus no banheiro. Tanta amizade, tanto zelo e carinho um com o outro aqueles anos todos estávamos ali sem saber o que fazer.Puxei-o para debaixo da água quente e comecei a ensaboá-lo, pelas costas, bunda e finalmente cheguei aquele pinto enorme, grossocom aquela cabeça muito grande que latejava feito uma bomba dàgua, não pude me conter e acariciei, toquei, lavei, massageei e chupei, como chupei aquela coisa enorme grossa e linda.Tomamos um super banho e convidei-o para a cama. Minha vagina dilatava e contraia como se mordesse, estava muitíssimo molhada e sentia uma sensação nunca experimentada antes, quando senti que ele me tocava na vagina, fiquei tão louca para ser penetrada que forcei a entrada mas era gande e grosso demais para minha pequena vagina( aliás até hoje ainda é mui to pequena e apertada depois de fazer cirurgia. Foi muito difícil a penetração mas foi a coisa mais sensacional que já experimentei na minha vida, um dorzinha muito especial, e por incrível que pareça poucas enfiadas depois eu já estava gozando feito louca e era a primeira vez na vida que gozava sem massagem no grelo foi só com a penetração. Acho que a espessura, os movimentos a latência da vulva e do pinto me levaram à loucura. Ela "mordia" aquele pau enorme e não demorou ele também gozou e como gozou.Naquela noite dormimos juntinhos, trepamos a noite toda e a cada metida mais e mais gozo interminável.Nos quatro anos seguintes foi essa maravilha, eu tinha dois homens, perfeitos lindos. Arrumei uma maiga para namorar meu irmão e os dois se casaram algum tempo depois. Sempre que podíamos, dávamos uma trepada daquelas deliciosas. Seis anos mais tarde meu irmão faleceu vítima de um acidente. Eu nunca mais quis transar com mais ninguém e espero ser a m ulher de somente esses dosi homens maravilhosos. Durante alguns anos mantivemos um relacionamento a três com minha cunhada que se casou novamente. Muito raramente praticamos a troca de casais entre nós já que moramos em cidades diferentes e temos filhos o que dificulta um pouco. Nunca me arrempenderei de ter dado para meu irmão, era simplesmente uma maravilha. Lúcia

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

ENGRAVIDEI MINHA IRMÃ



Olá me nome é Cadu tenho 19 e minha irmã Priscilla tem 17. Tudo começou na metade de 1999 quando eu comecei a transar com a minha irmã, faziamos todo santo dia enquanto nossa mãe ia trabalhar(nao temos pai) e ficavamos sozinhos, era ouvir o portão fechar pra agente ir pro quarto e trepar nessa época eu tinha 17 e ela 15 fui o primeiro dela tirei seu cabacinho ficamos nisso até no final do ano, até o fato descrito ocorrer.
Acho que era mais ou menos na segunda semana de janeiro eu tinha ficado fora uns 4 dias e voltei pra casa louco pra fuder afinal estava nesses dias todos sem dar uma, cheguei em casa jah atras dela. Quando a vi fiquei louco ela estava nua jah me esperando tirei a roupa e fui pra cima dela , mas faltava algo a "camisinha", não tinha em casa fiquei desesperado ai tive a estupida idéia de transarmos sem soh dessa vez , ela aceitou e transamos esse dia sem camisinha gozei dentro varias vezes sem pensar. Só que foi tao bom sem camisinha que apartir desse dia agente parou de usa-lá afinal "nunca" dava nada , foi janeiro todo assim.
Até que a minha mãe começou a desconfiar que algo estava diferente na minha irmã , os peitos estavam crescendo fora a barriga que jah dava uma saliência , enquanto isso eu e a minha irmã nada , continuavamos a trepar todo dia e sem camisinha , ate um dia eu lembro direitinho , eu e a minha irmã estavamos no meu quarto ela de 4 e eu fudendo sua bucetinha quando minha mae entra no quarto , ela tinha voltado mais cedo e pensou em nos levar pra jantar fora.Eu fiquei estatico nao consegui nem tirar o pau pra fora da minha irmã minha mãe olhava com raiva para nós , puxou minha irmã pelo braço e me chamou pra ir na sala descemos , ela acabou comigo e com a minha irma nos xingou de tudo que vc possa imaginar ,depois de umas 3 horas ela ja estava mais calma falou que aquilo nao podia se repetir , ai aceitamos oque ela disse meio que falando que não até ela perguntar se pelo menos estávamos usando camisinha. Quando falamos que não ela voltoua ficar séria e disse para mim "olha seu estupido , olha a sua irmã não vê que ela tá grávida" fiquei sem palavras , afinal eu acabará de engravidar a minha irmã.
Passou-se alguns meses e a barriga dela continuava a crescer jah não tinha mais dúvida ela estava grávida, minha mãe mau olhava na nossa cara apenas perguntava se tava tudo bem e pronto mas por outro lado jah acceitava que eu e a Pri transassemos , até nos pegou outro dia e disse que era melhor fazer isso anoite.
Mas o tempo foi passando e o bebe tambem jah estava vindo e jah nao tinha como disfarça dos outros.E minha mãe disse "nao podemos mais ficar aqui temos que ir pra outro lugar" e nos mudamos pra outra cidade lah mudei meu nome e se me casei com a Pri.
Hoje somos marido e mulher e o nosso filho jah nasceu e o povo aqui apenas estranha o fato dela ser muito jovem. Minha mãe até montou um quarto soh pra nos na casa , estamos felizes com isso e não trocaria minha irmã por nenhuma outra mulher.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Meu mano gozou dentro de mim!!!


Este é meu primeiro conto, então espero que gostem. Meu nome é Natalia mas todos me chamam de nati. Moro com meu pai, minha madrasta e meu irmão Gustavo que é dois anos mais velho que eu. Eu estava começando a ficar gostosinha e meu irmão percebeu isso. Desde então ele começou a me olhar diferente, com certo desejo por mim e eu notei isso e comecei abusar de shorts curtinhos e decotes bem ousados. Às vezes ele também tentava me seduzir usando uma calça que já era apertada para ele, eu adorava aquela calça, pois sempre que ele usava dava pra ver aquele volumão no meio das pernas. Eu nunca tinha visto um pau mas tinha certeza que aquele era muito grande. Eu olhava para aquilo e ficava doidinha para ver ele e pegar na mão, não conseguia tirar meus olhos dele.

Certa vez Gustavo ficou um dia inteiro na frente do PC, e eu que sou muito curiosa dava uma espiadinha de vez em quando pra ver o que ele estava fazendo e numa dessas peguei ele no flagra!!! Ele estava assistindo um vídeo pornô e eu fiquei espantada e pedi o que era aquilo. Ele as assustou, mas respondeu que era um vídeo de sexo e pediu se eu queria ver também. Eu sem questionar respondi que sim pois aquilo era novidade para mim. Quando vi aquele pau entrando na buceta da mulher comecei a tremer, uma sensação estranha tomou conta do meu corpo e minha buceta ficou molhadinha. Enquanto o vídeo rodava ele passava a mao em minha bunda, foi descendo pelas coxas e voltou na minha xaninha. Eu deixei e fui gostando e quando percebi já estava gemendo de prazer. Ele disse pra eu gemer mais baixo, pois nossa madrasta estava dormindo no andar de cima. Nisso eu olhei para sua calça e vi aquele pauzão quase saindo pra fora de tão duro. Fiquei loca pra pegar na mão e ele pediu: ?Quer ver meu pau? Eu abri um sorriso e afirmei com a cabeça, ele logo foi tirando pra fora. Quando vi aquele cacete agarrei sem pensar duas vezes. Era muito grande o grosso e estava queimando. Ele pediu se eu tinha gostado de seu pau. ?Amei? respondi o apalpando loucamente. Daí que me dei conta do que estava fazendo e sai correndo para meu quarto.

Fiquei com a imagem do pau do meu irmão na cabeça. Era de noitezinha e tinha que tomar banho ainda. Depois de refletir bastante sobre o acontecido coloquei uma calcinha bem pequeninha e uma camiseta, fiquei sem sutien e fui para a sala onde Gustavo estava. Quando me viu ele perguntou por que eu sai correndo daquele jeito. Fiquei sem resposta. Ele me olhou de cima a baixo e disse: ?Nossa maninha como você esta gostosinha.....ta me deixando excitado?. Eu dei uma risadinha sínica e fui tomar banho. Deixei a porta encostada e tirei a pouca roupa que tinha e entrei no chuveiro. Não demorou muito e eu o chamei para pegar meu xampu que ?esqueci? no meu quarto. Quando ele chegou abri a porta do boxe e fiquei nuazinha em sua frente, ele ficou estático, mas eu fingi que nada estava acontecendo e comecei me ensaboar. Ele saiu do banheiro mas voltou um minuto depois. Sem eu perceber ele entrou no boxe e de repente senti seu cacete duro roçando na minha bundinha e continuou assim durante um tempo. Eu estava adorando, chegava a gemer:?ai que cacete delicioso.....hummm...mete tudo por favor maninho...mete vai....eu quero tudinho na minha buceta...Foi ai que ele parou e disse que era muito perigoso pois nossa madrasta estava no quarto e se ela nos visse daquele jeito nós estávamos ferrados e além do mais eu era virgem e iria sair muito sangue e podia até engravidar. Eu não queria nem saber de nada disso e me ajoelhei na sua frente pra chupar gostoso aquele caralho maravilhoso. Eu não era experiente, na verdade era minha primeira vez então lembrei daquele vídeo que nos assistimos e pensei em fazer igual. Comecei chupar incessantemente, lambia a cabeça e as bolas e pedia porra na boca, foi quando ele começou a tremer e segurou minha cabeça: ?Aahhhh.......Engole tudo maninha gostosa..........Engole....aaahhhhh!!!!?.

Depois ele me levantou o nos beijamos gostoso, uns 5 minutos +/-. Ele pediu se eu tinha gostado e eu afirmei que sim mas disse que queria mais. Ele disse que já tínhamos ido muito longe e também que era perigoso, mas eu insisti:? Por favor maninho!? Eu quero esse cacete dentro de mim, gozando na minha bucetinha...Por favor!?? Ele não resistiu e me virou de costas. Começou pincelar minha xoxota, e quando aquilo penetrou em mim soltei um gemido alto, ele colocou a Mao em minha boca e disse pra se acalmar que a madrasta poderia ouvir. Mas eu não estava nem ai se ela ia ouvir ou não e continuei gemendo, dessa vez mais calmamente, era mais um choro carente. Então ele começou ir e vir deliciosamente, era a melhor sensação da minha vida!!! De repente senti algo diferente, era muito bom, eu explodi no gozo, sem saber o que estava acontecendo, mas sei que era maravilhoso.

Daí ele me virou de frente começou de novo pra frente e pra trás, e ao mesmo tempo beijava a minha boca tempando meus gemidos que aumentavam proporcionalmente com a velocidade. Ele parou e perguntou:?Entao você quer porra dentro da xoxotinha??Não tem medo de engravidar?? Eu afirmei:?Sim quero, mas tem que ser bastante e bem lá no fundo ok? Ele nem respondeu e começou a dar umas estacadas bem fundas e fortes. Eu comecei sussurrar no seu ouvido:? Goza maninho!!!Goza dentro de mim vai....goza tudo... De repente ele avisou:"Lá vem...vou gozar....aahhhhhh!!!!!!!!!" Nós fomos ao delírio!!!Foi maravilhoso sentir aquela porra quentinha me invadindo e Gustavo me pressionando contra a parede. De repente nossa madrasta bateu na porta:"Quem está nu chuveiro?" "Sou eu" respondi. Ela disse:"ja faz uma hora que vc está ai!! anda logo!!" Eu e gustavo ficamos se olhando apavorados. Nos beijamos e ele saiu de fininho mas eu o puxei dizendo:"deixa eu me despedir dele tambem" Dei um beijinho naquele cacete que ja estava mole mas depois do beijo ficou duro de novo. Ele foi pro quarto. Depois desse acontecimento nossa relação nunca mais foi a mesma.

Espero que tenham gostado!!!

Mais um video do Youtube..precisa falar algo?

Pessoal posta estes videos no youtube completamente sem noção, a irmã deitada de bruço fingindo dormir, o irmão tarado sobe sobre ela com o pretesto de "judiar" da irmã...esse é um dos principais pretestos de irmãos incestuosos, usar esse tipo de brincadeira para ter motivos para o contato fisico se filmando para por no youtube rolou isso, imaginem sem a camara...

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O gatinho da Irmã (HQ)


Link completo: http://www.hqsbrasil.xpg.com.br/hqs/2011/o_gatinho_da_irma/

MINHA IRMÃ GOSTOSA E SACANA




Tudo começou quando por dificuldades financeiras, mudamos para uma casa de um dormitório num bairro afastado de São Paulo. Como só tinha um dormitório, minha mãe comprou uma sala de visita com um sofá cama de casal e eu e minha irmã tivemos que dormir na mesma cama. Eu sempre achei minha irmã uma delícia ela é 2 anos mais nova do que eu e nessa época eu estava com dezessete anos e ela com quinze. Apesar da pouca idade, ela sempre foi ?safadinha? e gostava de ficar só de calçinha ou quando estávamos só em casa ela sempre arrumava um jeitinho de ficar peladinha na minha frente, só para me provocar. Quantas vezes que em bailes que íamos, dançávamos juntos ela propositalmente se esfregava em mim até sentir meu pau ficar duro, mas eu sempre mantive o respeito, apesar da tesão que sentia. Certa noite fomos dormir e minha irmã foi deitar com uma camiseta e só de calcinha, nós dormíamos um nos pés e outro na cabeceira do sofá cama, com as luzes apagadas e somente com a claridade que vinha da janela da sala, eu tinha uma visão maravilhosa da bundinha de minha irmã com aquela calcinha de algodão enfiada no seu reguinho, eu não conseguia dormir e estava morrendo de tesão e doidinho para bater uma punheta, nisso minha irmã entrelaçou as pernas e começou a se contorcer comprimindo com coxas sua bucetinha e ficou claro para mim que estava batendo uma siririca. Fiquei alguns minutos olhando ela se contorcer e morrendo de tesão, com meu pau duro como uma pedra não agüentei, me deitei ao seu lado e perdendo todo o medo de qualquer reação dela,tirei meu pau para fora da cueca e coloquei no meio de suas pernas por cima de sua calcinha, bem em cima do seu grelinho, ela continuou a apertar sua coxas, mas desta vez com meu pau no meio delas, eu não me movia, ela com o rosto enfiado no travesseiro fazendo movimentos com os quadris cada vez mais rápido, até que gozou e pediu sem olhar para mim que eu tirasse o pau da suas coxas, sua calcinha estava encharcada. Voltei para os pés do sofá cama com o meu pau duro e sem gozar. Começamos a conversar baixinho para não acordar nossos pais e perguntei o que ela tinha sentido,ela me falou que nunca tinha sentido sensação tão gostosa na vida dela e eu disse que ela tinha gozado pela primeira vez. Eu continuava com muita tesão e ela me perguntou se eu já tinha gozado eu disse que sim, batendo punheta, mais ou menos como ela tinha acabado de gozar.Perguntei se ela queria me ver gozar,ela curiosa disse quem sim. Tirei o pau para fora pedi para ela baixar um pouco sua calcinha e vendo aquela bucetinha com poucos cabelinhos e ainda encharcada bati uma punheta e gozei com ela olhando sem tirar os olhos do meu cacete. Batemos mais um papinho enquanto me limpava e depois dormimos.

Depois disso sempre que tínhamos oportunidade, aproveitávamos para um sarrinho. Pouco tempo depois já estávamos brincando sem cuecas e sem calcinha e eu gozava em cima do seu grelinho e muitas vezes ela gozava comigo. Mudamos para o interior lá no Vale do Paraíba, a situação de meu pai já tinha melhorado e a casa era muito grande e cada um tinha seu quarto. Já tinha passado um bom tempo que não ?brincávamos? afinal dormíamos em quartos separados e eu estava namorando, minha irmã sempre safada, fazia de tudo para me provocar, até que um sábado a tarde, meus pais tinham saído e eu estava sozinho em casa com minha irmã e a empregada, quando a empregada foi embora, minha irmã entrou no meu quarto com algumas flâmulas na mão pedindo para que eu a ajudasse a separar as mais bonitas. Ela iria enfeitar seu quarto com algumas, ela sentou na cama do meu lado e jogou várias bandeirinhas em cima de mim e com a desculpa de pega-las roçava a mão no meu pau. Como eu estava de bermuda, não deu para disfarçar que estava com ele duro, ela estava fazendo de propósito, peguei sua mão e apertei contra meu cacete, ela começou a alisar meu cacete por cima da bermuda. Tirei o pau para fora e pedi para ela me bater uma punhetinha, ao invés disso ela levantou o vestido, tirou a calcinha de deitou do meu lado, segurando meu pau ela me pediu para fazer ela gozar. Comecei a passar a mão na suas pernas, fui subindo até sua bucetinha que já estava meladinha, comecei a brincar com seu grelinho e ela me batendo uma punheta. Mortos de tesão estávamos já para gozar quando resolvi ser mais ousado, sai do seu lado, fiquei de joelhos no meio de suas pernas, pedi para ela afastar suas coxas e comecei a beijar seu grelinho, ela se contorcia de tanta tesão. Fiquei de pé ao lado da cama, coloquei meu cacete bem próximo ao seu rosto e pedi para ela me chupar, ela me olhou e muito timidamente colocou a boca na cabeça do meu pau e começou a chupar, com muita paciência e tesão fui ensinando a ela como se deve chupar um cacete, e ela como boa aluna aprendeu rapidamente me fazendo quase gozar de tanta tesão. Voltei novamente para cima ela e comecei a roçar meu cacete no seu grelo até ela gozar e gozei em cima daquela bucetinha deliciosa.

Nessa época eu estava com dezoito anos e ela com dezeseis. Fui estudar em colégio militar e meus pais retornaram para São Paulo e eu só vinha para casa a cada trinta dias e quando dava sempre tirávamos um sarro. Minha irmã começou a namorar sério e eu já estava formado e noivo prestes a casar quando fui passar um final de semana na casa de meus pais ( eu estava servindo no interior de SP) no sábado o namorado de minha irmã veio jantar conosco pois queria me conhecer, depois do jantar lá pelas tantas, ele se despediu para ir embora e minha irmã perguntou se eu não poderia dar uma carona pra ele, eu concordei e fomos os três até a casa dele.Na volta eu e minha irmã começamos a conversar e o papo levou para as recordações das nossas sacanagens. Um clima de tesão ficou no ar dentro do meu carro e ela me disse que ainda era virgem mas já tinha brincado com seu namorado bem na ?portinha? e estava louquinha para dar.Estavamos na marginal passando próximo a um motel, não tive dúvidas, parei na porta do motel e perguntei se ela topava entrar para ?brincarmos? um pouquinho. Ela topou, desde que não fizéssemos nenhuma besteira. Entramos, ela tomou um banho e saiu do banheiro peladinha, estava simplesmente deliciosa, sou louro e puxei o lado de minha mãe que é loura, já minha irmã é morena de cabelos negros e pele branca, ela puxou o lado do meu pai, ainda de pé comecei a chupar ela todinha, ela se ajoelhou e me fez uma chupeta maravilhosa ( como ela progrediu nesse ?quesito?) . Caímos na cama, cai de boca na sua buceta até ela gozar, daí ela fez uma chupeta até eu gozar e engoliu toda minha porra, sem deixar cair uma gotinha. Ficamos deitados um ao lado do outro sem nada dizer, até que ela começou a me beijar e chupar o meu pau, que não demorou para ficar duro novamente. Comecei a brincar novamente na portinha da sua buceta e ela pediu para não enfiar pois queria casa virgem e virou de bruços. Entendi o ?recado? enfiei a língua no seu cu rosadinho,ela delirava de tesão, coloquei a cabeça do meu pau na portinha daquele cuzinho apertadinho e fui enfiando bem devagar, ela não reclamava de nada e fui enfiando até o saco e com movimentos de vai-vem cada vez mais acelerados gozei dentro do seu cú ao mesmo tempo em que ela gozava. Já era tarde tomamos banho e fomos para casa.

Eu já estava casado quando minha irmã se casou ( com o mesmo namorado) quando fui fazer um serviço em SP e fiquei alguns dias na casa de meus pais.Minha irmã foi passar o dia com minha mãe e quando cheguei do trabalho ela estava me esperando pois fazia algum tempo que não nos víamos. Batemos um longo ?papo? rimos muito eu ela e minha mãe e mamãe pediu que eu levasse minha irmã para casa, porque ela teria que sair com meu pai para um compromisso que não dava para desmarcar. Papai chegou e falou que já estava atrasado e era pra minha mãe se apressar. Minha irmã falou que eles poderiam ir que ela ainda queria tomar um banho e que depois nós deixaríamos a chave na portaria do prédio.Até aquele momento não desconfiei de nada e achei tudo normal. Assim que meus pais saíram, minha irmã realmente foi tomar banho, eu fiquei sentado na sala vendo TV. Ela saiu do banho direto para o quarto de meus pais e me chamou, surpreso fui ver o que ela queria, quando entrei no quarto ela estava se trocando, só de calcinha e sutiã e falou:? fica aqui enquanto me troco, assim continuamos a conversar?. Na mesma hora me vieram a mente as sacanagens que fizemos e com ela quase nua meu pau deu ?sinais de vida?, não fiz nada para disfarçar minha tesão e ela observou o volume que se formou na minha calça. Ela continuou se vestindo, colocou a blusa, a saia branca e bem curta a sandália de salto alto e continuamos a conversar amenidades, de vez em quando ela olhava para o volume na minha calça e eu já estava ficando sem graça, pois não conseguia disfarçar que estava com o pau duro. Ela pegou sua bolsa e falou para irmos embora, na sala quando fui pegar as chaves do carro, ela passou por mim e eu sem querer, querendo, rocei meu pau na bunda dela. Senti na hora que ela se arrepiou toda, passei a mão pela sua cintura, virei ela de costas para mim e com o pau encostado na sua bunda, comecei a beijar seu pescoço, ela não esboçou nenhuma reação e cheio de tesão, levantei sua saia branca e curta, tirei meu pau pra fora e coloquei bem no seu reguinho ainda por cima de sua calcinha. Ficamos naquela posição alguns minutos, até que ela virou-se de frente pra mim, ajoelhou-se e caiu de boca no meu pau. Gozei como um louco na sua boca e ela mais uma vez não deixou cair nenhuma gotinha. Peguei ela pela mão e sem dizer uma palavra fomos para o quarto, tirei toda sua roupa, fiquei nu, e já na cama chupei sua buceta até ela gozar e em seguida enfiei meu cacete dentro de sua buceta e fudemos com dois alucinados, enchi sua buceta com minha porra por várias vezes e ela gozou muito. Fomos tomar banho juntos e no chuveiro demos mais uma. Na hora de irmos embora, minha irmã falou que esta tinha sido a primeira e última vez que tínhamos metido de verdade e que era para apagar toda a tesão que tínhamos um pelo outro. Nos beijamos muito e fui levar ela em casa.

Isso já faz muito tempo e nunca mais tocamos nesse assunto. Ela é muito feliz no seu casamento e eu no meu. Mas eu tenho certeza que ela ainda goza só de pensar nas coisas que fizemos, eu bato minhas punhetas de vez em quando lembrando alguma passagem nossa.

Minhas fotos me excitaram


Oi, meu nome é Márcia e apesar de ser dois anos mais velha que o meu irmão, eu era tratada como a caçulinha da família, diariamente eu discutia com ele por causa do seu ciúme, do seu excesso de proteção e por causa das suas intervenções que acabava com as minhas tentativas de um relacionamento amoroso.

Certo dia fiquei plantada esperando por um rapaz que não apareceu, voltando para casa cruzei com ele que me disse que havia recebido do meu irmão um recado meu adiando o nosso encontro pela segunda vez, cheguei em casa furiosa e fui direto para o quarto do meu irmão, quando abri a porta ele se cobriu rapidamente e mandou que eu saísse imediatamente do seu quarto, mais eu estava com tanta raiva que continuei lá falando e percebi que ele estava acuado em sua cama, logo ele sempre tão autoritário, não contive a minha curiosidade de saber o que tanto ele escondia em baixo do seu edredom e o puxei. Fiquei completamente pasma com a revelação, meu irmão estava nu provavelmente se masturbando enquanto cheirava as minhas calcinhas e via algumas fotos de mulheres seminuas, mais logo depois percebi que as fotos eram minhas e foram tiradas enquanto eu dormia. Sai do seu quarto horrorizada o chamando de doente e me tranquei no meu, ele ficou batendo insistentemente na porta do meu quarto pedindo para conversar, irredutível eu só dizia que mamãe iria o colocar para fora de casa quando soubesse da sua tara. Mamãe percebeu o nosso comportamento e diversas vezes perguntou o que tinha acontecido e nos dois respondíamos que não tinha acontecido nada, mais ela sabia da super proteção que ele fazia e falou que ele já era um homem e tinha que arrumar uma mulher e me deixar em paz.

Apesar de ter dormido com a porta do meu quarto trancada, tive uma noite intranqüila com aquela sensação de que ele estava lá me espiando e tirando mais algumas fotos ousadas para a sua coleção, quando me levantei no dia seguinte eu estava simplesmente exausta fui ate o espelho e fiquei admirando o meu corpo nu tentando imaginar o que eu tinha feito para despertar o seu interesse. Levei um susto quando a maçaneta da porta do meu quarto mexeu mais ele não pode entrar porque a porta estava trancada, novamente ele pedia para conversar e eu respondi que ele podia falar que eu o escutava. Ele disse que me amava e que sempre me respeitou e que se realmente ele quisesse fazer alguma coisa comigo não seria essa portinha de madeira que iria lhe deter. Mandei que ele esperasse um pouco, me vesti rapidamente e então abri a porta do quarto, seu olhar penetrante fazia me sentir nua diante dele, eu tinha umas mil perguntas para lhe fazer e não sabia por onde começar, ele esticou o braço me oferecendo um fichário e quando comecei a desfolhar pude ver o tamanho da sua admiração que vinha de longos anos.

Quando éramos adolescentes fomos a um shopping com vários colegas e começaram a pegar no nosso pé dizendo que ele era virgem e que nunca havia beijado uma garota na boca e que ele também seria meu segurança para garantir que eu também não perdesse a virgindade da minha boca com ninguém. Dei um selinho no meu irmão na frente de todos e disse que ele não era mais virgem, apesar dele ter ficado todo orgulhoso o pessoal continuou pegando no seu pé dizendo que o beijo da irmã não valia, eu não tinha idéia que esse ato inocente e inconseqüente pudesse nos marcar para o resto de nossas vidas e desfolhando o fichário pude ver o quanto ele me desejava, na maioria das fotos eu estava só de calcinha, tinha algumas de camisola e shortinho que foram tiradas nos dias mais frios e algumas em que eu estava completamente nua que certamente foram tiradas nas noites mais quentes do nosso verão carioca. Eu me perguntava incrédula como ele havia conseguido fotografar certos closes, será que realmente eu dormia com as pernas aberta daquela maneira ou ele teria me conduzido aquela posição para melhor fotografar, já fazia algum tempo que eu vinha acordando toda suada e excitada, será que ele me tocava enquanto eu dormia, eu me sentia estranhamente excitada quando acabei de ver todas as fotos e acho que ele percebeu e entendeu como uma aprovação, pois me beijou com volúpia me deixando mole, sem fôlego e sem reação, suas mãos começaram a me apertar percorrendo todo o meu corpo, ele foi me despindo vagarosamente e eu me deixei envolver pelas suas mãos habilidosas que me faziam suspirar de desejo, ele me tomou em seus braços e me levou para cama começou a beijar meu pescoço e foi descendo para os meus mamilos, continuou descendo sua língua pelo meu ventre e quando começou a chupar o meu grelinho eu gozei na sua boca, sem parar de me chupar ele foi tirando toda a sua roupa e aproveitando que eu estava bem molhadinha ele me penetrou de uma só vez, começou a bombar forte como um cão no cio me levando ao prazer e quando parou eu podia sentir seu cacete pulsando dentro da minha bucetinha enquanto ele expelia seu liquido quente nas minhas entranhas, acabei gozando de novo mais ainda estava muito excitada e resolvi assumir o comando, girei meu corpo ficando por cima dele, guiei seu cacete ate a entrada da minha bucetinha, o agasalhei inteirinho e comecei a rebolar gostoso enquanto ele colocava suas mãos por baixo da minha bunda forçando o sobe e desce e logo em seguida eu já estava ao seu comando quicando em cima do seu cacete. Enquanto me fodia, meu irmão enfiava um dedinho gostoso no meu rabo e quando ele começou a forçar para botar dois dedos eu percebi que ele estava cheio de vontade de comer o meu cuzinho então desmontei e deitei que nem um franguinho assado, ele veio por cima e encaixou na minha bucetinha dava umas duas ou três socadas e deixava escapulir propositalmente e quando ia recolocar aproveitava para pincelar seu cacete no meu cuzinho me deixando ainda mais excitada, eu não agüentei esperar pela sua investida e pedi a ele que enfiasse logo seu cacete no meu cuzinho. Obediente, ele apontou e foi forçando vagarosamente ate a cabeça passar e só então começou a fazer o vai e vem sem tirar de dentro ele me rodou na cama me deixando de quatro e a cada socada que ele dava, eu podia sentir as pontadas do seu cacete no meu estomago, não demorou muito e eu já estava gozando outra vez, ele retirou seu cacete cuspindo jatos de porra sobre o meu corpo e depois de espalhar todo excesso pela minha bunda me deixando toda untada com o seu prazer meu irmãozinho desabou exausto do meu lado, com uma cara de felicidade dizendo que tinha sido a melhor foda de toda a sua vida e que eu tinha sido muito melhor do que ele tinha imaginado.

A partir desse dia eu comecei a pousar nua para o meu irmão fotografar me produzindo toda e criando cenários mais sensuais e depois de cada seção de fotos, nos amávamos como homem e mulher, lascivos como verdadeiros amantes, mais sem deixar de nos amarmos como irmãos. Somos dois solteirões para a sociedade, cada um vivendo sua vida independente, mais vivemos na nossa intimidade uma gostosa lua de mel como muito sexo, luxuria e prazer, tudo que um casal feliz tem direito.

Sexo a três com meu namorado e meu irmão



O relato que passarei a contar-lhes agora é verídico, e até hoje fico toda molhada quando me lembro do que ocorreu. Meu nome é Paula,tenho 18 anos, cabelos lisos, castanhos claros, olhos cor de mel, seios fartos e uma bundinha redondinha e empinadinha. Minha maior fantasia sexual era transar com 2 homens ao mesmo tempo, mas minha moral me impedia de realizá-la. Já até tinha comentado com meu namorado, Thiago, sobre isto, mas não passou de uma conversa. Meu namorado é muito gostoso, alto, moreno, cabelos compridos até os ombros, 21 anos, peito musculoso, coxas grossas e o melhor de tudo, uma bundinha deliciosa. Certa vez seus pais sairam, e ficamos sozinhos na casa dele. Ele então entrou no seu quarto, me chamando, alegando que tinha uma surpresa pra mim. Chegando lá, ele me atacou ferozmente, me beijando com um furor indescritível, explorando todos os cantos da minha boca. Começou a beijar e mordiscar minhas orelhas, meu pescoço, com tamanha força que me marcou inteirinha. Ele então tirou minha blusinha e começou a brincar nos meus mamilos, já intumescidos de tanto tesão. Ele mordia um entre os dentes, enquanto pressionava o outro entre o polegar e o indicador, fazendo movimentos circulares que me levavam a loucura. Beijou minha barriga inteira, levantou minha saia, sentiu o aroma adocicado da minha bocetinha raspadinha e me jogou na cama. Passou sua linguinha na minha rachinha e estremeci de prazer, soltando um longo gemido, e apertando ainda mais sua cabeça na minha bocetinha. Ele lambeu, mordeu, enfiou a linguinha lá dentro, e quando eu estava quase gozando ele parou, e disse que esse era só um ensaio da surpresa que ainda me aguardava. Então ele se levantou, pegou uma faixa preta no armário e vendou meus olhos. Arrancou de vez minha saia, me deixando nuazinha. Então ele pegou se pau latejante e começou a esfregar na minha cara dizendo: -- Adivinha o que é isso, sua puta. (Em quase 3 anos de transas alucinantes ele nunca me tratara assim. Confesso que isso estava me arrebentando de tesão) Você gosta disso, não é, sua cadela vadia? Então é isso que você vai ter. Chupa ele sua vaca! E atolou o pau na minha boca, fudendo com tanta força que chegava até a engasgar. Não demorou muito ele gozou, inundando minha boca de uma porra deliciosa. Então ele ordenou: -- Engole tudo, sua piranha de beira de esquina. Hoje eu vou te mostrar o que é ser comida de verdade. Então ele começou a chupar minha bocetinha outra vez, com mais força ainda, e dessa vez gozei feito louca, encharcada de saliva e do meu mel, que ele sorveu todinho. Aí ele disse que ainda tinha mais, que não acabava por aí. Me ordenou que ficasse de quatro, e que arreganhasse bem a bunda. Fiz o que ele mandava. Então ele amarrou minhas pernas e pés pela cama, e me algemou na cabeceira da cama, de quatro, e totalmente exposta. Estava puro tesão, esvaindo por cada poro de minha pele. Ele então chupou meu cuzinho, enquanto alternava um dedo na chaninha e outro massageando meu grelinho. Não precisa nem dizer que explodi num gozo intenso, um dos maiores que já tive até hoje. Então ele disse: -- Se prepara, por que agora é que você vai começar a gozar feito uma cadela, que é o que você é. E me tascou um tapa na bunda. Senti então um pau na portinha da minha bucetinha, forçando a entrada. Entrou a cabeça e percebi que não podia ser do Thiago, estava muito grosso para ser o dele. Perguntei o que ele estava fazendo e ele me mandou calar a boca. Continuei a ser invadida por um pau que tinha certeza não ser do Thiago. Era grosso, e a medida que foi entrando fui percebendo que era bem maior também. Do Thiago tinha uns 20 cm, mas era fino, e aquele que me arrombava era grosso, e maior. Comecei a gritar de dor, e pedir que parasse, que queria ver quem era. Thiago me deu um tapa na cara e disse que eu ia aguentar aquela rola todinha dentro de mim, como uma boa puta que ele sabia que eu era. Logo me acostumei com aquela tora dentro de mim, e comecei a sentir um prazer enorme com aquelas deliciosas estocadas que o fodedor misterioso me dava. Thiago entrou embaixo de mim e começou a lamber meu grelo. Endoideci, e tive uma sucessão de orgasmos antes que o fodedor misterioso me invadisse com jatos e mais jatos de porra. Ele tirou o pau da minha grutinha e senti uma enorme sensação de vazio. Pedi pra ver quem era, e Thiago disse que só quando terminássemos. Ele então me soltou, mas me deixou vendada ainda, ameaçando que se eu tirasse a venda ia levar uma surra. Ele deitou e me encaixou em cima dele, ordenando que lhe cavalgasse. Logo senti a diferença entre os dois paus. Enquanto um quase me arrombou, o do meu gato entrou facinho. Comecei a cavalgá-lo deliciosamente, quando senti uma mão me deitando sobre Thiago e lambendo meu cuzinho. Fiquei paralizada de medo. Quando percebi que a intenção do misterioso era comer meu rabinho, gritei, protestei tentei fugir, mas de nada adiantou. Os dois machos me seguraram, e foi pior pra mim resistir, por que nem tive um acariciamento do rabo com dedinhos primeiro. Thiago me segurou e o misterioso abriu minha bunda e enfiou com tudo de uma só vez no meu rabinho. Gritei. Senti uma dor imensa. Lágrimas escorriam dos meus olhos. E os 2 lá, dentro de mim, um na buceta e o outro quase me estourando o rabo, parados, um sugando meus seios, o outro arranhando e mordendo minhas costas. Fui me acostumando com a dor, e o tesão tomando conta de mim novamente. comecei então a rebolar, e os dois readiquiriram vida, e estocavam compassados em mim. Estava indo a loucura. Gozei uma vez. O caldo da minha boceta escorria, facilitando o trabalho do misterioso no meu cuzinho. Gozei outra vez, e então Thiago disse que ia gozar. ME inundou de porra. Logo depois senti os jatos do fodedor misterioso me invadirem. Ficara os dois dentro de mim esperando amolecer. Quando fui liberta, Caí na cama e dormi. Acordei uma hora mais tarde, com uma língua na minha boceta. Perguntei se era, e Thiago me respondeu que era seu amigo. Pedi para ver quem era, e dessa vez ele deixou que eu visse. Tirou a venda dos meus olhos e qual não foi minha grande surpresa ao ver: ERA MEU IRMÃO!!!!!!! Fiquei chocada num primeiro momento, mas depois, lembrando dos mais maravilhosos orgasmos que tive em toda a minha vida e a realização da minha maior fantasia, passou o susto. Tivemos outras experiências, mas isto fica para um próximo conto. Espero que este relato tenha sido motivo de grandes punhetas e siriricas, assim como faço quando leio alguns contos desta page.

Sexo: Não cabe incesto com a finalidade própria do sexo?


Sexo é para o prazer e nem tanto para a reprodução.Seres humanos raramente têm relações sexuais com a finalidade de procriação. Na maioria das vezes, eles fazem sexo por prazer mútuo. Isto é perfeitamente moral. Casais incestuosos que escolherem apenas ter sexo por prazer, não estão fazendo nada de errado por não terem relações sexuais com a finalidade de reprodução.
Sexo incestuoso consentido e por prazer, porque não?

fonte: http://debatepedia.idebate.org/en/index.php/Debate:_Legalization_of_adult_incest#Sex:_Does_incest_fit_with_the_proper_purpose_of_sex.3F

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

PETER SINGER defende Sexo consanguineo




Em seu país natal, Austrália, Princeton Professor Peter Singer defende relações sexuais entre parentes próximos ("incesto"). Michael Cook foi menor do que satisfeito, como ele escreve aqui .


O Jerry Springer da filosofia moderna estava em boa forma quando ele falou a uma multidão embalada na quarta-feira à noite no Grande Salão da Universidade de Sydney.

Singer é um professor da Ivy League. Ele merece algum respeito, e não como uma escavação aparente comparando-o a Jerry Springer.


A maioria dos filósofos contam-se com sorte se a mãe aprecia seu trabalho. Mas Singer é considerado - pelos jornalistas, pelo menos - como o filósofo mais influente de vida. De fato, em Sydney Uni, ele foi introduzido com o elogio exagerado, normalmente reservados para a televisão aposentado estrelas ". Se tivéssemos uma coleção de tesouros vivos nacional, Pedro certamente dignificar entre eles"

Isso significa que ele pode avançar a liberdade de intimamente relacionados adultos consentindo com amor, sexo e casamento.


Imagine um irmão e uma irmã, ele disse. Eles estão em férias de verão e decidir que seria interessante e divertido se tentassem fazer amor. Não há nenhuma chance da prole, porque ela está usando a pílula e ele um preservativo. Ele aproxima-os, mas nunca fazê-lo novamente.

Isso está errado?

Claro que não é errado. Isso acontece muito mais do que algumas pessoas imaginam. E há relacionamentos duradouros na vida conjugal também. Essas pessoas são seus vizinhos, colegas de trabalho que você, e possivelmente a sua família.


Singer, em seguida, tomou braços erguidos e constatou que metade dos seus ouvintes pensaram que o incesto, amando contraceptivos era legal - o que torna as famílias de um filho parece uma boa idéia para a próxima geração de Sydney Uni licenciados, não é?

Por quê? O escritor não dá uma única razão por que a posição está errada, mas defende, no entanto, brincando, tirando os direitos reprodutivos das pessoas que a defendem.


A outra metade achava que até mesmo o incesto ideal era errado.

Se pensassem nisso por mais tempo, muitos deles iria mudar as suas mentes. Suas acusações foram provavelmente respondida aqui .


Olha, ele explicou, a nossa repulsa instintiva ao incesto é apenas uma resposta evoluída que as comunidades humanas protegidas contra a endogamia.

Na verdade, eu acho que provavelmente tinha mais a ver com o desejo de formar ligações entre clãs, ao invés de evitar a consanguinidade. Os homens dariam as suas filhas a outro clã como se ela fosse algum tipo de propriedade. E nem todos devem ser incluídos no "nosso", como algumas pessoas não têm aversão contra o sexo consangüíneos.


Mas tais intuições não são autenticamente reação moral por falta de uma justificação racional. Eles são a prova da nossa escravidão às emoções obsoletas. Estes conferiu uma vantagem de sobrevivência, quando vivemos como caçadores-coletores, mas não necessariamente no século 21.

Essa é uma boa maneira de olhar para ele.

Lembro aos meus leitores que, hoje, do Dia dos Namorados, você deve se lembrar que existem pessoas que ainda não têm a liberdade para se casar , inclusive casais de namorados que vivem como casal, mas proibido de casamento sob a lei porque são parentes próximos.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Casal Michele e Alexander descobrem que são irmãos no DNA do Ratinho











DNA CASAL SÃO IRMÃOS.Ratinho, desta terça-feira (18) teve resultado positivo.O casal queriam saber se eram irmãos.

casal Michele e Alexander descobrem que são irmãos no DNA do Ratinho
Alexander é casado com Michele. Desse relacionamento tiveram três filhos. Eles se conheceram a mais de 13 anos, em Barro Preto – BA, cidade onde sua mulher morava, mas tiveram que namorar escondido por muito tempo, porque Alexander é 10 anos mais velho que ela.

Um ano depois, em uma festa na cidade de Alexander, encontrou um amigo que contou sobre uma irmã que poderia ter nacidade em Barro Preto, mas que não conhecia. Essa história fez sentido, pois o pai de Alexander era um radialista, tinha fama de mulherengo e morreu quando Alexander ainda era criança.

Uma semana depois, Alexander foi visitar Michele em Barro Preto e contou a história para a namorada. Ela ficou desesperada, já que sua avó sempre falava que o pai dela era um radialista chamado Nilson Rocha e ele era um homem muito galanteador. Foi ai que resolveram fazer o DNA no PROGRAMADO RATINHO e infelizmente veio a noticia que os dois são mesmo irmãos.

Genética atração sexual



Atração Sexual Genética (GSA) é um resultado típico de famílias separadas desde a infância, e que se reuniu anos depois, no final da adolescência ou idade adulta.
Pode ocorrer entre primos, pai e filhos, e mais comumente, irmão e irmã.
Ela ocorre em crianças que são separadas no nascimento de suas famílias devido à adoção ou outras circunstâncias que os mantem longe de suas famílias.
Após o reencontro, a criança que foi separada pode vir ater uma forte ligação com um membro da família.
Blogs com grupo de pessoas com experiências de vida real com o GSA tem estudado surgirem essa relação logo apos o encontro , os dois se vêem superadas pelo sentimento que é quase um sentimento incontrolável. Elas afirmam que gostariam que essa situação não estivesse acontecendo com eles , mas que não podem fazer nada para pará-lo. Os sentimentos começam sexual, e na maioria dos casos a sensação e o sentimento se transforma em amor.
Não existem estatísticas que afirmam qual freqüência o desejo sexual se volta para o sentimento de amor.
A GSA não é conhecida ou estudada amplamente, devido ao fato de que a maioria das pessoas o considerem uma situação sujo, e é ilegal na maioria dos lugares ter relações incestuosas, principalmente devido ao fato de que descendentes de casais incestuosos - Dizem-se que há muito mais chance de ter defeitos de nascença.
A razão GSA não é comum em crianças que são criados juntos,isso é devido ao efeito Westermarch, que se diz ser um efeito que evoluiu para evitar a consangüinidade.
No entanto, quando as crianças criadas separadas de suas famílias reúnem-se em uma idade mais avançada, não é improvável que dois dos membros da família se tornem atraídos um pelo outro.
A atração acontece eventualmente pelos seguintes motivos:
1.) Na realidade da família um dos membros geralmente é mais atraente e confortante / confiável.
2.) tem interesses e características que são frequentemente partilhadas entre parentes
3.) Os casais têm muito em comum e que lhes permite se aproximar.
Não está claro se diminui os sentimento com o convívio, parece que isso varia de caso para caso. Parece que se os sentimentos não diminuem, há uma grande quantidade de sofrimento para os dois envolvidos se eles agem sobre os seus sentimentos ou não, porque os sentimentos são muito intensos.
Há muitos membros da sociedade que se envolvem em relacionamentos, mesmo sabendo as conseqüências.Por exemplo, há um caso de incesto público adulto consensual, resultante da GSA, que envolve um casal da Alemanha. O irmão foi levado pelos pais adotivos em 3 anos de idade. Aos 23 anos, o irmão descobriu sobre os pais de nascimento, e se encontrou com eles e sua irmã pela primeira vez. O casal teve filhos juntos, e passou um tempo na prisão pelo crime. Eles dizem que ainda hoje estão muito felizes juntos.

Acredita-se que se a sociedade fosse mais consciente da GSA e seus efeitos, poderia ajudar as pessoas a ter conhecimento da situação antes de se reunir com suas famílias, e eles poderiam estar preparados para os sentimentos caso aconteça e saberia como reagir a eles, assim tornando-os menos dolorosos para os envolvidos.
Sources
http://www.geneticsexualattraction.com/ (support blogs from people wih real life experiences)
http://www.helium.com/items/1819974-forbidden-love-facts-about-genetic-sexual-attraction
http://en.wikipedia.org/wiki/Imprinting_(psychology)#Westermarck_effect
http://en.wikipedia.org/wiki/Genetic_sexual_attraction
http://en.wikipedia.org/wiki/Incest#Between_consenting_adults
Have you or anyone you know ever experienced GSA?
• Yes, I have experienced GSA
• Yes, I know someone who has experienced GSA
• No, I have not been involved in or know anyone who has experienced GSA

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Minha namorada, seu irmão e eu






Olá, amigos! Vou escrever sobre a melhor trepada da minha vida. Foi com minha namorada e seu irmão. Depois de lermos algumas estórias aqui, ela me incentivou a escrever a nossa estória.
Bem, meu nome é Rafael, tenho 19 anos, e tenho uma namorada linda de 18 anos cujo nome é Ana. Ana tem um irmão, muito gente boa e boa pinta, cujo nome é Caio. Caio tem 17 anos.
Por serem tão próximos em idade e por serem só os dois de filhos, eles são muito chegados um ao outro. Sempre foram amigos pra toda hora, principalmente nas baladas. Seus pais são pessoas muito esclarecidas e nem um pouco religiosos. Sempre houve, na casa da Ana, muita conversa, e o Caio e a Ana sempre íntimos, inclusive na frente dos pais. Às vezes, a Ana estava de costas fazendo alguma coisa e o Caio chegava por trás, dava uma encaixada nela e pegava nos seus peitos por cima da roupa. Quando sua mãe ralhava ou falava alguma coisa sobre ter respeito com a irmã, seu pai era o primeiro a dizer que irmãos eram p isso mesmo, que a sua primeira trepa tinha sido com uma prima e que tudo isso “de respeito” era hipocrisia e “ ranço religioso”. Ele sempre usava essa expressão. Ele odiava qualquer coisa de religião. Ele sempre dizia que religião deixava as pessoas burras e tapadas. Bem, voltando a Ana e Caio, eles sempre foram amigos a ponto de saberem da vida sexual um do outro, quando haviam perdido a virgindade, etc. E Caio dizia que sua irmã era uma boazuda, e que se ela quisesse dar p ele, ele comeria. Ana sempre ria.
Era normal na casa deles, os namorados irem dormir lá. Há cerca de 2 meses, os pais viajaram e eu fui dormir lá com a Ana. O Caio estava em casa, mas sem a namorada. À noite, Ana e eu fomos ao quarto e começamos a transar à meia luz. Achávamos que o Caio estava dormindo há tempos. Estávamos lá à toda quando a Ana vira a cabaça para o lado da porta e solta um gritinho. Caio estava à porta vendo-nos transar. Ele disse que só estava olhando e curtindo. Afinal, qual era o problema? Eu falei no ouvido da Ana que o deixasse nos ver e ela deixou. Eu fiquei muito excitado com aquilo e a Ana também ao ver seu irmão lá acariciando seu pau e nos observando. Então eu disse que ele podia chegar mais perto.Ele entrou, então, no quarto, veio até a cama e se ajoelhou em cima da cama, ao nosso lado. Perguntou por que não usávamos camisinha e Ana disse que confiamos um num outro e que ela se prevenia com contraceptivos. Ele observava, acariciava o pau, e eu metia. Foi aí que eu peguei a mão da Ana e a levei até o pau do Caio. Ele tirou a pau p fora, Ana pegou nele e o Caio uivou de tesão. Ficamos alguns minutos naquela brincadeira e eu pedi que a Ana desse pro Caio. Ele disse que não, que ele era irmão dela, que absurdo era aquilo. Aí eu disse a frase mágica: “isso é ranço religioso. Qual é o problema se nós três estamos curtindo isso”. Aí foi o Caio que disse: “deixa eu só brincar com você, então”. Poxa, gente, foi muito bom. Ele encaixou, ajoelhado entra as pernas da Ana, seu pau na buceta da Ana e começou a brincar com sua xoxota. Só brincava, só brincava...O cara era muito esperto, porque a partir de um momento, a Ana cruzou suas pernas atrás dele para forçá-lo a penetrá-la. E o Caio só brincava e eu a chupava e beijava inteira. Com minha mão atrás do Caio, eu tentava forçá-lo pra dentro dela e ele só brincava. A Ana foi enlouquecendo. Eu cuspia na xana dela e o Caio brincava. Aí, veio o que Caio e eu esperávamos: ela começou a dizer : “Vai, vai....”. E o Caio foi. Ele meteu gostoso na Ana. A Ana ruivava como nunca antes, o Caio gozou, e eu gozei como nunca antes. Foi, sem dúvida, a trepada mais excitante da minha vida!
Depois disso, a Ana ficou achando tudo isso meio estranho, mas eu sempre repetia a frase do pai dela; “Essa culpa é ranço religioso, Ana”. Depois descobri este site, mostrei a ela, ela relaxou e me incentivou a escrever a nossa estória, e aqui ela está. Espero que curtem e se livrem de qualquer complexo de culpa que, por acaso, tenham. Sempre transamos os três quando seus pais estão viajando. É um tesão, mas nada se compara à primeira vez. Rafael.

IRMÃO/IRMÃ - UMA HISTÓRIA REAL



Tenho o hábito de visitar alguns sites de fotos sensuais de mulheres bonitas feitas por fotógrafos amadores, e foi assim que tudo começou, tenho 19 anos e com um físico normal, nada em especial, tenho uma irmã de 17 anos ( na época, pois, faz 2 anos que aconteceu este fato que vou relatar) muito bonita, porém, tem um peso acima do ideal, o que a deixa muito fofa, ela tem um par de coxas bem torneados, um bundão que já homenageie diversas vezes em meus sonhos eróticos e um par de seios que mais parece dois melões no ponto de ser chupados.
Após o jantar com a minha família me dirigi ao meu quarto, pois, estava cansado era sexta-feira e como de costume tenho o hábito de ficar até de madrugada na Internet, já se passava das 11:00 horas e de repente minha irmã entra no meu quarto, estava vestida com um pijama (short curto com uma blusa de seda sem sitiem), e mostrou um livro que me recomendou para lê-lo, neste momento ela notou o que eu estava olhando na Internet e ficou curiosa, então eu disse que era um site de fotos de garotas amadoras, neste momento ela pegou uma cadeira e sentou ao meu lado, eu adorei a idéia, pois, começou a me dar um tesão muito diferente do que o normal, ela começou a fazer diversas perguntas:
Estas mulheres são realmente amadoras?
Sim, respondi são fotos que alguém tira e envia ao site sem compromisso.
Mas não existe a possibilidade de alguém reconhecê-las?
Não, pois, elas evitam mostrar o rosto, apenas o corpo, algumas vestem roupas sensuais, outras são um pouco mais atiradas.
Aproveitei a deixa e perguntei: Você teria coragem de tirar fotos assim?
Ela ficou vermelha e respondeu, de jeito nenhum, sou muito tímida e medrosa.
Realmente ela é muito tímida, só teve um namorado até hoje e foi um relacionamento curto e sem sacanagem, o que me confidenciou mais tarde.
Ficamos até altas horas navegando na Internet e ela cada vez mais curiosa a respeito da novidade, fomos dormir e ela me perguntou se amanhã poderíamos ver mais fotos, eu disse que tudo bem, pois, nosso pais geralmente não ficam em casa nos finais de semana, temos uma casa de praia, e como ela esta muito curiosa para continuar a ver mais fotos resolveu não acompanhá-los, nisso ela me beijou no rosto e me deu boa noite, quando me levantei o meu calção esta com um volume acima da média, nisso ela notou e perguntou o que estava acontecendo, neste momento meu pau ficou duro de uma vez, então eu disse: sempre que vejo estas fotos me da muito tesão. Ela perguntou o que você vai fazer, eu disse não tem jeito vou ter que bater uma se não consigo dormir, nisto ela riu e saiu rebolando aquela bunda gostosa.
No dia seguinte meus pais foram viajar a praia e minha irmã resolveu ficar em casa para estudar, enfim, chegou a noite e ela pediu para ligar o computador e procurar mais fotos, neste momento, eu perguntei se ela não toparia tirar algumas fotos, no primeiro momento recusou, depois, eu falei que não seria sem roupa, apenas foto sensual, ela topou, porém, ela escolheria as roupas e poses, eu topei é claro.
Enquanto ela estava escolhendo as roupas eu preparava o ambiente, me dirigi ao seu quarto para ver como estava a escolha, eu sugeri um baby-doll e algumas calcinhas claras, neste momento, ela não topou, pois, somos irmãos, quando eu falei ontem você esta com um short curto e não estava com vergonha, agora nos vamos apenas brincar de fotografo e modelo, depois, apagamos tudo, somente isto e mais nada, neste momento consegui convencê-la, aproveitei e separei algumas calcinhas bem pequenas, ela comentou que não a usava mais, pois esta com o peso acima da média, então eu comentei deixa comigo o resultado final você vai gostar.
Começamos ela estava com um camiseta que cobria os seios e a barriga de fora e com um short de lycra apertado, apenas cobrindo uma parte da bunda, não foi fácil, meu tesão estava exposto, mas continuamos, a medida que batia as fotos ela se soltava, eu sugeri que ela tirasse o short, ela recusou e comentou olha o volume no seu calção, então eu disse: você deveria ficar contente, pois, o trabalho esta dando resultado, mas se este for o problema me de 5 minutos que vou a banheiro e resolvo rapidinho, ela riu e me disse não deixa para mais tarde, nisto, eu imaginei muita coisas, pois bem, ela topou a tirar o short, eu pedi que virasse de costas e aproveitei fui tirando as fotos passo a passo, quando ela terminou, fiquei de boca aberta, então comentei que era a bunda mais gostosa e carnuda que já tinha olhado, neste momento ela riu e deu uma virada, os peitos quase saltaram para fora da camiseta, então em pedi para tirar a camiseta, ela comentou que estávamos indo longe de mais, então eu falei, é somente para fotografar este momento, talvez, não teremos outra oportunidade e o clima estava feito, ok, ela topou e tirou de uma só vez a camiseta, os peitos saltaram de uma forma que eu não consegui registrá-los, ela riu e me disse que era a primeira vez que tirou a roupa para um homem, eu disse, que pena que somos irmãos, ela também disse: que pena.
Tirei varias fotos de todos os ângulos possíveis, em não podia perder a oportunidade do momento, fui audacioso e pedi que gostaria de fotografá-la por completo, ela perguntou o que você esta querendo, então, com muita sutileza eu disse: gostaria de fotografar a sua bunda que me da muito tesão, somente isto confie em mim, nisso, ela parou e pensou, e falou você promete que este será o nosso segredo e que isto nunca poderá sairá deste quarto, eu falei jamais vou comentar com alguém este relato.
Ela ficou de costas e foi baixando devagar a calcinha, que neste momento estava já enfiada no seu do seu rabo, pois, o tamanho era bem menor que o volume de suas ancas, quando baixou até o fim eu presenciei o manjar dos Deuses, era a imagem mais sexy e bonita de minha vida, ela virou e perguntou, você realmente me acha gostosa, eu disse pegando no meu pau sobre o meu calção ele responde por mim, nisto ela riu e comentou hoje vocês se acabam, neste momento eu me dirigi ao armário e peguei um travesseiro coloquei sobre a cama e pedi para ela se deitar colocando a barriga sobre o mesmo, neste momento, a sua bunda parecia que tinha o dobro do tamanho, pedi que separasse as ancas com as mãos, neste momento, ela topava tudo, ela foi abrindo a bunda e levantando vagarosamente até aparecer o botão rosinha, não resiste e deixei a maquina de lado para apreciar esta imagem, ela começa a piscar o cuzinho, então eu falei que não agüentava mais e queria possuí-la, nisto esta recusou e falou que deveríamos parar, então, eu recuei e falei, tudo bem, mas eu posso ficar pelado e bater uma punheta para este cu, ela disse que sim, pois, estava curiosa para ver ao meu caralho, eu baixei meu short e sentei ao seu lado, ela começou a admirá-lo, então eu perguntei se ela tinha gostado: muito, mas é muito grande, então eu falei que não, pois, tinha muito maiores do que o meu ( 17cms), ela começou a tocá-lo e punheta-lo com uma mão de seda, eu fechava os olhos e ela ria e massageava cada vez mais, eu não queira gozar, pois, aquele instante era especial, nisto eu pedi para ela dar um beijo na cabeça, ela baixou devagar ficou olhando bem de perto, pois, tudo era a primeira vez em sua vida, beijou suavemente a cabeça, passou toda a sua língua em minha rola beijou meu saco, eu abri bem as pernas, ela se posicionou de frente para mim e começou a chupá-lo de uma intensidade jamais vista, como não tinha experiência à saliva escorria em meu Caralho deixando todo molhado e tesudo, eu já não estava mais agüentando quando falei que ia gozar, ela acelerou mais e mais e saiu um jato tão forte de entrou em sua boca e melou parte de seu rosto, a porra de sua boca foi cuspida em cima da minha rola melando de tal forma que me deixou doido de prazer, foi a chupada mais incrível que ganhei, ela se dirigiu a banheiro pegou uma toalha e nos limpamos do gozo, depois eu pedi para deitar que agora era a sua vez, primeiro chupei aqueles peitos lindos e fui descendo até o inicio de sua gruta linda, cheirava a puro sexo e esta ensopada, pois, acredito que durante a boquete a sua buceta já tinha gozado varias vezes, comecei a passar minha língua em sua gruta e chupava de tal forma que ela viajava no tempo, quando minha língua forçava o seu clitóris ela gozava com tanta intensidade que quase me sufocava com as suas pernas, depois, pedi para virar, pois, queria enfiar a minha língua em seu cuzinho rosado, ela não perdeu tempo coloquei o travesseiro em baixo de seu corpo e a abri a sua linda bunda, que visão, que tesão, comecei a morder devagar a bunda, conforme eu ia passando a língua próximo ao seu cuzinho ela ia se levantando devagar e ao mesmo tempo eu ia me afastando, até que o cuzinho ficou todo arreganhado, comecei a enfiar devagar e lamber todo aquele orifício, que naquele momento era somente meu, virgem, tesudo e cheiroso, ela ia ao delírio estava melado, molhado e piscava e contraia a cada enviada de língua, ela gemia feito doida e minha rola estava ate doendo de tesão, então eu propus fazermos um 69, me deitei e ela veio por cima, aquela imagem se preparando para se acomodar foi o máximo, se baixou e abocanhou minha rola, principalmente chupando o meu saco, que me deu mais tesão ainda, neste momento eu trabalhava em seu cu todo arreganhado, e com todas as preguinhas ainda intactas e virgem, depois de algum tempo pedi que ficasse de quatro, neste momento ela se recusou, pois, não poderíamos seguir a diante, eu não acreditava, então eu pedi que ficasse de lado somente para brincarmos, ela virou, como seu cuzinho estava melado de saliva e do gozo de sua boceta a portinha esta uma delicia, coloquei a cabeça em seu orifício e comecei a fazer movimentos de entrada e saída, nisto ela me xingava de filha da puta, viado, pois, eu estava judiando daquela bunda que tantas punhetas ganhou e agora estava sentindo a sua temperatura, que por sinal estava a todo vapor, fui enfiando só a cabeça minha irmão estava com tanto tesão que a deixei conduzir os movimentos de vai-vem, senti a cabeça enfiar, depois, foi mais um pouco e senti as preguinhas de deu seu cu abraçar a minha rola , virei de costa e me conduzi em cima de seu corpo, mas ainda não tinha entrado tudo em um movimento calculado ela foi ficando de quatro e abrindo cada vez mais aquele buraco gostoso e pude de uma só vez enfiar sem dó e piedade todo o meu caralho em seu cu apertado e melado, ela chorava de tanto tesão, rebolava e eu socava todo o caralho naquele bundão gordo e tesudo não agüentando mais, comecei a meter com mais velocidade e enchi seu cu de porra, foi um gozo que mais parecia uma mijada de tanta intensidade, ela foi baixando e deitou e eu fiquei em cima exausto e com a rola dentro do seu cu, parecia que o coração estava dentro do seu cu, pois, sentia cada batida.
Nos recompomos e fomos tomar um banho, estávamos exausto, e dormimos juntos na cama de nossos pais, no dia seguinte ficamos um pouco encabulados, conservamos a respeito e não houve arrependimento, ainda no final de semana comi seu cu de todas a formas, até não agüentar mais, ela pediu que o cabaço fosse dar para uma pessoa muito especial, seu futuro namorado, mas o cuzinho este sempre seria meu, e modesta a parte é um cu que não dispenso.

Fodendo gostoso com meus irmãos ( especial para a SIS)



Olá meu nome é Sophie, sou loira tenho 18 anos, tenho 1,73m, 63kg. Seios grandes, mas não fartos, cabelos longos até a cintura, bumbum grande e arrebitado muito bem salientado em meu corpo violão. Minha xaninha é carnuda e tem poucos pelos.
O fato que vou lhes contar aconteceu-me esse ano mesmo, uns quatro meses após as férias de verão. Nessas mesmas férias eu havia conseguido um namorado na cidade em que meu pai mora, como morávamos em cidades diferentes eu só o via de finais de semana, ou eu ia pra lá quando dava ou ele vinha pra cá, o que era mais constante quando ele não tinha que viajar. Por causa disso eu abria mão de baladas com amigas para poder vê-lo, o que era motivo de chacota entre elas, mas eu não ligava.
Certo final de semana, eu e meu namorado estávamos sozinhos em casa, meu dois irmãos estavam na academia (tenho 2 irmãos gêmeos idênticos, Caio e André, ambos são morenos de olhos verdes acinzentados, altos e com cabelo raspado, pois os dois praticam Jiu-Jitsu e Luta-Livre nas horas vagas da faculdade. Caio e André tinham 20 anos, e faziam muito sucesso entre as mulheres, pelas quais eles usavam e abusavam), minha mãe estava trabalhando e só voltava no outro dia. Como a saudade era muita, acabamos nos levando pela paixão e logo nos vimos transando enlouquecidamente na minha cama.
Eu já havia gozado umas duas vezes no pau de Lucas (meu namorado), e já estava indo para a terceira vez, mas dessa vez em sua boca, gemia e rebolava em sua boca que nem uma cadelinha no cio. Já em transe, gozando, vi uma sombra passar na janela, mas achei apenas que fosse meu cachorro, e continuei, sem ao menos me preocupar, a dar bem gostoso para o meu namorado. Quando terminamos nossa loucura sexual, já era tarde e Lucas tinha que voltar para sua cidade, eu o acompanhei até a porta de casa, me despedi e então entrei.
Estava suada e exausta, queria tomar um banho, já estava na hora de meus irmãos chegarem da academia, então me apressei a ir tomar meu banho, pois nossa casa é grande, mas tem apenas dois banheiros, sendo que o segundo estava em reforma. Quando fui chegando perto do banheiro escutei gemidos, olhei rapidamente no meu relógio ‘17:42, Caio e André ainda não chegaram!’ pensei, abri um pouco a porta para ver quem estava lá dentro e me surpreendi ao ver Caio se masturbando embaixo do chuveiro, mas o que realmente me surpreendeu não foi o ato em si, mas sim seu membro, nunca tinha visto nenhum dos meus irmãos nus com o pinto durão. Seu pau não era tão grande quanto o de Lucas, mas era bem mais grosso. Fiquei hipnotizada, minha mente dizia para eu sair dali, senão Caio iria me ver, mas meu corpo não obedecia.
Ouvindo os gemidos de meu irmão se masturbando, vendo seu pau duro e pulsante, não sei por que me excitaram, nunca tinha imaginado nada entre meus irmãos e eu. Logo comecei a imaginar se o pau de André também seria grosso daquele jeito, me excitava, mas ao mesmo tempo me repreendia, pois sabia que não era certo ficar imaginando os paus dos meus irmãos. Minha xaninha escorria porra do meu namorado, e meus dedinhos entravam e saiam dela no mesmo ritmo que Caio se masturbava no chuveiro, imaginava tudo aquilo dentro de mim. Com uma gemida mais forte e alta, Caio gozou, e logo desligou o chuveiro.
Eu nem havia gozado, mas sai dali antes que ele me visse. Cheguei ao meu quarto e continuei a me masturbar até gozar. E finalmente fui tomar banho.
Ao sair do banho me deparei com André, que sorridente me perguntou se o banheiro já estava livre, eu lhe dei um beijo no rosto cumprimentando-o e disse que sim, indo para o meu quarto.
No dia seguinte, a tarde fui para a faculdade, o transito para variar estava infernal, e no carro veio a imagem de Caio na noite passada no banheiro, tentei inutilmente afastar aquele pensamento da minha mente, mas acabei me excitando novamente. Ao chegar da faculdade a noite, apenas Caio estava em casa, cumprimentei-o tentando não reparar em seu volume na calça , tomei meu banho, vesti uma camiseta velha de André que pra mim parecia um vestido uma calcinha pequena mas confortável e fui para o meu quarto estudar, mas acabei cochilando.
Acordei no meio da noite com Caio dando mordidas no meu bumbum, assustada expulsei-o do meu quarto, mas ele disse: ‘Aquele veado do seu namorado você deixa né? E eu que sou teu irmão e realmente te amo, você não deixa!!’. Eu: ‘Ele não é veado, e é meu namorado você gostando ou não, sai do meu quarto!!’ Caio: ‘Não vou sair daqui até que você deixe eu fazer o que quiser com você!’. Eu : ‘Você está louco? Você é meu irmão, não podemos fazer esse tipo de coisa!’. Caio: ‘Mas não foi isso o que você pensou quando voce me viu masturbando no banheiro, ou você acha que eu não percebi!?’. Eu: ‘Eu não sei do que você esta falando’. Caio: ‘Sabe sim, ou você deixa eu te comer, ou eu conto para a nossa mãe o que você anda fazendo com o seu namoradinho aqui em casa, e muitas vezes na cama dela!!’ Fiquei sem resposta, não sabia o que fazer, para a minha salvação, ao longe escutei o barulho da porta se abrir, e descobri que nossa mãe tinha chegado em casa.
Caio antes de sair do meu quarto disse: ‘Amanhã eu volto, pense bem na conversinha que tivemos’.
Fiquei completamente sem reação, e por conseqüência, mal dormi a noite com medo que ele voltasse fazendo mais alguma chantagem. Na noite seguinte para meu alívio minha mãe não teve que trabalhar, então ficou conosco a noite toda, mas assim que podia Caio passava a mão na minha bunda, xaninha e seios. Com aquela situação acontecendo, eu nem sequer pensava mais no pau de Caio, e naquela noite pude dormir sossegada.
No dia seguinte, não vi Caio pela manhã. Ao voltar da faculdade não havia ninguém em casa, mas depois de algumas horas apenas André chegou em casa, que me cumprimentou e foi para seu quarto, como Caio não voltara da academia com André, então imaginei que ele passaria a noite fora com uma de suas inúmeras mulheres. E fui para o meu quarto de banho tomado, e me deitei tranqüilamente para dormir.
No meio da noite, mais uma vez acordo com Caio dando mordidas no meu bumbum, ao perceber que eu havia acordado, perguntou: ‘Eae maninha gostosa, pensou na nossa conversinha? O que vai ser hem?’. Como eu nada respondia, Caio abaixou minha calcinha e começou a chupar minha xaninha, e eu mesmo achando tudo aquilo errado, comecei a gostar, já me via perdida nas mãos de Caio, não via alternativa. Então como que por encanto, lembrei que André estava em casa, e tinha certeza disso, pois ele ouvia música em seu quarto. Reuni as poucas forças que tinha, sai das mãos de Caio, e apenas com a camiseta velha de meu irmão, que deixava de fora quase toda a minha bundinha, corri para o quarto de André, e com lágrimas nos olhos disse: ‘André me ajuda por favor, o Caio ta doido!’
Os biquinhos dos meus seios marcavam a camiseta, e senti André me comer com os olhos. Caio chegou logo em seguida no quarto de André de calças arreadas. André se levantou da cama e disse para Caio: ‘Porra mano, sempre dividimos tudo, e agora vai querer nossa irmãzinha só pra você!?’ Eu gelei, achei que indo para o quarto de André estaria salva, mas estava acontecendo exatamente o contrário. Caio: ‘Foi mal mano!’, e trancando a porta do quarto Caio terminou de tirar as roupas.
André me jogou na cama e segurando meus braços com uma mão, e tampando minha boca com a outra disse: ‘Fique tranqüila maninha, vamos lhe tratar muito bem, sempre quis te comer e Caio também, só faltava-nos a chance, e aqui está ela e nós não vamos desperdiçá-la’. Caio: ‘Não vamos mesmo!!’ Eu me debatia e chutava, André tampou minha boca com algum pano, tirou minha camiseta e começou a chupar meus seios, enquanto Caio segurava minhas pernas e chupava minha xaninha. Logo eu já não tinha mais forças para me debater, e simplesmente deixava que eles fizessem o que queriam.
Caio percebendo minha desistência em lutar tirou o pano da minha boca, e veio para me dar um beijo que eu instantaneamente recusei, virando o rosto, o que resultou um tapa no meu rosto. Eu vendo que não tinha jeito aceitei o beijo de Caio, era forte e sensual, Caio fazia sua língua brincar com a minha e mordiscava meus lábios chupando-os, aquele beijo me fez delirar. Em seguido o beijo de André, que beijava mais calmamente, chupando minha língua e lábios.
Caio chupava meu seio esquerdo e brincava com minha xaninha enquanto André chupava meu seio direito e brincava com meu cuzinho. Eu estava começando a gostar rebolando nos dedinhos dos meus irmãos. Caio soltou minhas mãos e se ajoelhando em minha frente ordenou que eu o chupasse, me apontando seu mastro extremamente grosso. E enquanto André chupava e lambia minha bucetinha eu mamava bem gostoso no pau de Caio, chupava suas bolas e mordiscava a cabecinha de seu pau. Logo André também quis e tirando seu pau p/ fora da bermuda, que era exatamente igual ao do irmão gêmeo, mandou que eu o chupasse também. Logo eu estava com dois paus na boca, lambendo e punhentando meus dois irmãos. Eu já estava adorando a brincadeira e chupava-os com gosto.
Caio se deitou na cama e mandou que eu sentasse no seu pau, o que eu fiz já sem reclamar nem um pouco, a pica de Caio era grossa e me preenchia toda por dentro, era uma delícia, tanto que eu mal conseguia chupar o pau de André, que logo começou a foder minha boca.
André já não agüentando mais, deitou-se sobre mim forçando seu pau no meu cuzinho, e sem dó nenhuma enfiou-o todo dentro de mim, eu gritei de dor, pois havia perdido a virgindade no cuzinho com o meu namorado, que tinha o pau mais fino.
Acabei me acostumando com a rola grossa de André no meu cuzinho, os dois faziam movimentos alternados, enquanto Caio enfiava na minha xaninha, André tirava no meu cuzinho, e vice e versa. Eu nunca tinha feito dupla penetração, e estava adorando, rebolava e pedia mais, gemia, estava alucinada, senti meu corpo todo tremer, e com um grito anunciei: ‘aAaahh eu voou goozaaar...’. Nenhum dos dois havia gozado ainda, então resolveram trocar de lugar, André me pegou no colo enfiando na minha xaninha, enquanto Caio vinha por trás fodendo meu cuzinho. Era demais a sensação de ter dois paus dentro de mim, logo eu estava excitada novamente, rebolava e pulava no colo de André, enquanto Caio bombava forte no meu cuzinho. Não demorou muito para que os dois me enchessem de porra e eu gozando junto com eles.
Caímos exaustos os três na cama, passados alguns minutos de risos, eu já estava querendo mais, me ajoelhei na cama, punhetando os dois, chupava um, lambia outro, e assim foi até os dois estarem em ponto de bala novamente, e então eu pedi: ‘Eu quero sentir os dois de novo dentro de mim!’ Sentei com o cuzinho no pau de Caio, abri bem minhas pernas, com as duas mãos abri minha xaninha olhei pra André e disse: ‘Vem cá foder sua maninha vem’, parece que aquelas palavras o deixou louco, pois ele veio que nem um animal pra cima de mim, socando forte na minha xaninha.
Transamos muito a noite toda, sempre fazendo DP. No final da noite após Caio cair no sono, dei mais uma vez o rabinho para o André, que depois de gozar dormiu com o pau dentro do meu cuzinho.
Depois dessa noite sempre transo com Caio e André juntos, ou com um de cada vez de 2ª a 6ª, e de final de semana com meu namorado.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Webcam ligada flagra supostos irmaos fazendo sexo no beliche



Link para o video completo: http://www.gerasexo.net/video/Webcam-ligada-flagra-supostos-irmaos-fazendo-sexo-no-beliche/?v=ZWX4X0EO

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Webcam notícias, confissões

Crônica ou divertimento sério sobre os diálogos na webcam
________________________________________
" Eva e seu travesseiro vibrador Geli: segunda-feira, 15 de junho às 21:30
Webcam Capture: Um casal de estudantes "
Estudantes se expõem na cam
Por webcam54

um casal de estudantes se exibindo na cam simula incesto entre irmão e irmã
É isso aí, o verão está se aproximando, as aulas da universidade estão acabando e como todos os anos vemos uma enxurrada de alunos em sites com webcams impertinentes, ou para passar o tempo, ou para por algum no bolso . Vai para YourWebcam para persuadi-lo. Ao visitar este site, encontramos duas novas tendências:
1 - alunos desenvolvem cenários cada vez mais sofisticados para excitar os rapazes. A tendência é para casais de estudantes que se apresentam como irmão e irmã e mostra o incestocomo oferta. Por exemplo: X3MPleasure , JouerCpl , PornoCoupleXXX , WildGames , SexyCouple . E tem ainda duas irmãs Cats2Play , mãe e filha 2PornBitch , mãe e filho Cats2Play e pai e filha ZackAndZoe .

2 - Por ter pouco dinheiro para ir para casa, há cada vez mais e mais estudantes estrangeiros como russos, romenos, e polonêses em particular. Assim é o caso: Millena , BelleCoquine , SweetLya , SweetBlondeDesire , dom , Flor , NadineHot , CatrinaXxx , PatriciaX , HotHeartX
Tags: amador , amadora , estudante , aluno , aluno desobediente , cam aluno , aluno exibicionista , cam , cam para cam , vadia cam , cam sexy , captura cam , webcam captura , exposição dos estudantes , webcam , webcam sexy

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011