quarta-feira, 27 de abril de 2011

Incesto com a minha irma gostosa



Tenho 18 anos e sou meio tímido. Tive uma namorada com quem tive poucos relacionamentos sexuais que foram razoavelmente satisfatórios.
Porém faltava sempre alguma coisa, uma química, não sei bem o que era.
Sempre tive uma intensa tara por mulheres com peito de silicone. Não aqueles enormes e sim aqueles durinhos, empinadinhos e médios.
Há alguns meses o marido de minha irmã por parte de pai (a chamada meio irmã), casada, foi passar dois meses nos Estados Unidos.
Como eram férias escolares, ela me convidou para que eu fosse ficar com ela pelo menos um mês.
Como sempre nos demos muito bem, fui ficar com ela.
Ela se chama Raquel, tem 30 anos, é uma morena de parar o transito, quando passa pela rua com sua bunda empinada, salto alto e óculos escuros enormes.
Quase que me esqueço, ela colocou recentemente silicone nos peitos o que deu a ela um ar ainda de mulher mais gostosa.
Reservou-me o quarto de visitas. Como gosto muito de filmes de suspense, ela me pediu que levasse alguns de meu gosto.
Quase todas as noites ela me chamava para seu quarto para vermos filmes de suspense. Ficávamos deitados na cama de casal, debaixo do edredon. Nas cenas fortes ela se agarrava a mim, com força encostando aqueles seios firmes em mim.
Aquilo começou a me deixar excitado, ela percebia e sorria com malícia. Mas jamais pensei em comer minha irmã. Isso estava longe dos meus pensamentos.
Certo dia, vendo um filme no qual uma mulher bonita e gostosa se despia e mostrava os peitos durinhos de silicone, Raquel me perguntou:
- “Você já viu de perto?
Fiquei meio sem graça, mas ela disse:
- ” Não fique assim, olhe!”
Desceu completamente as alças da camisola e me fez deparar com aquela maravilha.
Ela então guiou minhas mãos para que eu os tocasse. Não só toquei como passei a acaricia-los.
Ela sorriu, fechou os olhos e suspirou.
Quando parei ela abriu os olhos e disse:
- ”Vá em frente, sou uma mulher carente e você é um homem. Incesto sempre foi a minha grande tesão.”
Livrou-se então do edredon, terminou de tirar a camisola e me pediu, quase implorando, num sussurro sensual, que lhe chupasse os peitos.
Enquanto minha língua buscava aqueles doces e durinhos seios, ela se retorcia na cama. Então puxou minha cabeça para baixo e com a outra mão se livrou da minúscula calcinha de renda.
Compreendi que ela queria sexo oral. Era a primeira vez que eu iria fazer isso, mas confesso, adorei.
Ela, entre gemidos, ia me mostrando a maneira como ela gostava. Minha língua ávida lambia seu clitóris com rapidez e ela se desmanchou em gozo gritando:
- ” gostoso, gostoso, irmãozinho gostoso!”
Ficamos abraçados por um longo tempo e eu com o cacete duro como uma rocha.
Ela se escorregou na cama, até encostar a cabeça nas minhas pernas. As minhas experiências desse tipo também nunca tinham sido muito boas.
Dessa vez porém minha gostosa irmãzinha segurou meu cacete com suas mãos aveludadas e seus dedos longos (adoro) iam massajando com carinho.
Colocou-o naquela boca quente e fui às nuvens. Ela chupava, tirava da boca, lambia em volta, lambia a glande e voltava a chupar com volúpia.
Quando percebeu que eu iria gozar, aumentou o ritmo, até que gozei longamente. Ela engoliu toda aquela porra comentando que não era sujeira.
Pediu-me que fosse tomar um banho e me disse:
- ”ainda não acabou”.
Quando retornei do banheiro, novamente excitando, deparei com ela de olhos fechados, deitada de bruços.
Abriu os olhos e me disse:
- “me come agora, irmãozinho, mas quero fuder como animal.”
Deitei-me sobre suas costas, ela levantou a bunda, abriu bem as pernas e disse com voz rouca:
- “come sua cadelinha, come com vontade, quero ser sua.”
Então eu a penetrei. Jamais pensei que poderia comer uma mulher tão gostosa.
Seus cabelos longos encostavam no meu peito e eu não queria que terminasse nunca aquele vai e vem maravilhoso.
Minha pica batia no seu útero e ela gritava palavras impublicáveis.
Gozamos juntos entre urros, suspiros e suor.
Ela então me deu um gostoso beijo e disse sorrindo:
- “Durante algum tempo tenho meu amante em casa e da própria família. No próximo filme a que fomos assistir juntos eu quero que tenha uma cena de uma mulher dando a bunda. Nós então vamos fazer o mesmo, combinado?”
Fui para meu quarto satisfeito, meio confuso, mas convicto de que não cometi nenhum crime comendo minha gostosa irmã.

fazendo minha irmã de puta...



Ola, meu nome é Fabio junhior, tenho 30 anos. Quando eu tinha 18 anos descobri que tinha uma meia irmã, a principio nao tive nenhum interese. Foi quando ela ligou pro meu pai dizendo que queria nos conhecer, tudo bem ate entao, ela ja tinha 16 anos ja tava na hora. quando ela chegou vi aquela morena linda de olhos negros, bunda empinada, magra de pernas grosas fiquei espantado, so que pensei; poxa ela é minha irmã tenho que respeitar. forao se passando os dias e eu ficava cada vez com mais tesao na minha irmã. Ela gostava de conversa comigo e de ficar me abraçando, cada vez que ela me abraçava meu levantava. Foi quando um dia ficamos sozinhos em casa, ela me dise que iria colocar uma roupa nova e queria a minha aprovoçao, até ai tudo bem. Ela vestiu uma saia rodada e me perguntou se tinha ficado bonita, fixei meus olhos naquela bunda gostosa e aquelas pernas maravilhosas, meu pau ficou duro e ela percebeu. Fiquei nervoso na hora, ela me falou; o que é isso Fabio? por que voce ta de pau duro? eu sou sua irmã, eu pedi desculpas pra ela varias vezes e ela me falou pra ficar tranquilo. Ela continuol me perguntando a respeito da roupa, eu falei que tinha ficado otima, ela falou; só otima? eu completei linda tambem. Ela deu uma rodadinha e eu vi aquele volume de buceta naquele fio dental, eu disse a ela;porfavor nao faça isso comigo, ela me perguntou se eu nunca tinha visto uma buceta, eu respondi que buceta ja tinha visto mais nao da minha irmã, ela perguntou se eu queria ver a sua xoxota, eu dise sim, ela me falou que era só pra ver nada mais, eu disse tudo bem. Ela levantou aquela saia eu vi aquele fio atolado na sua bunda meu pau ficou duro igual apedra, eu pedi pra ela deixar eu po a mao por cima do fio ela deixou, eu comecei a acariciar sua bucetinha, ela disse pra eu tirar a mao porque fazia uma mes que ela nao dava pra ninguem, eu continuei, enfiei minha mao por de baixo do fio e atolei meu dedo na sua xana quentinha, ela gemeu, nao aguentei joguei ela na cama e comecei achupa sua buceta, ele pediu pra eu parar, mais eu nao liguei, pois sabia que a muitos dias ela queria foder comigo. Chupei tanto a sua buceta que ela gozou na minha boca, pois estava com muito tesao, ela me pediu pra ficar deitado, eu fiquei, ela tirou meu pau pra fora e começou a chupar do pé pra cabeça, ela chupava tao gostoso que nao segurei e gozei na sua boca, pensei que ela iria ficar brava, ao contrario ela engoliu toda a minha porra Ela tirou toda a roupa, e começamos a fazer um 69, e disse que queria ver meu pau todinho atolado na sua xana, ela deu mais uma chupada nos meus 18 centimetros e sentou em cima dele, ela sentava tao forte que meu saco doía, enquanto ela sentava eu enfiava meu dedo no seu cuzinho apertado. Fodi ela de 4 de lado e de pé, passamos mais de 2 horas nessa sacanagem. Continuo comendo minha irma até hoje, pois agora somos casados, mais ninguem sabe que ela é minha irma recebi minha herança e hoje moramos bem longe da nossa cidade, tenho dois lindos filhos com ela e vivemos muito bem.Nao me arrependo disso pois eu a amo e vou foder minha irma pro resto da vida. Se ela fosse sua irma voce tambem comeria ela, mais ela é só minha. nao vejo nada de errado nisso.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Taboo 2 cena quente entre os irmãos + flagra da mãe..imperdivel!







http://rapidshare.com/files/221905734/taboo2_cut-scene.avi
86 MB

Classic Incest Scene from Taboo 2

Simplesmente o melhor filme de incesto de todos os tempos!!






Megaupload links:
http://www.megaupload.com/?d=3NPXBPDZ
http://www.megaupload.com/?d=61GDJG9E
http://www.megaupload.com/?d=S9WULX4C
http://www.megaupload.com/?d=ZXPRRNBK
http://www.megaupload.com/?d=NP4N33SS
http://www.megaupload.com/?d=0XS49L4O
http://www.megaupload.com/?d=VES1QEXX
http://www.megaupload.com/?d=9ML5KT2F
http://www.megaupload.com/?d=ATIIGQ4D

Rapidshare links:

http://rapidshare.com/files/121989778/P_T2-KP_www.porn-zone.org.part01.rar
http://rapidshare.com/files/121989962/P_T2-KP_www.porn-zone.org.part02.rar
http://rapidshare.com/files/122002299/P_T2-KP_www.porn-zone.org.part03.rar
http://rapidshare.com/files/122005379/P_T2-KP_www.porn-zone.org.part04.rar
http://rapidshare.com/files/122028367/P_T2-KP_www.porn-zone.org.part05.rar
http://rapidshare.com/files/122027924/P_T2-KP_www.porn-zone.org.part06.rar
http://rapidshare.com/files/122034167/P_T2-KP_www.porn-zone.org.part07.rar
http://rapidshare.com/files/122040541/P_T2-KP_www.porn-zone.org.part08.rar
http://rapidshare.com/files/122044615/P_T2-KP_www.porn-zone.org.part09.rar

PASSWORD:

Code:
www.porn-zone.org

Minha irmã, minha namorada!‏



Ola,
Depois de muitos anos o que aconteceu em minha adolescência voltou a minha cabeça e lendo os relatos do site fiquei muito excitado, então resolvi contar o meu segredo.
Vamos la:
Quando eu tinha 18 e minha irmã 17 anos uns parentes vieram passar férias em nossa casa por 30 dias. Minha mãe cedeu o quarto de minha irmã a eles e colocou uma cama de campanha em meu quarto para ela. Isso me deixo muito excitado durante o dia pois não via a hora de ver minha irmã se trocando. As vezes falavamos de sexo, mas sempre com brincadeiras com uma amiga dela de escola. A menina vivia falando que adorava ver fotos de pessoas "se comendo". Minha irmã ficava muito curiosa. Naquela noite, minha mãe arrumou as camas e foi se deitar. Já na primeira noite ela se despiu para deitar e ficou com uma calcinha e sutiã azuis tranparentes em minha frente. Aqueles seios durinhos me deixaram doido. Eu ficava sondando ela depois do banho, pela fechadura do banheiro. Ela ficava de lado, em frente ao espelho, colocando aquele sutiã azul fininho e transparente. O bico dos seios quase furava aquele tecido tão fininho. Então naquela noite, qdo ela tirou o shrts e a blusinha, ficando só com aquela calcinha e sutiã azuis, perguntei: Quer deitar aqui comigo? E ela: Pra que? E se a mãe entrar aqui? Ai eu disse: A gente fica quietinho. Ela sorriu, disse, vc ta maluco né? Eu insisti. Falei: A gente fica bem quietinho. Ela não disse nada. Apenas se deitou ao meu lado...podia sentir a sua respiração ofegante. Passei a mão pelos seus seios, por cima do sutiã, meu pau ja estava latejando, então ela pegou com as duas mãos e puxou o sutiã para os lados e sorriu...eu comecei a beijar e chupar...estava maluco, não sabia o que fazia primeiro, então fiquei por cima dela beijando os seios e com meu pau entre suas coxas, um pouco acima dos joelhos. Foi qdo ela disse baixinho em meu ouvido: Vem mais pra cima. Fiquei esfregando meu pau por cima da calcinha, então ela puxou de lado, segurou meu pau e ficou pincelando em seu grelinho de olhos fechados com os lábios entre os dentes. Ela não parava, então meu pau latejando comecei a gozar sem parar entre os lábios daquela xaninha deliciosa. Ela percebendo, me beijou demoradamente, me apertou contra sue corpo. Ficamos mais alguns minutos naquela posição. Estavamos todos melados. Deitei ao seu lado e ela ficou brincando com minha porra sobre seus pentelhinho ralinhos. Perguntei? Você gostou? Ela concordou com a cabeça e disse baixinho: Quero que você faça isso aqui dentro, apontando pra sua xaninha. Eu estava tão excitado ainda, mas ao mesmo tempo com medo que minha mãe abrisse a porta e visse nós dois daquele jeito. Ela com a calcinha perto dos joelhos, toda gozada e eu ainda de pau duto ao seu lado. Então disse: Vá se limpar. Ela ficou me olhando, ai se levantou e foi ao banheiro se limpar. Voltou, me deu outro beijo, e se deitou em sua cama. Nas outras noites que se seguiram, transamos várias vezes, sempre bem quietinhos. Algumas vezes ela começava a gemer, então eu a beijava, para abafar seus gemidos. Sentia tanto tesão e ao mesmo tempo um carinho enorme por ela. Tão delicada e cheirosa. Na segunda noite pedi que pegasse em meu pau. Ela bateu a punheta mais gostosa que ja tive em toda minha vida. Lentamente ela subia e descia com aquela mãozinha delicada, pedi que lambesse um pouco pra ficar mais gostoso. Ela lambia e batia, lambia e batia, então falei que não estava mais aguentando e ela rapidamente pegou minha mão e colocou em meu pau e disse: Vai, bate pra mim, colocando aquelas mãozinhas delicadas em forma de concha na frente. Naquele momento comecei a gozar muito. Umjato atras do outro. Eles passavam direto sobre suas mãos e iam direto naqueles peitinhos, pescoço. Ela ficou toda lambuzada, me olhando como se não esperasse tanta porra assim. Pegou a calcinha e começou a esfregar nos seios e no pescoço.Peguei seu sutiã e comecei a ajudar. El seguida olhamos um pro outro e começamos a rir. ela colocou a mão na boca, pra abafar o riso e acabou se lambuzando ainda mais. Ai falou: Tem gostinho de nada...rsrsrsr. Eu Disse: Passe mais, então ela começou a lamber a calcinha. Era a visão mais linda qeu eu podia ter. Em duas a três noites minha irmã fez mais coisa comigo do que a maioria das namoradas que tive nos anos seguintes. Ela estava tão curiosa com meu corpo quanto eu com o dela. Me perguntava se ele ficava assim tão duro a qualquer hora. Respondi que sempre que via uma garota linda e gostosa como ela. Ai ela falou: E como você se vira na escola? Tem tanta menina gostosa. Eu respondi: Ah...as vezes vou ao banheiro e bato uma punheta pensando nelas...ai passa. Então ela disse com um olhar safado: Você já fez pensando em mim? Claro, várias vezes. Você é a menina mais linda e gostosa que conheço. Eu fico cheirando tuas calcinhas depois que vc tira. Ela arregalou os olhos e disse: Você é doido mesmo, mas eu te amo mesmo assim. Você é a pessoa que mais me faz feliz. Por tua causa eu melei minha calcinha hoje na escola. Fiquei lembrando do que fizemos ontem. E assim foram passando os dias, uma angustia foi tomando conta de mim, pois aqueles 30 dias estavam voando. A cada noite faziamos amor mais gostoso. Descobrimos nossos corpos e o prazer que nos proporcionamos. Não quero tormar este relato uma pornografia, pois havia muito amor entre nos, mas chegamos ao ponto de fazermos sexo nos fundos de casa durante a tarde, pois não conseguia esperar até a noite. Ela tirava a calcinha no banheiro, ia para o quintal, tinhamos muitas bananeiras, ai ela fica de frente para muro, eu levantava sua saia, e a comia em pé, com minhas mãos apertando aqueles peitinhos durinhos. Hoje somos casados, temos filhos e nunca mais tocamos nesse assunto. Não sinto nenhum arrependimento pelo que fizemos, acredito que ela também não. Queria que o tempo tivesse parado. Queria aquele anjo de menina por todos os dias de minha vida. Pois aqueles 30 dias,me fizeram mais feliz do que toda minha vida.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Shy And Sensual Sister ( tradução Bella )


Traduzido maravilhosamente por nossa colaboradora e incestuosa aposentada ( diz ela que não pretende dar mais para o irmão ) Bella Maria Flores..obrigado pela colaboração gatinha..



Recentemente, minha irmã de 27 anos Samantha foi passar o fim de semana na casa dos meus pais, onde eu ainda vivia, porque o namorado de dois anos tinha terminado com ela e ela precisava de um lugar para ficar. Ela estava deprimida e frustrada com a separação e um bocado confusa... Estava se sentido perdida e sofria muito . Eu me senti mal por ela. Por que alguém iria terminar com ela? Não entendo! Ela é linda! De verdade; longos cabelos castanhos, magra, alta, e suavemente feminina. Ela é uma jóia escondida, ao mesmo tempo em que é muito atraente é tímida e tem uma voz mansa e doce , é uma daquelas garotas que é bonita, mas não tem consciência disso, e não sabe usar a beleza que possui. Eu com 22 anos na época, e por causa da nossa diferença de idade não tínhamos uma relação tipicamente antagônica irmão-irmã, em vez disso nos dávamos bem, eu era maduro para minha idade. Estávamos sentados no sofá entediados e ela disse que precisava sair de casa, então me perguntou se eu queria ir ao shopping. Claro, vamos. No shopping, andamos vendo as pessoas e checando as vitrines das lojas de roupas. Descobri que eu gostava de andar lado a lado com ela, se as pessoas confundiram-na como minha namorada, estava tudo bem pra mim. Ainda mais porque ela estava vestindo uma mini-saia branca, que a deixava maravilhosa, porque mostrava sua melhor característica:as belas e longas pernas. tem caras que preferem "mais carne nos ossos" talvez não gostem dela , mas eles não tem noção... pelos menos na minha opinião, eu gosto de pernas finas. Me deixa louco ... mas ... ela é minha irmã, então eu não sou tão louco, e só estava fazendo uma análise objetiva é tudo.
Sentamos em um banco no meio do shopping e conversamos. Ela me contou sobre seu ex-namorado, melancolicamente passando por cima de alguns detalhes de como e os porquês do fim do namoro."Eu estou ficando velha", disse ela."Você só tem 27, não está velha. Vinte e sete é mais nova que trinta e sete ... Espere, desculpe. Não importa. "Ela riu, o que me fez sentir melhor. "E você? Como vão as coisas com Alyssa? ", Perguntou ela. Alyssa era uma menina que eu estava vendo há alguns meses. "Ah, não é mau. Eu estou tentando manter minhas opções abertas. ""O que isso significa ?", perguntou ela."Estou tentando construir um harém."Ela socou levemente meu braço. "Mas, falando sério, eu disse:" Eu estou procurando uma garota ... bem, você sabe o quê? Para ser perfeitamente honesto, uma garota assim como você ... ""Como eu?" "Sim, só que com um gênio melhor."Ela sorriu e bateu no meu braço novamente. "Você abusava assim do seu ex?" Eu brinquei esfregando meu ombro."Não. Mas, realmente, o que quer dizer uma garota como eu? "
"Hmm." Dei-lhe algum tempo pensando, essa conversa estranha era sem precedentes, mas eu fui com o fluxo. "Vamos ver ... Elegante ... Feminina ... Tímida ... gosta de fazer sanduíches ... " Eu cobri meu ombro antes que ela me batesse. "Grrr". Ela fez aquele som sexy que as garotas fazem quando ficam frustradas. "Obrigado, no entanto," ela disse. "E o que mais?"
"Hum. .. Sou um grande fã de pernas longas e finas. "quando eu disse isso ela olhou para as pernas cruzadas, sorriu e desviou o olhar. Estranho? Eu sorri e a deixei sentada lá, permitindo que a tensão se infiltrasse. Eu realmente estava gostando disso."Mas eu preciso de mais do que beleza ..." Eu suspirei e olhei para as pessoas passando. "Você pode encontrar isso em qualquer lugar ..."Eu estava sendo sincero, mas eu também disse de propósito para deixá-la mergulhar em seus pensamentos. Tive a realização gritante que eu estava cantando na minha própria irmã. A conversa terminou e nos sentamos em silêncio por algum tempo. Eu vi uma sorveteria há algumas lojas a baixo e perguntei se ela queria alguma coisa. Ela fez que sim, mas esperou no banco, porque tínhamos andado muito. Comprei duas taças de sorvete e quando me aproximei ela chegou lentamente para trás para me dar um espaço ao lado dela. Sentada no banco olhando na direção oposta, soltando levemente as pernas cruzadas, cabelos ondulados castanho fluindo, uma procura solitária e ... sedutora. E foi isso. Algo se apoderou de mim, um forte desejo para esta garota, minha irmã, essa criatura maravilhosa e feminina. Não. Nãããão!

Comemos nosso sorvete em silêncio. Quando ela olhou para longe, meus olhos encontraram o caminho para as pernas dela, agora descruzadas e os joelhos separados por cerca de dois centímetros, tracei uma linha até o suas lindas coxas e a área do quadril, coberto por uma mini saia branca, e o pensamento da buceta dela brilhou na minha mente.Fácil! Faaaaacil! Whoa. Primeiro, minha irmã não tem uma buceta, ela tem uma vagina, certo? E segundo, eu não deveria pensar nisso. Minha mente não concordou, e eu quis saber como o clitóris da minha irmã era. Como eroticamente era o clitóris da minha irmã Samantha, aqui, a alguns centímetros de distância de mim entre as suas pernas. De repente eu queria meter o dedo e fode-la aqui no banco, talvez pingar o sorvete na buceta dela e lamber. Suco da xana da Sam e sorvete. Parece delicioso. Foooda-se!
"Então, você quer ir para casa?" Eu disse depois de recolher e descartar os meus pensamentos obscenos e incestuosos. Mal sabia ela."E fazer o que lá, nada? Ugh. Vamos fazer algo. ""Como?"Ela pensou por um momento. "Ei, vamos para Porto Jeff e passear." Ela estava se referindo ao cais de Port Jefferson, Long Island, cerca de quinze minutos. Perto do cais ferry há um calçadão, lojas típicas e alguns bares e clubes. É um lugar popular para visitar e passear para casais e pessoas em geral. "Parece bom, vamos lá", disse eu. O pensamento de andar naquele lugar com minha irmã estava meio estranho, porque era mais para casais e famílias. Epa! Somos uma família. Enfim. Chegamos lá, encontrei alguns lugares no estacionamento, e nós demos uma volta ao redor da cidade. Foi uma noite de sexta, e ela estava falando, rindo e se divertindo. Ela estava iluminada com um ótimo humor e era bom de ver. Eu percebi caras olhando para ela, o que não surpreende quando se considera a mini saia e pernas lindas. A calçada estava lotada por isso às vezes tivemos que passar quase que esfregando um contra o outro, muito contato corporal, mais do que irmãos devem ter. Algumas vezes eu coloquei minha mão nas costas dela para "guiar". Você sabe, aquele movimento. Houve um aumento da tensão sexual entre nós, pude senti-lo."Vamos pegar uma bebida", disse ela. Vamos ali naquele clube / bar, ela quis ir em um lugar com música alta e dança. Um mercado de carne real. Entramos e pegamos duas bebidas no bar e sentamos em alguns sofás ao longo da parede. Agora eu realmente senti que eu estava com minha namorada, e eu estava esperando os caras neste lugar também pensarem assim, porque eu não queria ver ninguém dando em cima dela. Éramos duas placas rígidas sentadas ali, não falavamos, e eu estava esperando que o álcool me ajudasse, porque esta situação estava ficando desconfortável. O que estávamos fazendo aqui? Ela disse em voz alta sobre a música: "Eu vou pegar mais bebida, já volto."Enquanto ela estava no bar um cara começou a falar com ela. Eu sabia, que merda. Eu senti dores de ciúmes, o que é ridículo. Eu não acho que ela tinha qualquer noção sobre isso, mas eu fiquei olhando fixamente para eles, na verdade, tentando ler seus lábios enquanto isso a música desapareceu na bruma de uma baixo nível de ruído e as pessoas ao meu redor tornaram-se um borrão. Eu quase fui até lá para agarrá-la e trazê-la de volta, mas depois de alguns minutos ela se afastou para longe dele. Atuei frio e indiferente quanto humanamente possível, quando ela voltou. "Então ele pediu o seu número?" Eu sorri. "Nah, eu lhe disse que tinha um namorado, e eu apontei para você." Ela me olhou com um sorriso malicioso. Interessante, as coisas estavam esquentando aqui.
"Boa menina.""Ele não era meu tipo de qualquer maneira." "Porque, qual é o seu tipo?"Ela tomou um grande gole de seu drinque e se inclinou para mim.
"Alguém como você, com exceção do gênio difícil", disse ela.Eu ri. "Essa é boa. E quanto a mim? " "Eu não sei ... você é meu irmão, mas ... Eu me divirto saindo com você. " "Mesmo assim, eu disse. "É muito ruim você é jovem demais para mim.E isso me lembra, você me faz rir", disse ela. "Você quer dizer, muito ruim eu ser seu irmão.""Eh, inconvenientemente ruim." Ela sorriu e abanou a cabeça.
Sentamos em silêncio por um tempo divertido em que a conversa e o burburinho da bebida começou a se aproximar. Estávamos sentados juntos tão juntos que os nossos pés estavam se tocando, e não havia nenhuma maneira de ser só um acidente. Eu tinha que tomar uma decisão. Esta miúda, a minha carne e irmã de sangue, definitivamente me fez desejá-la justo agora. O que eu ia fazer? Isso não seria totalmente perverso?
Fomos lá para fora para em uma área mais tranquila do pátio, onde as pessoas estavam agarradas uns aos outros namorando se abraçando, beijando levemente, andamos até um perímetro e ela encostou-se em uma grade de madeira. Notei que ela tinha um botão aberto na blusa, expondo uma quantidade sexy do seu seio e um pedaço do sutiã branco. Perfeito. Eu andei até ela e fiquei de propósito há alguns centímetros de distância, e ela me olhou com um sorriso curioso."Sim", ela disse. "Você não deve andar como este botão, é um bocado ... muito aberto. "Cheguei minhas mãos até seu peito e, lentamente fechei o botão. A energia sexual fluiu como uma eletricidade passou de seus peitos para minhas mãos. Ela olhou para baixo."Oh, obrigado", disse ela, corando. Quando ela olhou para cima me aproximei e a beijei, pressionando levemente meus lábios nos seus lábios macios e úmidos, apenas por alguns segundos. Tonto cai em um estado de sonho com uma luxúria arrasadora, e quando eu levantei a cabeça de volta eu fiquei nervoso como o inferno sobre como ela poderia reagir. Ela manteve os olhos fechados por um momento, até abri-los. De repente, ela empalideceu e uma expressão alarmada atravessou seu rosto. Ela colocou a mão sobre o peito como se estivesse sentindo o seu coração."Eu tenho que sentar."Encontramos alguns lugares. "Você está bem?" Eu perguntei a ela. "Yeah. Nós devemos ir. "Cara, ela parecia arrasada de repente. Bem, isto não foi legal, eu deveria estar ajudando a minha irmã e não ficar pensando em coisas e ao invés disso ela vai acabar fazendo terapia. Caminhamos até o carro e ela entrou."Eu tenho que ficar aqui por alguns minutos e deixe o barulho passar antes de dirigir", eu disse."Ok".Ficamos em silêncio por algum tempo até que ela falou.
"Você não deveria ter feito isso", disse ela."Por que não?""É só ... não está certo. E se alguém que conhecemos, viu gente? ""E dai"."Merda". Ela suspirou. "Por que você é meu irmão ... e tem 22." "Espere, o que é pior, a coisa de ser irmão ou ter 22?"
Ela riu. "Ambos. Você não deveria estar dando em cima de mim, você sabe ... sou sua irmã mais velha. "
Um olhar falso confuso cruzou meu rosto. "Quando eu dei em cima de você ?"
"PSH, começou no shopping. Lembra-se de "Eu sou o tipo de garota que você está procurando?
"Eu estava apenas sendo honesto", disse. "Você me fez uma pergunta e eu respondi. Eu não queria dizer que eu queria você, literalmente. Eu só quis dizer... "Ela me cortou. "E eu não sou fácil de lidar." "Você poderia ter me enganado depois desta noite."
Ela sorriu e me deu um soco no braço. Peguei o pulso dela antes, ela puxou-o para trás, não como uma louca, mas de leve, e eu esperava que ela fosse lutar para ficar livre, mas não . Beijei sua mão."Venha aqui", eu disse. Eu cem por cento não esperava que ela viesse, mas ela olhou para a frente, os olhos dela voltou correndo para frente e para trás como se sua mente estivesse correndo, e ela deslizou mais para perto. Uau, fiz um esforço mental para me controlar. Eu coloquei meu braço em torno dela, que sensação incrível, e puxei-a para mim. Ela tinha um cheiro celestial. "Veja, isso é bom. Não é grande coisa. " "Isso parece estranho." Ela disse.
Eu beijei o lado da cabeça dela algumas vezes. Ela deu uma risadinha.
"Por que isso é engraçado?" Eu perguntei."Você está beijando a minha cabeça."
"Isso é o que ... as pessoas fazem nessas situações. Você não é virgem é ? "Eu provoquei.
“ sim, certo", disse ela, incrédula."Porra, oh merda. Vou deixar que venha. "
Ela riu e olhou para mim. Eu a beijei, beijos lentos, românticos e amorosos, mas rapidamente se intensificou até que ficaram intenso... foda ... senti tanto tesão que não conseguia segurar mais. Eu coloquei minha mão em baixo na blusa dela e acariciei seus seios lindos, macios e deliciosos. Incrível! as mamas de minha irmã. Quando cheguei em seu sutiã, o seus mamilos já estavam duros na minha mão um arrepio percorreu meu braço. Ela olhou para as janelas do carro para ver se as pessoas podiam nos ver, mas estávamos em uma área bastante isolada do estacionamento. Além disso as janelas estavam embaçando."Vamos para o banco de trás, há mais privacidade lá ", eu disse.
enquanto eu fui para trás ela voltou para seu lado. Má jogada. "Porquê?" Perguntou ela. "O que vamos fazer ai?" "Eu vou foder você." eu disse "Ah, é mesmo!? Psh! Psh! Ela estava irritada! "Certo, vamos falar então. Foi só uma idéia.” Eu sentei lá na minha solidão e ela ficou na frente. "Não, nós não estamos fazendo isso. Aqui? Não. Quero dizer, você tem um preservativo?" disse ela. "Na verdade, no porta luvas", eu disse. Ela balançou a cabeça e verificou. "Mesmo se houver um preservativo aqui não importa, isso não vai acontecer de qualquer jeito. Eu nunca...como... não conhecia este lado dela . Estava surpreso. É engraçado. "Não há nada aqui dentro", disse ela. Fiquei ali sentado, olhando relaxado, enquanto minha cabeça girava a mil. Eu tinha uma visão de suas pernas e eu queria estar ali no meio, enquanto eu observava seus seios saltando com a movimentação dela eu a agarrei. Eu pensei em ir devagar com um pouco de paciência, para ela não ficar brava novamente. Assim nós nos sentamos em silêncio por alguns minutos, então, ela pulou e se em mim, e riu o alto . Me surpreendeu ainda mais porque ela subiu no meu colo de frente para mim, abrangendo-me com as pernas compridas e espetaculares, e me olhou com um sorriso diabólico. "Bem, veja quem saiu do seu casulo!" Eu disse. "Cale a boca!" Ela plantou um grande e gordo beijo na minha boca de língua, parecíamos dois adolescentes desesperados. Tomei a iniciativa e coloquei a mão sob sua mini-saia e esfreguei minha mão entre suas pernas. Senti que ela usava uma calcinha de algodão e sua buceta era quente e molhada... deliciosa , eu podia sentir e ouvir a umidade através do pano. Eu decidi rapidamente que não ia enfiar o dedo nela, eu queria que a primeira entrada nela fosse meu pau duro como ferro. Então, mudei a minha atenção para as mamas dela e desabotoei sua blusa, e ela desabotoou o sutiã nas costas e olhou em volta para fora nervosamente. Os seios dela eram um pouco menos de tamanho médio, bonito e redondo, e ela era magra o suficiente para que você pudesse ver suas costelas, que teve o efeito de acentuar e definir claramente as mamas dela. Eu adoro isso. Eu mergulhei e chupei os seios da irmã como um homem que acabou de encontrar um oásis no deserto. Esfreguei meu rosto em cima deles, chupava os mamilos duros, mordisquei, lambi, molhando todo seu peito. Ela jogou a cabeça para trás e soltou um forte, rápido gemido e assistia fascinada, como se ela não podia acreditar que seu irmão mais novo estava se deliciando em seus peitos.
De repente, ela mergulhou! Ela se abaixou e escondeu junto de mim. "As pessoas! As pessoas estão chegando! " Ela sussurrou em voz baixa.
Eu me abaixei também, e ela estava deitada de costas com as pernas parcialmente abertas. Perfeito, enquanto eu estava aninhado a minha cabeça entre as pernas dela..."Espere!",ela Disse. Foda-se. eu pensei, eles não podem nos ver aqui em baixo, as janelas estão muito embaçadas e isso bom . Levei minhas mãos e comecei a tirar sua calcinha, o que acabou por ser de algodão, azul claro, e eu notei uma pequena reverência à banda Aw. Eu esperava resistência e protesto, mas ela riu e levantou a bunda para deixar deslizar até o fim de suas pernas lindas. Tive que sentir o cheiro da calcinha dela, é uma tara. Segurei ela ao meu rosto e respirei fundo e disse: ahhhhh!!!!! Ela tentou empurrá-la para longe do meu nariz.
"Não, pare!", Disse ela, rindo. Eu ignorei ela e olhei entre suas pernas, mas ela timidamente cobriu sua buceta com as mãos. Adorável!!!! Eu beijei seu joelho e trabalhei a minha maneira até sua coxa, e se você colocar uma cobertura de sorvete nessas pernas eu teria comido a coisa toda.Comecei a beijar as mãos dela que escondia a xana e ela me estendeu as mãos descobrindo, ela fez uma resistência simbólica, e lá estava ela, revelando-se. A buceta era magnífica, a xana da minha irmã. Ela tinha pouco pelo bem desenhado, lindo. Foooooda!! Quem pensou que eu teria a minha cara a uma polegada de distância dela. Eu não quis e ir devagar, meti minha cara lá e lambi o clitóris e os lábios encharcados como um cão faminto. Ela arqueou as costas e soltou um gemido forte. Ouvir o gemido de prazer da minha irmã foi musica para meus ouvidos. Rapidamente os fluidos da buceta dela estava todo na minha cara, mas eu não usei nem o dedo ou a língua nela. Foda! Eu realmente queria meu pau lá dentro, e eu queria fodê-la agora, enquanto tudo ia bem. Isso me lembrou da falta falta de preservativo. Vamos ver como ela vai reagir a isso.Depois de engolir bastante do gozo da Samantha, eu me inclinei para trás e sentei no banco, tendo uma pausa, esperando que ela fosse fazer alguma coisa. E como a boa menina que ela é, ela se inclinou para frente e ficou de joelhos ao meu lado e começou a abrir minha calça. Eu amo essa garota.
Ajudei-a a tirar as calças e a cueca, e meu pau rígido saltou para fora, e ela olhou para ele com admiração, e não temor, porque ele tem 27,94 centimetros? não não é isso, mas é um bom tamanho. Mas eu temia e não era isso a minha preocupação , meu temor,era porque ela estava vendo o pinto do irmão, pela primeira vez ... tão erótico, proibido e impertinente. Ela não perdeu tempo e tomou conta dele, e, oh!! Isso é bom!! Ela deslizou os lábios molhados de cima para baixo, e a sensação dos lábios da minha irmã no meu pau me deu um tesão sobrenatural , adicione a visão de sua cabeça balançando para cima e para baixo e seu lindo cabelo castanho que descia para o meu quadril, cara isso foi tão bom! Eu segurei a parte de trás da cabeça dela enquanto ela sugava, e ela torceu a cabeça e senti sua língua na minha pele, ela não estava me dando um boquete, ela estava fazendo amor com meu pau. Não é apenas algo que eu esperava da minha irmã, quieta e tímida, muitas vezes as garotas quietas são as mais sexuais. Mas realmente eu precisava fodê-la. Eu coloquei minha mão sob o queixo e virei seu rosto para mim, e ela olhou para mim como um cachorrinho curioso com a boca molhada com saliva e o meus fluídos. "Venha aqui", eu disse. Puxei ela e ela ficou em cima de mim novamente, me abrangendo , pinto e buceta apenas alguns centímetros de distância. A beijei com amor e provei a mim mesmo, não é mau. Ela se inclinou para trás e ficamos lá por um momento, travando a respiração, provavelmente pensando a mesma coisa. Ela olhou para fora das janelas do carro novamente, e então olhou para mim de novo, olhamos um nos olhos do outro."Você está tomando anticoncepcional?" Eu perguntei."Sim", disse ela. Fiquei aliviado, o que era bom o suficiente para mim nesse momento.Eu apertei a bunda dela e a puxei para a frente, agarrei meu pau e esfreguei para cima e para baixo nos lábios de sua buceta, esperei uma reação dela. Nada, nenhum protesto, nenhuma palavra, nada. Eu guiei a ponta do meu pau para o buraco molhadinho dela, e não hesitei, enfiei meu pau em sua boceta escorregadia, e levantei meu quadril para cima, empurrando na medida em que eu podia. Uau. Ela jogou a cabeça para trás e soltou uma série de suspiros e gritinhos fortes e afiados com os olhos fechados. Uma sentimento insuperável de felicidade passou por mim, estar enterrado profundamente dentro de sua xana quente e suave, a pele sobre a membrana interna, irmão dentro da irmã."Oh meu deus," ela sussurrou, e começou a mover os quadris ritmicamente para cima e para baixo, montando-me lentamente. Ela inclinou a cabeça para olhar a visão única e erótica de... porra irmão e irmã. Sua boca estava entreaberta, lábios, cabelos, molhados caídos, seios expostos. Ela era uma explosão de sexo apaixonante. Ambos assistimos a penetração fascinados. Tendo tudo tudo dentro, pegamos um ritmo constante, até que ela estava pulando em mim e eu estava batendo em seu clitóris e meu pau na sua molhada boceta. Os seios dela estavam por todo o lugar e eu agarrei e massageei-os para mantê-los estáveis, apenas ajudando nisso."Tire antes de gozar, ok?", Disse ela, ofegante em um tom sério."Ok"."Prometa-me.""Eu prometo. Deixe-me saber quando você vai gozar ", disse ela. Eu estava indo para tentar o meu melhor para deixá-la gozar primeiro , esperava que eu pudesse durar tanto tempo. Senti meu corpo até chegar a orgasmo."Eu vou ..." ela sussurrou. Isso foi rápido."Olhe para mim", eu sussurrei de volta. Peguei uma moita de cabelo na parte de trás da cabeça dela, com força, levando-a a me encarar. Nossos olhos se encontraram, e cada vez que ela desviava eu segurava o cabelo dela apertado como uma forma de lembrá-la de ficar focado em mim. Eu bombeava nela em um ritmo constante, rápido, nossos quadris batiam juntos, eu podia sentir e ouvir o seus fluidos jorrando de sua xana. Estudei seu rosto, caindo no amor sexual com minha irmã. Sua respiração ficou mais rápida e curta, seus olhos tinham um olhar sexual e sonolento e eles começaram a revirar e eu sabia que ela estava chegando. Eu senti sua boceta apertando meu pau, sua boca estava bem fechada, ela estava choramingando e gemendo, ela fechou os olhos, mas ela tentou desesperadamente mantê-las abertos, eu mantive os meus olhos abertos e a apertei para abrir os dela, então ela soltou um longo e forte gemido, e foi como se a alma em seus olhos desaparecesse em um abismo orgástico. Ela gozou. Eu vi nos olhos dela... foi incrível. Isso me colocou na borda ela empurrou seus quadris freneticamente para longe tirando meu pau para fora, fiquei imaginando se ela ia fazer a coisa certa, caso contrário, iríamos ter uma bagunça. Ela rapidamente sentou entre minhas pernas e chupou-me como uma garota louca, tão rápido quanto podia, como se ela estivesse desesperada para obter cada gota do meu esperma. Cada centímetro do meu corpo tremeu sob o prazer de um orgasmo intenso, a visão da minha linda irmã me chupando ampliou meu prazer mil vezes, e eu apertei meu pau com minha mão e vi quando todo meu gozo entrou como um louco na boca dela. Ela engoliu tudo, e deslizou a boca para cima e para baixo no meu pau para recolher o que restou.Eu retirei e estava limpo como novo. Um orgasmo lendário, uma irmã incrível. Sentamos lado a lado no banco de trás por um tempo, em silêncio, fixando as nossas emoções e para voltar nossa respiração ao normal. Nós não falamos na primeira metade do caminho para casa, sentia-me exausto ... emocionado e perturbado com a nossa noite de aventura. Pelo menos é o que eu senti, mas a julgar pelo olhar no rosto dela, eu tenho certeza que ela sentiu o mesmo. Ela quebrou o silêncio."Então, eu faço parte de seu harém agora?", Perguntou sarcasticamente, mas parecia que se ela achava que eu estava falando sério sobre o comentário anterior sobre o harém, de que eu tinha toneladas de meninas e que eu estava fazendo malabarismo com elas. Eu me dava muito bem com as garotas , mas não tão bem como foi com ela."Sim, você faz parte do meu harém, mas você vai ser minha garota principal, não se preocupe."Ela sorriu e socou de leve meu braço. Quando chegamos em casa, nós dois fomos para nossos quartos separados e dormimos. Na manhã seguinte, nós nos sentamos à mesa e tomamos café com nossos pais. Minha irmã e eu estavamos estranhamente calados e ficamos nervosamente olhando um para o outro, tentando esconder os nossos sorrisos e reprimir as gargalhadas. Nós dois estávamos em um casulo de amor invisível e o resto do mundo não importava. Eu estava esperando que nossos pais não perceberam nada ... e eu perguntei o que o futuro reservava para nós. Mais tarde naquele dia meu bom amigo Tyler me chamou." O que há de novo, velho? " eu disse."O que está acontecendo mano. Oi ah ... Eu vi você e Samantha em Port Jeff noite passada. "O sangue drenou do meu rosto."Oh ... sim, nós saímos lá ... um pouco. Quando nos viu? "Eu perguntei, nervoso."Umm, eu te vi naquele bar, cara ... no pátio na parte traseira ...."
Eu senti náuseas. Lembrei-me que era onde eu beijei minha irmã, ao lado da grade de madeira, em tela cheia."Ah. Ok, sim ... Então, por que não veio dizer Olá? "Eu perguntei. Ele ficou em silêncio por um momento, então disse apenas: "Cara ..."



By: Nathan Drake

sábado, 23 de abril de 2011

IRMÃO/IRMÃ - UMA HISTÓRIA REAL



Tenho o hábito de visitar alguns sites de fotos sensuais de mulheres bonitas feitas por fotógrafos amadores, e foi assim que tudo começou, tenho 19 anos e com um físico normal, nada em especial, tenho uma irmã de 17 anos ( na época, pois, faz 2 anos que aconteceu este fato que vou relatar) muito bonita, porém, tem um peso acima do ideal, o que a deixa muito fofa, ela tem um par de coxas bem torneados, um bundão que já homenageie diversas vezes em meus sonhos eróticos e um par de seios que mais parece dois melões no ponto de ser chupados.
Após o jantar com a minha família me dirigi ao meu quarto, pois, estava cansado era sexta-feira e como de costume tenho o hábito de ficar até de madrugada na Internet, já se passava das 11:00 horas e de repente minha irmã entra no meu quarto, estava vestida com um pijama (short curto com uma blusa de seda sem sitiem), e mostrou um livro que me recomendou para lê-lo, neste momento ela notou o que eu estava olhando na Internet e ficou curiosa, então eu disse que era um site de fotos de garotas amadoras, neste momento ela pegou uma cadeira e sentou ao meu lado, eu adorei a idéia, pois, começou a me dar um tesão muito diferente do que o normal, ela começou a fazer diversas perguntas:
Estas mulheres são realmente amadoras?
Sim, respondi são fotos que alguém tira e envia ao site sem compromisso.
Mas não existe a possibilidade de alguém reconhecê-las?
Não, pois, elas evitam mostrar o rosto, apenas o corpo, algumas vestem roupas sensuais, outras são um pouco mais atiradas.
Aproveitei a deixa e perguntei: Você teria coragem de tirar fotos assim?
Ela ficou vermelha e respondeu, de jeito nenhum, sou muito tímida e medrosa.
Realmente ela é muito tímida, só teve um namorado até hoje e foi um relacionamento curto e sem sacanagem, o que me confidenciou mais tarde.
Ficamos até altas horas navegando na Internet e ela cada vez mais curiosa a respeito da novidade, fomos dormir e ela me perguntou se amanhã poderíamos ver mais fotos, eu disse que tudo bem, pois, nosso pais geralmente não ficam em casa nos finais de semana, temos uma casa de praia, e como ela esta muito curiosa para continuar a ver mais fotos resolveu não acompanhá-los, nisso ela me beijou no rosto e me deu boa noite, quando me levantei o meu calção esta com um volume acima da média, nisso ela notou e perguntou o que estava acontecendo, neste momento meu pau ficou duro de uma vez, então eu disse: sempre que vejo estas fotos me da muito tesão. Ela perguntou o que você vai fazer, eu disse não tem jeito vou ter que bater uma se não consigo dormir, nisto ela riu e saiu rebolando aquela bunda gostosa.
No dia seguinte meus pais foram viajar a praia e minha irmã resolveu ficar em casa para estudar, enfim, chegou a noite e ela pediu para ligar o computador e procurar mais fotos, neste momento, eu perguntei se ela não toparia tirar algumas fotos, no primeiro momento recusou, depois, eu falei que não seria sem roupa, apenas foto sensual, ela topou, porém, ela escolheria as roupas e poses, eu topei é claro.
Enquanto ela estava escolhendo as roupas eu preparava o ambiente, me dirigi ao seu quarto para ver como estava a escolha, eu sugeri um baby-doll e algumas calcinhas claras, neste momento, ela não topou, pois, somos irmãos, quando eu falei ontem você esta com um short curto e não estava com vergonha, agora nos vamos apenas brincar de fotografo e modelo, depois, apagamos tudo, somente isto e mais nada, neste momento consegui convencê-la, aproveitei e separei algumas calcinhas bem pequenas, ela comentou que não a usava mais, pois esta com o peso acima da média, então eu comentei deixa comigo o resultado final você vai gostar.
Começamos ela estava com um camiseta que cobria os seios e a barriga de fora e com um short de lycra apertado, apenas cobrindo uma parte da bunda, não foi fácil, meu tesão estava exposto, mas continuamos, a medida que batia as fotos ela se soltava, eu sugeri que ela tirasse o short, ela recusou e comentou olha o volume no seu calção, então eu disse: você deveria ficar contente, pois, o trabalho esta dando resultado, mas se este for o problema me de 5 minutos que vou a banheiro e resolvo rapidinho, ela riu e me disse não deixa para mais tarde, nisto, eu imaginei muita coisas, pois bem, ela topou a tirar o short, eu pedi que virasse de costas e aproveitei fui tirando as fotos passo a passo, quando ela terminou, fiquei de boca aberta, então comentei que era a bunda mais gostosa e carnuda que já tinha olhado, neste momento ela riu e deu uma virada, os peitos quase saltaram para fora da camiseta, então em pedi para tirar a camiseta, ela comentou que estávamos indo longe de mais, então eu falei, é somente para fotografar este momento, talvez, não teremos outra oportunidade e o clima estava feito, ok, ela topou e tirou de uma só vez a camiseta, os peitos saltaram de uma forma que eu não consegui registrá-los, ela riu e me disse que era a primeira vez que tirou a roupa para um homem, eu disse, que pena que somos irmãos, ela também disse: que pena.
Tirei varias fotos de todos os ângulos possíveis, em não podia perder a oportunidade do momento, fui audacioso e pedi que gostaria de fotografá-la por completo, ela perguntou o que você esta querendo, então, com muita sutileza eu disse: gostaria de fotografar a sua bunda que me da muito tesão, somente isto confie em mim, nisso, ela parou e pensou, e falou você promete que este será o nosso segredo e que isto nunca poderá sairá deste quarto, eu falei jamais vou comentar com alguém este relato.
Ela ficou de costas e foi baixando devagar a calcinha, que neste momento estava já enfiada no seu do seu rabo, pois, o tamanho era bem menor que o volume de suas ancas, quando baixou até o fim eu presenciei o manjar dos Deuses, era a imagem mais sexy e bonita de minha vida, ela virou e perguntou, você realmente me acha gostosa, eu disse pegando no meu pau sobre o meu calção ele responde por mim, nisto ela riu e comentou hoje vocês se acabam, neste momento eu me dirigi ao armário e peguei um travesseiro coloquei sobre a cama e pedi para ela se deitar colocando a barriga sobre o mesmo, neste momento, a sua bunda parecia que tinha o dobro do tamanho, pedi que separasse as ancas com as mãos, neste momento, ela topava tudo, ela foi abrindo a bunda e levantando vagarosamente até aparecer o botão rosinha, não resiste e deixei a maquina de lado para apreciar esta imagem, ela começa a piscar o cuzinho, então eu falei que não agüentava mais e queria possuí-la, nisto esta recusou e falou que deveríamos parar, então, eu recuei e falei, tudo bem, mas eu posso ficar pelado e bater uma punheta para este cu, ela disse que sim, pois, estava curiosa para ver ao meu caralho, eu baixei meu short e sentei ao seu lado, ela começou a admirá-lo, então eu perguntei se ela tinha gostado: muito, mas é muito grande, então eu falei que não, pois, tinha muito maiores do que o meu ( 17cms), ela começou a tocá-lo e punheta-lo com uma mão de seda, eu fechava os olhos e ela ria e massageava cada vez mais, eu não queira gozar, pois, aquele instante era especial, nisto eu pedi para ela dar um beijo na cabeça, ela baixou devagar ficou olhando bem de perto, pois, tudo era a primeira vez em sua vida, beijou suavemente a cabeça, passou toda a sua língua em minha rola beijou meu saco, eu abri bem as pernas, ela se posicionou de frente para mim e começou a chupá-lo de uma intensidade jamais vista, como não tinha experiência à saliva escorria em meu Caralho deixando todo molhado e tesudo, eu já não estava mais agüentando quando falei que ia gozar, ela acelerou mais e mais e saiu um jato tão forte de entrou em sua boca e melou parte de seu rosto, a porra de sua boca foi cuspida em cima da minha rola melando de tal forma que me deixou doido de prazer, foi a chupada mais incrível que ganhei, ela se dirigiu a banheiro pegou uma toalha e nos limpamos do gozo, depois eu pedi para deitar que agora era a sua vez, primeiro chupei aqueles peitos lindos e fui descendo até o inicio de sua gruta linda, cheirava a puro sexo e esta ensopada, pois, acredito que durante a boquete a sua buceta já tinha gozado varias vezes, comecei a passar minha língua em sua gruta e chupava de tal forma que ela viajava no tempo, quando minha língua forçava o seu clitóris ela gozava com tanta intensidade que quase me sufocava com as suas pernas, depois, pedi para virar, pois, queria enfiar a minha língua em seu cuzinho rosado, ela não perdeu tempo coloquei o travesseiro em baixo de seu corpo e a abri a sua linda bunda, que visão, que tesão, comecei a morder devagar a bunda, conforme eu ia passando a língua próximo ao seu cuzinho ela ia se levantando devagar e ao mesmo tempo eu ia me afastando, até que o cuzinho ficou todo arreganhado, comecei a enfiar devagar e lamber todo aquele orifício, que naquele momento era somente meu, virgem, tesudo e cheiroso, ela ia ao delírio estava melado, molhado e piscava e contraia a cada enviada de língua, ela gemia feito doida e minha rola estava ate doendo de tesão, então eu propus fazermos um 69, me deitei e ela veio por cima, aquela imagem se preparando para se acomodar foi o máximo, se baixou e abocanhou minha rola, principalmente chupando o meu saco, que me deu mais tesão ainda, neste momento eu trabalhava em seu cu todo arreganhado, e com todas as preguinhas ainda intactas e virgem, depois de algum tempo pedi que ficasse de quatro, neste momento ela se recusou, pois, não poderíamos seguir a diante, eu não acreditava, então eu pedi que ficasse de lado somente para brincarmos, ela virou, como seu cuzinho estava melado de saliva e do gozo de sua boceta a portinha esta uma delicia, coloquei a cabeça em seu orifício e comecei a fazer movimentos de entrada e saída, nisto ela me xingava de filha da puta, viado, pois, eu estava judiando daquela bunda que tantas punhetas ganhou e agora estava sentindo a sua temperatura, que por sinal estava a todo vapor, fui enfiando só a cabeça minha irmão estava com tanto tesão que a deixei conduzir os movimentos de vai-vem, senti a cabeça enfiar, depois, foi mais um pouco e senti as preguinhas de deu seu cu abraçar a minha rola , virei de costa e me conduzi em cima de seu corpo, mas ainda não tinha entrado tudo em um movimento calculado ela foi ficando de quatro e abrindo cada vez mais aquele buraco gostoso e pude de uma só vez enfiar sem dó e piedade todo o meu caralho em seu cu apertado e melado, ela chorava de tanto tesão, rebolava e eu socava todo o caralho naquele bundão gordo e tesudo não agüentando mais, comecei a meter com mais velocidade e enchi seu cu de porra, foi um gozo que mais parecia uma mijada de tanta intensidade, ela foi baixando e deitou e eu fiquei em cima exausto e com a rola dentro do seu cu, parecia que o coração estava dentro do seu cu, pois, sentia cada batida.
Nos recompomos e fomos tomar um banho, estávamos exausto, e dormimos juntos na cama de nossos pais, no dia seguinte ficamos um pouco encabulados, conservamos a respeito e não houve arrependimento, ainda no final de semana comi seu cu de todas a formas, até não agüentar mais, ela pediu que o cabaço fosse dar para uma pessoa muito especial, seu futuro namorado, mas o cuzinho este sempre seria meu, e modesta a parte é um cu que não dispenso.

MEU IRMAO ME COMEU.



Ola, sou uma garota de 18 anos e tenho um irmão de 15, eu sou morena, cabelos longos

cacheados, e bem bronzeada, 1,74Cm., meu irmão é moreno também, tem um porte grande pois ele

ja faz musculação, 1,80Cm. Ja fazia algum tempo que eu notei que meu irmão so ficava me

cuidando, quando agente ia para a praia, ele so ficava de olho nas minhas partes intimas, nao

sei, talvez por ele ser novo e ter curiosidade nessas coisas, se bem que com um corpo daquele

ele ja devia ter traçado muita garota por ai,as vezes eu me encomodava com isso, ele sempre

me secando, mas foi me acostumando e tomando gosto pela coisa, comecei a testar ele, ver ate

onde ele ia. Quando agente estava na praia, quando ele nao estava la jogando futebol com os

amigos, ele ficava comigo conversando, eu sentada naquelas cadeiras de praia e ele atraz de

mim, de pé, com os braços cruzados, como se tivesse de guarda ali, cuidado para nenhum cara

chegar para me cantar, eu sentia que quando ele estava nesta posição, ele ficava me olhando,

então foi ai que eu desidi começar um joquinho, as mulheres que estào lendo este conto, bem

sabem que quando agente ta na praia, agente fica de ajeitando, arrumando o biquini para la,

arrumando para ca, vendo como esta a marquinha de biquini... e por ai vai, bem , então eu

primeiro fiz com a parte de cima, olhei um pouco os meu seios, tirei um pouco o biquini para

o lado para ver como tava a marquinha, so vi pela sombra q ele estava se inclinando para

poder ver melhor, depois eu pequei e dei aquelas puxadas na parte de baixo do biquini,

primeiro eu levantei um pouquinho a parte de cima, deixei um pouco dos meus pentelhos amostra

e fechei de novo, meu pentelhos sao bem rentes ao biquini, em forma de retangulo, e meu

biquini é bem pequeno, de forma q se eu abaixar um pouco o biquini ja da para ver. Bem, eu

pude notar que meu irmao ja estava quase ganhando uns ataques ali atraz de mim, ai eu me

virei e perguntei se ele nao queria dar um mergulho, quando eu tava falando com ele, vi

aquele volume na sunga dele, dava para ver o pau dele pulsando na sunga, tava super duro,

quase saido para fora, ai foi minha vez de secar ele, em quanto eu falava algumas coisas com

ele, so ficava olhando para o pau duro dele, e ele notou, bem, fomos dar o mergulho, ficamos

brincando um pouco la no mar, quando veio uma onda e tirou a parte esquerda da parte de cima

do meu biquini deixando meu seio a mostra, e ele so ficou babando, olhando para meu peito, ai

eu olhei para os olhos dele, fiz uma cara de safada, e cobri de novo com o biquini. Bem,

fomos para casa. Almoçamos, e ai eu fui dar uma esticada no sofa da sala, como meu biquini ja

tinha secado, eu nem tirei ele e dormi assim mesmo, na nossa sala tem 2 sofas grande, e ambos

estao na vertical, entao eu tava deitada num e meu irmao no outro olhando tv, ai eu fingi que

peguei no sono, e as vezes eu me mexia, so para ir deslocando meu biquini de lugar , para

aparecer algo +, mas o maximo q eu consegui, foi mostrar minha marquinha de biquini, notei q

ele estava louco ja, me comendo com os olhos. Depois de um tempo eu "acordei" e fui me trocar

no quarto, ai eu olho para baixo da minha porta e vejo uma sombra ali, como se alguem tivesse

atraz da porta, e claro q deveria ser meu irmao me espiando, bem, ai eu fiz + um joguinho,

fui tirando a roupa bem sensualmente, me expondo por completa, ai eu ainda fiquei me

massageando um pouco, pega,ndo nos meus seios, nos meus biquinhos, passei a mao pela minha

xoxotinha, coloquei uma musica e dancei um pouco, ai eu me vesti, coloquei um shotinho bem

folgado sem calcinha, sabia q ele estava me olhando e que ele ia saber q eu tava sem

calcinha, coloquei um top e sai do quarto, ai eu voltei a sentar no sofa, do que agora com as

pernas viradas para o sofa dele, tem uma mesinha entre os dois sofas,ai eu fiquei com os pes

em cima da mesinha fazendo umas palavras cruzadas,e ele voltou a olhar TV, na verdade, para

mim ele nem tinha saido, pois ele acha q eu nao vi ele, eheheh, bem, entao estava eu ali

fazendo as palavras cruzadas, eu so via ele me olhando de canto, arragalando os olhos para

poder ver algo +, ai eu abri esquerda um pouco, deixando amostra aquele tunel que a bermuda

faz, como era bem folgadinha bem bermudinha, tava para ver tudo la para dentro, e vi q o meu

irmao tava louquinho ja querendo olhar tudo, vi que o pau dele ja tava querendo saltar para

fora da bermuda de novo, ai eu peguei , baixei o livrinho de sopetao, e olhei para ele , e vi

q ele estava vidrado na minha bucetinha, e ele olhou para meus olhos, e eu olhei nos dele e

dei uma risadinha e coloquei a caneta na boca, e dei uma balançadinha na perna, fiquei

balancando com a caneta na boca, e olhando para o pau dele,dei uma lambidinha na caneta,

fazendo cara de puta, bom ai sim ele ficou + maluco ainda, coitadinho, ele ja tava passando

mal de tao excitado e louco q ele estava, ai eu disse, vem ca, me ajuda a fazer essas

palavras cruzadas, ele veio num pulo e sentou do meu lado, meus bicos estavam para la de

duros tb, e eu estava muito molhada ja, exalando aquele cheio forte de buceta com tesao, ele

logico q estava sentindo e vendo tudo q estava acontecendo e oq estava para acontecer, ai ele

se encostou em mim, ficando com a cara quase q em cima do meu seio, ai eu coloquei a mao

sobre a coxa dele, perto do joelho, e fui descendo, ate chegar perto do pau dele, ai eu

parei, entao ele pegou minha mao e colocou direto no pau dele, eu olhei para ele e sorri, e

dei um apertao forte, e ele deu um gemido, entao eu ja fui colocando a mao por dentro da

bermuda dele e comecei a apertar o pau dele e punhetar de leve, e ele ja vou me atacando tb,

colocando a mao por debaixo da minha camisa e apertando meus peitinhos, tirou minha blusinha

e caiu de boca nos meus peitos, ficou chupando, chupando, aiii que tesao que eu fico so de

lembrar, ja estou toda molhada de novo, nossa q tesao q eu tava, bem voltando a historia, ai

ele começou a descer a mao e foi metendo por debaixo do meu shortinho, ja massageando meu

clitoris, nossa, fui a loucura, foi ele colocar a mao q eu ja gozei, tava super tesuda, ai

ele ja foi tirando o meu shortinho e caindo de boca na minha xoxotinha, ficou lambendo ela

por uns 10 min, acho que gozei umas 3x, tava tremendo ja nas pernas, e ele nem tinha medido

ainda, entao eu peguei , tirei a bermuda dele e vi o pau + lindo q ja tinha visto, deve ter

uns 18Cm, grosso, uma linda cabeça, perfeito, nao via a hora de te-lo dentro de mim, chupei

ele todo, lambi a cabecinha, coloquei ate onde deu goela dentro, e fiquei mamando um pouco

ele, ai ele me colocou no sofa, na posicao frango assado, so q ele estava com os pes nos

chao, e eu com a pernas para fora do sofa, na hora do tesao e da afobaçao, acabamos

esquecendo a camisinha, quando ele encostou a cabeca na ponta da minha xoxota, eu ja

estremessi de novo, quando vou entrando, nossa, ja gozei de novo, eu nunca me senti com tanto

tesao, talvez por causa do proibido, sei la, sei q tava louca, muito loca de tesao e nada

faria eu parar de meter com ele, a nao ser claro, a chegada dos nossos pais hehehe, bem, ele

foi metendo devagarzinho, tirando e colocando, e aos poucos foi aumentando a velocidade, eu

tava no ceu, nossa..., delirando e ele tb, nao demorou muito e ele jorrou morra nos meus

peitos, tamanho era o tesao dele tambem, nisso quando agente estava se recompondo ainda,

ouvimos nossos pais chegar, ai cada um saiu correndo para seu quarto para se limpar, depois

dessa foda, agente mete quase todo dia agora..
Gostaria de falar com MULHERES que ja tiveram experiencias parecidas ou que estou afim de

meter com o irmao..., so digo assim, é otimo meter com o irmao, é tesao do inicio ao fim, mandem mail para patiinc@hotmail.com

quinta-feira, 21 de abril de 2011

graziiella2kk TWITCAM




GALERA EU SINCERAMENTE NAO CONSEGUI VER A PARTE QUE A MENINA ESCREVE ELE E MEU IRMAO COMO FOI COMENTADO, MAS REALMENTE ALGUEM PEGA ELA NOS PEITOS E DEPOIS COLOCA O PAU NA CARA DELA...ISSO TUDO DEPOIS DE 26 MINUTOS..SE ALGUEM ACHAR EM QUE MOMENTO ELA ESCREVE O BLIHETE COMENTE .

terça-feira, 19 de abril de 2011

Meu irmão me bolinou a noite e depois me comeu.




Incesto
Sou Tatiana, uma menina tímida e apesar de me achar muito gostosa, não sou provida de muita beleza. Todos me acham bonita, menos eu. Tenho muitas sardas e frequentemente aparecem espinhas e cravos no meu rosto. Tenho verdadeiro horror a isso. Sou uma menina sonhadora e meu sonho maior é ser arrebatada nos braços de um príncipe, num cavalo branco. Tudo bem, acordemos pra realidade, se bem que sonhar é que move o nosso espírito. O homem mais lindo do mundo não pode ser meu. Porque é meu irmão Fábio. Tenho verdadeira adoração por ele. Às vezes me pego observando suma “mala” logo pela manhã quando ele acorda, uma amiga me contou que isso é “tesão de urina”. Assim que ele mija passa. Divago a imaginar meu irmão cavalão de pernas abertas no banheiro, mijando. Sempre escuto o barulho e parece uma cachoeira desabando do morro. Pelo barulho, ele deve ter um cacete enorme. Apesar dos meus pensamentos obscenos, eu nunca dei trela a ele e isso tudo aqui é apenas um desabafo. Mas esta semana eu tive uma surpresa. Sentia-me incomodada durante o sono da noite, acordava sempre, assim que pegava outra vez o sono tinha sensações estranhas. Na última vez que acordei, senti um clima esquisito no quarto, talvez um cheiro ou um vulto. Sei lá. Fiquei a espreita e fingi dormir. Fingi ressonar e senti algo apalpar minhas tetinhas. É sim. Costumo dormir só de calcinha. E às vezes nem isso. Abri o canto do olho e vi meu irmão ao pé da minha cama de cacete em punho e alisando meus mamilos. Os biquinhos enrijeceram e me deu um tesão maluco. Minha xoxota virou um rio caudaloso de tanto néctar a escorrer. Ressonei novamente e ele se recolheu e ficou em silencio. Aproveitei pra mudar de posição. Antes eu puxei o lençol e cobri minha calcinha e aproveite e puxei a calcinha de lado, deixando os beicinhos da bocetinha a mostra. Pelo menos os imaginei assim. Esperei uns segundos, ressonei de novo e abri as pernas e fiquei de barriguinha pra cima. Entrei em sono profundo. Risos. Lá vem o tesudo do meu irmão de novo. O cacete até brilhava de tão duro. Estava a menos de trinta centímetros da minha cara. Ai que vontade louca de enfiar aquilo tudo na boca. Logo ele se interessou pela minha xaninha. A essa altura era uma lagoa, de tão meladinha que eu tava. Logo ele passou os dedos por ela toda. Depois carinhosamente se inclinou e começou a passar a língua quente pelos lábios vaginais. Não me agüentei de desejo, gemi e chupei cana. Delirei gostoso e me trai. Fábio olhou nos olhos e eles estavam tronchos de desejos. Ele se assustou e quis se recolher, mas rapidamente alcancei seu membro rígido e segurei com força desproporcional. Fábio se contorceu de dor e se jogou na cama sobre mim tentando aliviar a pressão. Coloquei todo aquele colosso de Rhodes dentro da boca. E papei tudo feito bebê. Mastigava, chupava, e lambia tudo ao mesmo tempo. Enlouquecida de desejo nem pensei nas conseqüências. Fábio estirou ainda mais o cacete e retirando e enfiando tudo na minha boquinha. Endoidou. Gemeu, inflou o peito, retraiu-se todo e soltou toda porra do mundo na minha boquinha. Engasguei com a primeira esguichada direto na minha garganta. Mesmo assim dei conta de engolir tudo. Estava tomada de tesão. Fábio saiu do quarto e eu fiquei a ver navios. Retirei a calcinha e fiquei nua em pelo jogada na cama. Contorcia-me feito cobra. Parei de bundinha pra cima e sentia minha boceta arder em chamas. De repente sinto-me invadida por trás. Fábio debruçou seu corpo sobre o meu e me enterrou num golpe duro metade da vara dura na minha bocetinha. Senti o drama, mas não recuei de tudo. Apenas me pus de quatro e ofereci minha xoxota toda pra ele. Ele novamente me invade por trás e pacientemente me cavalga. Em estocadas vigorosas vai preenchendo todos os espaços vazios de minha grutinha. Acompanhando seu ritmo quente, balançava tresloucadamente minha bunda pra frente e pra trás. Fui sendo metida impiedosamente até alcançar o clímax. Gozei bastante. Por já ter gozado tanto. Fábio se alongava numa foda interminável. Eu babava de prazer. Fui me deitando aos poucos na cama e Fábio acompanhava meu corpo. Fui torcendo o corpo e passei uma perna pro cima da cabeça dele e sem deixar o cacete escapar por completo, fiquei na posição de papai e mamãe. Abraçávamos-nos e nos beijamos sofregamente. Gozava ainda quando Fábio ameaçou gozar. Retirei a pica de dentro de mim e levei sobre os meus peitinhos. Lambuzei-os de porra. Metemos a madrugada toda. E tem sido assim desde então. Só o cuidado de evitar um flagra de algum curioso. O resto é desejo. O resto é tesão. Irmão com irmão a foda é muito mais tranqüila e gostosa.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Surpresa em dobro




Olá, amigos.
Hoje vou contar uma história muito louca e sacana que me aconteceu.
Meu nome é Ricardo, mas muitos me chamam de Richard.
Sou negro, tenho 20 anos, 1.80m, corpo malhado e porte de nadador. BEM DOTADO, mas não chego a ser nenhum cavalo. 20cmX5,5cm de diametro.
Moro com minha irmã de 18. Numa casa herdada do pai dela. Minha irmã, pasmem, branquinha como cêra, cabelos negros dando um belíssimo contraste. Seios médios/grandes, bunda gostosa e apesar de ser um pouco gordinha, é toda durinha.
Até esse dia, nós nunca tínhamos demonstrado, ou até mesmo sentido, nenhuma atração, mas quando veio foi ANIMAL.

Como toda sexta minha irmã chegava antes de mim da faculdade e ia preparando o almoço. Éramos muito cúmplices, muito próximos, por isso por vezes, ela ficava com poucas peças de roupa. Mas sempre a previnia de que ficasse de modos a receber alguém, não me ouvia...
Nesta fatídica SEXTA de novembro, fazia muito calor. E eu tinha que terminar um trabalho para faculdade. Minha amiga, Ana, Loirássa, Bronzeada de sol, uns 90 de busto, uma bunda empinada, que sempre me deixa louco de tesão, se ofereceu pra me ajudar com essa tarefa, disse que tudo bem. Lógico que querendo mais tempo pra estar junto daquela beldade, de repente até trocar uns amassos.
Fomos para minha casa, por descuido não avisei a minha irmã que teríamos visita.
Chegando em casa, já sentia um clima começando a pintar entre eu e Ana. Eu era só elogios àquele corpo escultural, e ela ficava cada vez mais vermelha e sem graça.
Fui entrando em casa, subindo para o meu quarto, sem sequer falar decentemente com Flavinha, minha irmã, disse apenas à Ana que Flavia estaria na cozinha e que eu iria tomar um banho e colocar uma roupa mais solta.
Até a convidei para me acompanhar, mas em tom de brincadeira para que não parecesse muito direto. Ana me disse que iria falar com minha irmãzinha, fofocar, coisas de menina...
Subi, entrei no banheiro e fiquei bolando várias táticas para levar Ana para a minha cama.
Acabei no banho e desci, ouvi uns sons diferentes vindos da cozinha, e fui indo de fininho até chegar na porta entreaberta do cômodo. Foi quando assisti uma das melhores cenas da minha vida. Ana de quatro, vestida numa sainha plissada, bem sacana, e minha irmãzinha por trás dela, com a boca naquele bundão delicioso e forçando seus dois dedos naquela xota brilhante de melzinho escorrido. Minha irmãzinha disse as palavras que fizeram meu membro pulsar dentro da bermuda:
- Vai, sua puta berra.
- Quero essa sua boca quente na minha xaninha, AGORAA!!- Disse Ana, enquanto começava a rebolar freneticamente.
- Isso Aninha Putinha, goza na boquinha da sua Flavinha, goza.-a irmãzinha, mal terminou de dizê-lo, e caiu de boca naquela xereca, chupando todo o seu líquido.
Ana meio sem forças começou a se virar em minha direção e tentei sair dali o mais sorrateiro possível, e fingindo uma nova descida gritei por elas da sala, cobrando de minha mana o almoço.
- O Almoço está aqui, irmãozinho. e eu já tirei a prova na cozinha. - Disse apontando Ana, só com a saia levantada, mostrando a bucetinha, de lábios finos, poucas vezes penetrados, e com a a blusinha aberta e os peitõs gostosos a ponto de saltar.
Não consegui dizer uma só palavra para aquilo. Acrescentado a isso, a cara de safadas com que as duas me olhavam, e e minha irmã, só de calcinha me intimou:
- Quer que eu te sirva, ou você coloca? Vamos comer no quarto ou aqui na sala mesmo?
Meu pau latejava de tanto tesão
Ana percebeu isso, e já veio pra mim dizendo:
- Flavinha a gente dá a entrada aqui na sala e termina de comer lá no quarto.
Terminou me encarando, puxando meu membro pra fora da bermuda, lógico estava sem cueca, e começou num boquete mágico, para minha surpresa, minha irmã veio no meu ouvido e disse:
- Ai, que tesão disso, quero seu pau na minha boca, quero seu pau em mim...
Não a deixei terminar de falar, dei um beijão, e explorei sua xotinha rosada, melada e virgem de pau. Nesse momento éramos três bichos a gemer e urrar sons de tesão.
Flavinha gozou nos meus dedos, para prazer triplo pus o máximo de melzinho que pude na boca e rolou um beijo triplo. Deixei as duas se beijando, me levantei e mandei que Flávia mamasse no meu pau.
Mamou muito gostoso, fomos para o quarto principal, chegando lá coloquei Ana pra sentar no meu pau, enquanto, eu chupava minha irmã.
Não funcionou muito bem, Flavia não sabia o que fazer, pedi para que sentasse na poltrona e observasse aquela cadela que trepava em mim, e gritava de prazer cada vez mais alto.
Ana era bem gostosa, tinha uma buceta que parecia ter vida própria. Nossa transa, apesar do grau de excitação foi normal, sem muita violência. Quando a coloquei de quatro de frente para minha irmã, imitei a cena que tinha visto na cozinhas as duas se olharam, Ana não resistiu e gozou novamente. Falei que não queria que ela gozasse na minha boca como fez na de Flavia, mas que aquilo era bom na ausencia de lubrificantes. Lambuzei, meu pau, seu cu, e meus dedos, e entrei com força na xota, e ao mesmo tempo meti dois dedos naquele cu, que se abriu fácil. A amiguinha saca, berrou:
- Soca com força no meu cuzinho, ARROMBA ELE, EU QUERO GOZAR COM VOCÊ SOCANDO NELE, VAAAAAI!
Imediatamente o fiz, e soquei com vontade, agarrando Ana pelos cabelos loiros, quando ela começou a rebolar igual a um furacão e dei uma diminuida, pois não queria gozar ainda e já estava quase lá, e disse:
- Goza, sua PUTA, Goza bem gostoso sentindo essa piroca ARROMBANDO esse seu buraquinho.!
Ela rebolava muito enlouquecida e gritando soltou um jarro de goza na cama, minha irmã bebeu mais melzinho dela e beijamos os três, minha safadinha particular, tocando uma punheta pra eu não murchar, me pediu pra colocar na xerequinha virgem dela, de ladinho.
Aninha cuspiu bem naquela xota e me fez um oral com bastante baba. Comecei a forçar a xotinha de minha irmã, quando entro a cabeça ela gritou baixinho, de malvadeza e ANIMALMENTE, como eu estava, Botei até o TALO de uma só vez, ela berrou, como nunca eu havia visto alguém, berrar...
Um filete de sangue correu pelo meu pau, eu disse:
- Pode ficar calma Flavinha o pior passou...
- Cala a Boca Richard, e me FODE, caralho, METE ESSE CARALHÃO NESSA BUCETINHA APERTADA! - Me interrompeu
Ana, pasma, com o que ouviu ficou se masturbando, sem forças...
E estourei aquela buceta quase virgem, Quando minha irmãzinha anunciou que gozaria novamente, não tive perdão e atolei meu pau sem dó, ela gritava e tremia toda.
Ana se levantou e disse, me dá seu leite richard, me dá ele todo na boca...
Tirei o pau daquela buceta apertada, e como fudesse com a boca de Ana, soltei jatos de porra que foram direto na garganta dela. Ela como uma puta mostrou a Flavia o conteudo e sua boca e o engoliu e coltou a me chupar, amolecendo bati em sua cara.
Naquela noite dormimos os três lá em casa, e foi sexo noite adentro...


Eu sou Ricardo, essa é a minha história, espero que tenham gostado.
Um abraço, e até mais.

Minha Irmã, minha mulher



Ola, venho aki lhes contar uma experiencia que vivi com minha querida irma, ela não muito alta, clara de corpo esguio seios fartyos e bumbum mediano..... Ceta vez quando eramos adolescentes, começamos a notar que nossos corpos mudavam devido a puberdade, minha irma 4 anos mais velha que eu ja tinha um corpo lindo, certa vez num sabado de manhã acordei com um baita tesão, e fui ao banho sentei me no vaso e comecei a me masturbar, minutos depois ouvi a minha irmã abrir a porta do seu quarto, e veio ao banheiro e viu que a porta estava trancada e perguntou se eu niria demorar pois ela iria tomar banho....eu disse com a voz meio roca e ofegante que não demoraria ali.....nesta altura meu cacete tinha um certa lubrificação que ao punheta-lo fazia um certo barulho, na porta havia uma fresta e vi que minha irma me espiava e não saia de perto da porta a que me virei para o lado da porta e me masturbei com gosto, cuspi em minha mão para que o barulho de minha punheta fosse maior ainda, deu para ver que ela mordia os labios ao me ver ali todo duro. depois vi que ela havia saido dali. tomei um rapido banho e sai...e ela foi a banho. não consegui me conter e da mesma forma que ela me espiava eu fui espiala tb, ela tinha um belo corpo seios firmes e bicos rigidos, por num certo instante ela me encarou e me viu ali a espiando, gelei por um momento, mas acho que ela gostou, pois me lançou um rapido sorriso, derrepente ela virou de costas e de proposito me mostrou seu belo bumbum, e abaixou-se como se fosse pegar algo e pude ver seu lindo rabinho e seus labios vaginais, que delicia. o dia passou e mais tarde logo depois do almoço, fomos assistir a um filme na tv, e começamos a conversar, quando ela me disse que eu estava me tornando um homem muito atraente, devolvi o elogio dizendo que ela tb tinha se tornado uma mulher linda.dias depois estavamos no quarto estudando, quando ela me falou de um programa de pc que ela não consegui abrir, então me declinei ao teclado e vi um de seus lindos seios, pois estava com uma camisa larga, na hora meu pau endureceu e por descuido meu ela me viu olhando para eles, e me perguntou se eu havia gostado do que vi....disse que sim, que seus seios eram lindos, e perguntou se eu queria ve-los por inteiro sem roupa...na hora gelei. e disse que sim, ela deixou a blusa cair por seus ombros revelando aquelas duas preciosidade, fiquei de boca aberta, passe a mão ela disse, toque neles, e senti a macies de seus seios, não aguentei me joelhei perto dela e comecei a sugar seus seios....seus mamilos eram durissimos, e ela agarrou forte em meus cabelos e soltava gemidos e gemidos, meu pal a ponto de estourar minha cueca....e disse a ela, minha irmã, todos os dias eu me masturbo pensando em vc, varias vezes ao dia, sou louco para possui-la....ela havia me revelado que no sabado passado, ela havia me visto masturbando no banheiro e que aquilo a deixou louca de vontade por mim...e que depois disso ela diariamente se masturbava pensando em mim....pediu para que eu tirasse meu pau para fora, ja todo duro me revelou que meu pau era bem maior do que o do senamorado em comprimento e em grossura....tomei coragem e lhe deu um enorme beijo na boca, ela ficou louca...e aos poucos fui tirando seu chortinho de dormir e achei a sua bocetinha ja meladinha....comecei a masturba-la e a paertar seu grelo...ela me disse para não parar...até que ela me apertou e disse que iria gozar....e gozou longamente, gemeu por mais de 30 segundos.....depois ela abaixou-se e começou a a chupar meu pau, de uma forma incrivel.....e nisso eu a disse, que queria ela para mim naquela tarde, dito e feito...fomos a cama dela.....e comecei a chupar seu grelo enquando enfiava 2 dedos em sua bucetinha ja toda encharcada, não demou para ela gozar novamente.....eu não aguentava mais e disse...quero penetra-la.....ela disse venha me comer sou toda sua hoje...e comecei...fui penetrando cm a cm de quase 20 dentro dela...foi tudo e elqa gemia...pois era grande e grosso. maos do que ela estava acostumada...fui aumentando a velocidade e ela gritava urrava em meu cacete... ela gozou varias vezes.... e depois de algum tempo eu disse a ela que iria gozar...ela levou suas pernas em minhas costas..sem me dar chance de sair de cima dela....e me disse, quero sentir vc gozando dentro de mim.....e gozei...gozei dentro da boceta de minha irma.....e ela gozou comigo...me dizendo que nunca tinha sentidoum homem gozar tamanha quantidade de porra e me disse que minha porra era tambem muito quente....ela pediu me para olhar a sua bucetinha...e de repente ela se contorceu e vi a minha porra todo o meu esperna saindo em abundancia de dentro dela...foi o maximo.....parecia uma torneiro despejando agua...mas era a minha porra.
paramos por alguins minutos e me veio um sentimento estranho, pois alem de comer a minha irmã eu tinha jorrado porra para dentro de sua bucetinha, ela me disse para não me preocupar.pois ela tomava remedios.... menos mau.....ela virou de barriga para baixo e via aquela linda bundinha empinada....e me disse que queria que eu a pegasse por traz.....então fui para cima dela... penetrei-a novamente um sua inundada buceta e comecei a bomba-la com muita força......e ela rapidamente gozava....ela me disse que se eu tivesse cuidado com ela ela deixaria penetra-la no cuzinho...disse sim a ela...e começamos a nos ajeitar na cama para poder enraba-la....dito e feito...fiz vagarozamente no inicio....depois aumentei a velocidade e fiz ela gozar seguidamente...e ja quando estava eu proximo a gozar ela disse tira....e goze dentro de mim novamente...não me fiz de bobo...bombei novamente em sua buceta...e gozei como louco novamente...e ela gritou de tesão dizendo quanta porra quente de novo.......logo depois pedi para que ela deixasse eu ve-la expelindo a minha porra..pois aquela imagem era demasiadamente erotica apara mim...... e assim foi até que ela casou-se.....mas sempre que podia-mos estava-mos trepando......e ela sempre me pedindo...goza toda aquela porra quente dentro de mim....vai goza....

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Meti em minha irmã e gostei




Meu nome é André, tenho 22 anos e moro em uma casa na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. Tenho também uma irmã caçula chamada Fernanda de 17 anos. Nunca fomos muito amigos, nunca soube muita coisa sobre ela e nem ela me deixava saber algo ou mesmo interferir em sua vida. Mas certo dia, eu ouvi uma conversa de minha irmã com uma amiga dela. Minha irmã falava de suas aventuras sexuais, sendo que algumas delas foram com amigos meus.

Sem que Fernanda queira, ela chama a atenção de todos que a vêem. É estranho o que pode acontecer a um homem a visão de um animal verdadeiramente sexual em sua frente. A natureza sexual da mulher tem sido cuidadosamente disfarçada – lábio, bunda e pernas são transformados, como uma plumagem colorida, em coisas que servem para distrair o homem em seu desejo e não para acentuá-lo.

As mulheres que são totalmente sexuais despertam no homem o desejo de penetrá-las imediatamente; as mulheres cujas roupa são apenas um recurso para tornar mais proeminentes certos pedaços do seu corpo, como por exemplo sutiã serve para realçar os seios; as mulheres que atiram o seu sexo em cima de nós, a partir de cabelo, olhos, nariz, boca, o corpo todo.

As outras... nós temos que procurar o animal que existe nelas. Diluíram-no, disfarçaram-no, perfumaram-no, de modo que acabasse cheirando como outras coisas – como o quê? Como anjos?

E tudo em Fernanda lembra o sexo. Seu sorriso proclama a sua sensualidade, relâmpago nos olhos, uma boca ávida, olhar provocante. Quando jogava cartas, não ficava sentada, impassível, o corpo privado de sensualidade, como as mulheres costumam se sentar, com a atenção no jogo. Era possível sentir, pela posição de seu corpo, pelo jeito como sua bunda se espalhava pela cadeira, que estava pronta para trepar. Os seios quase tocavam na mesa. Se Fernanda ria, era o riso sexual de uma mulher satisfeita, o riso de um corpo desfrutando de si próprio através de cada poro, de cada célula, sendo acariciada pelo mundo inteiro.

Desde que fiquei sabendo das suas aprontações queria vê-la dando, pois o que ouvi despertou em mim um interesse por ela, pois passei a vê-la com mulher e não mais como irmã, mas não consegui vê-la em suas aventuras.

Até que um dia, só estamos nós dois em casa, pois nossos pai tinham viajado passando dois dias fora de casa. Falei para Fernanda que iria sair e só voltaria à noite. Mas nada ocorreu como planejei e voltei mais cedo para casa. Quando entrei em casa, ouvi gemidos de minha irmã, gemidos que reconheci como de prazer. Logo imaginei do que se tratava. Era impossível não ouvir. Me aproximei da porta do quarto de minha irmã, a porta estava aberta. E então eu vi, como vi! Carlos, um amigo meu estava deitado na cama de costas, com os olhos semicerrados, e minha irmã, completamente nua, comportava-se como um demônio, galgando-o em frenesi de fome pelo corpo dele.

Fiquei paralisado pelo choque da cena; não obstante assimilei-a por completo. Suave, voluptuosa, Fernanda não apenas beijava o sexo de Carlos, como se agachava sobre a boca dele, e então lançava-se contra o corpo dele e roçava os seios, e ele estava de costas, hipnotizado pelas carícias dela.

Pouco depois fui embora sem ser ouvido. E tive ciúmes, mas não ciúmes de um irmão, mas de alguém que deseja uma mulher. E quanto mais me empenhava em apagar a cena em minha mente, mais ela penetrava em todo meu ser, tenaz, indelével, obsedante. Mas ao mesmo tempo aumentou meu desejo por minha irmã.

Mais tarde, quando voltei para casa, não acreditei nas mudanças, antes quando no rosto de minha irmã aparecia o desfrute, agora estava completamente sério.

Fui para o meu quarto e aonde me masturbei, enquanto estava pensando que eu transava com minha irmã. Mas logo veio o pensamento de que isso era impossível, visto como o incesto era encarado. Fui então para a sala de televisão, aonde estava minha irmã.

Sm dizer nada sentei no sofá ao lado de Fernanda na sala para ver televisão. Logo minha irmã começou a conversar comigo. Ela usava um vestido muito fino, que era mais um sachê, um mero invólucro para reter o perfume em seu corpo. Um perfume composto por vários perfumes, tão forte e penetrante, que eu fui capaz de captar todas as suas nuances – odor forte e amargo do cabelo; as gotículas de suor no pescoço; o hálito agridoce, como mistura de limão com mel; e, por baixo de tudo, o perfume da feminilidade que calor do verão despertara, tal como faz com o perfume das flores.

Meu desejo por minha irmã acabou por me dominar subitamente com violência, e eu puxei minha irmã de encontro comigo e ela deitou em meu colo. Senti seu corpo através do vestido fino. No mesmo instante lembrei-me de que ela era minha irmã e temi em ter problemas se tentasse algo com ela. Então o desejo que havia dentro de mim morreu.

Minha irmã espantou-se ao ver o que acontecia comigo bem no meio das tórridas carícias. Por sua expressão no rosto, ela não gostou de que parei as carícias. Ela continuou deitada, suspirando e olhando para o teto. De repente segurando-a pelos ombros beijei-lhe a boca rapidamente, como que por impulso. Ela resistiu um pouco admirada, mas logo cedeu e me cingiu pela cintura. Beijei-a longamente, sem pensamento, agora o braço sob a nuca, a outra mão estreitando-a contra mim, numa posse quase consentida. Quando soltei-a ela riu.

Fernanda então disse:

– Atrevido!

– Não pude resistir

– Que desculpa esfarrapada, André! – ficamos alguns segundos em silêncio e então minha irmã novamente falou: – Você sabe o quanto eu te amo irmão querido? Pois eu te amo muito, mas você nunca me deu chance de demonstrar isso, pois estava sempre sério e não me deixava chance de ser sua amiga e sua amante. E Você sabe que sempre quis transar com você, mas tinha medo de me aproximar, pois não sabia como seria recebida.

Nada falei e nos beijamos novamente. Depois ela ergueu o vestido, examinando-lhe as pernas. A visão de suas pernas, da calcinha branca tão pequenas que usava, o sexo que tinha sob seus dedos, tudo aquilo junto me excitou de novo, enchendo-me de desejo de pegá-la e violentá-la, tão molhada e submissa estava Fernanda. Então nos beijamos. Logo tirei-lhe o vestido e concentrei toda minha atenção nos seios de Fernanda, firmes e volumosos. Beijei-os e acariciei-os. Ela retirou minha camisa, colocou os seus seios de encontro com meu peito e esfregou-se voluptuosamente. Logo tirei minha calça e ela a sua calcinha. Levei-a então para o meu quarto. Chegando lá deitei-a ma minha cama.

O ciúme que tive ao presenciar minha irmã transando despertou-me um o desejo de transar com minha irmã. Eu estava como um animal, faminto em busca de cada sensação, de cada maneira de conhecer Fernanda. Beijei-a com avidez, mordi-lhe os lábios. Levei-a para o quarto e a deitei na cama, beijei seus pés, apalpei suas pernas, seu sexo, suas nádegas. Então movi-me para cima de Fernanda, enfiando o pênis em sua boca. Senti seus dentes pegando-o de raspão e gostei. Passei minhas mãos por todo seu corpo, os dedos por tudo, buscando-a conhecer por completo.

Ela atirou as pernas por cima de meus ombros. Ela ergueu-se sobre dos pulsos para melhor oferecer o seu sexo ainda mais a suas investidas. Em seguida ele se virou e colocou-se em cima dela, metendo o pênis por trás, com as mãos em conchas sobre seus seios, acariciando e metendo ao mesmo tempo. Eu era incansável. Não gozava. Mas logo Fernanda gritou:

– Goze agora, goze agora, goze agora, estou mandando. Meta em mim, como você nunca meteu antes.

Então comecei a meter com violência, avançando com ela para o crescente e selvagem ápice do orgasmo, e aí ela gritou, e eu gozei quase ao mesmo tempo. Caímos de costas na cama, aliviados.

Ficamos estendidos na semi-escuridão. Logo Fernanda começou a conversar comigo.

– Você sempre me desejou?

Confessei que sim.

– Por quê não disse antes?

– Por medo? Eu sei muito bem como o incesto é encarado. E tive medo de não só ser rejeitado, como de ser recriminado.

– Eu nunca iria te recriminar, pois não tenho nada contra o incesto. Para mim é burro ou mentiroso aquele que se escandaliza por ter eu ter transado com você. Não tem nada de intrinsecamente mau no incesto, é natural, artificial é a noção de incesto como mal. Ao longo da história da humanidade todo mundo sempre comeu todo mundo, é natural. Quando vi que você me pegou trepando com o Carlos notei em você um desejo por mim e tentei então tentei e consegui te seduzir. Só não fui mais sua amiga antes foi porquê temia como você agiria com ao meu desejo por você.

Ficamos conversando enquanto Fernanda se vestia. Eu enfiava a mão em baixo de seu vestido e comecei a acariciar de novo. De repente ficamos cegos de desejo outra vez. Ela ficou parada enquanto eu a acariciava. Eu agarrei-lhe a bunda com um aperto rude e então disse:

– Levante o vestido.

Ela encostou na parede, mexendo contra meu corpo. Pus a minha cabeça entre as pernas de Fernanda, prendendo suas nádegas com minhas mãos, passando a língua em seu sexo, chupando, lambendo até ela ficar molhada. Então tirei o pênis e a possui ali. O pênis duro e ereto como uma furadeira, metendo, investindo contra para dentro dela, enquanto ela estava toda molhada e dissolvida na minha paixão.

Desde então somos amantes e grandes amigos.

terça-feira, 12 de abril de 2011

SOU MULHER DO MEU IRMÃO.




Eu, Jéssica resolvi relatar neste site um acontecimento que mudou completamente minha vida sexual. Sempre fui uma menina tranqüila; estudiosa; bonita (opinião de terceiros) com um corpinho certinho sem ser exuberante. Já tinha transado com meu namoradinho e não achei nada excepcional; não consegui gozar, só conseguia gozar me masturbando sozinha. Era um final de ano e meus pais viajaram ficando eu e meu irmão Robson em casa. Robson estava com 26 anos e tinha recentemente terminado um noivado quando praticamente estava com tudo marcado pra o casamento... Nunca soube o real motivo. Em um sábado, Robson que andava muito triste saiu pra participar de uma festa de confraternização da firma em que trabalhava. A tarde o telefone tocou e ao atender era um amigo de Robson dizendo que ele tinha exagerado um pouco na bebida (ele não era de beber) e que ia leva-lo em casa. Quinze minutos o amigo chegou escorando Robson que estava todo molhado e sujo vestindo calção; camiseta e tênis... Mesmo assim o amigo com muito custo deixou-o deitado no sofá e me entregando as roupas e documentos de Robson e saiu. Fui na suíte dos meus pais e deixei a banheira enchendo enquanto fui fazer um café bem forte. Fiz Robson tomar um pouco de café e fiquei aguardando alguns minutos preocupada com sua roupa úmida sujando todo o sofá. Resolvi tomar uma atitude com muito custo tirei seu tênis e a camiseta e num esforço descomunal fiz levantar e com ele apoiado em meu ombro e num cai e não cai (1,80 mts e 70 kgs) consegui fazer ele entrar e sentar dentro da banheira com as costas apoiadas na beirada. Depois de recuperar o fôlego enfiei a mão dentro da água tirando seu calção e com uma bucha comecei a tirar as sujeiras de terra grudadas em seu corpo... Robson mesmo de olhos abertos parecia não entender o que estava acontecendo. Coloquei um lençol sobre a colcha na cama dos meus pais e novamente com muita dificuldade consegui tira-lo da banheira e praticamente joga-lo sobre a cama. Peguei uma toalha e comecei a enxugar seu corpo; foi quando pude ver que ele tinha um lindo pênis mesmo mole devia medir uns 12 cms... Senti uma coisa estranha percorrer meu corpo. Enxuguei seu grande saco cabeludo e segurando seu pênis fui passando levemente a toalha... Como Robson continuava mais pra lá do que pra cá fiquei segurando seu pinto por vários minutos admirando aquela cabeça grande e rosada. Ouvi Robson resmungar o nome de sua ex noiva... Ele devia estar me confundindo com ela e notei seu pinto começar a ficar de pé... Sai do quarto rapidamente. Dez minutos resolvi voltar e achando que ele continuava dormindo cheguei perto... Foi quando ele abriu os olhos e mesmo ainda grogue: Jéssica?????... Ia sair quando notei ele tentando levantar: O que ouve? Onde estou?... Com medo dele cair da cama corri segurando-o e fazendo ele deitar novamente: Calma Robson! Está tudo bem; você só tomou um porre e chegou muito bêbado em casa!... Ele ainda fora de órbita percebeu que estava nú e tentou puxar o lençol pra se cobrir. Novamente lhe pedi calma e expliquei como ele chegou em casa e como tive que dar-lhe um banho... : Mas você me deixou pelado!... : Ué, como podia deixar você com aquela roupa toda suja de lama?... Ele preocupado: Te dei muito trabalho, não é?... Quando falei que achei engraçado ele me confundir com sua ex noiva ele ficou nervoso: Não fala o nome daquela filha da puta!... E ainda sob o efeito do álcool começou a chorar. Sentindo pena do meu irmão debrucei e dei-lhe um beijo no rosto: Não fica assim não Robson, bonito como você é logo arruma outra namorada!... Ele enxugando as lágrimas e querendo desabafar disse que estava sendo difícil pra ele superar o trauma de ter pego sua noiva transando com seu melhor amigo. Quando ele deu conta do que tinha confessado me pediu pelo amor de Deus não contar aquilo pra ninguém... Novamente fazendo carinho em seu rosto: Claro meu irmão, e você pode contar comigo sempre que precisar!... Ele ainda meio tonto levantou dizendo que precisava ir pro seu quarto e abracei sua cintura pra ajuda-lo a caminhar com medo dele levar um tombo. Acho que mesmo não precisando de minha ajuda ele passou o braço pelos meus ombros e caminhando fiquei de olho em seu pinto que estava crescendo a cada passo que dávamos: Sabe de uma coisa Jéssica? Nunca imaginei que um dia ia ficar pelado na sua frente!... Começamos a rir, comentei: Pelado e de pau duro!... Ele olhou pro próprio pinto: Safado! Não vai respeitar minha irmã?... Tornamos a rir juntos e com ele parado no meio do quarto fui na gaveta pegando uma de suas cuecas e chegando perto de suas pernas ele enfiou uma e depois a outra... Fui suspendendo a cueca e quando chegou em cima ele segurou seu pinto que já estava enorme e duro (19 cms) tentando dobra-lo pro lado: Puta que pariu, tá duro demais que acho que vou só vestir a bermuda!... Achando graça pedi pra ele deixar tentar e segurando seu pinto forcei pro lado e ele: Pô Jéssica! Desse jeito você vai é quebrar meu pinto!... Eu já estava sentindo minha xoxota escorrendo, e: E se fizer um pouco de carinho nele, será que volta ao normal?... Robson muito cínico: É só você dar uma chupadinha que ele volta ao normal!... Fingindo estar escandalizada: Chupar já é demais; mas posso fazer isso!... Comecei a movimentar a mão na sua pica e vendo seu sorriso: Tá gostando Robson, tá gostando da sua irmãzinha de masturbar!... Ele sentou na beira da cama: É uma delícia sentir sua mão no meu pau! Iiiiiiso, mais rápido, mais rápido, ohhhh! Ohhhh!... Ele pegou rapidamente a cueca e colocando-a sobre a ponta do seu pinto ficou aparando toda a porra que saía. Ele arriou seu corpo sobre a cama: Puta que pariu Jéssica, foi a melhor punheta que já tive! Fico imaginando se você fizesse isso com a boca, eu ia me derreter todo de tanto gozar!... Dei-lhe um tapa em sua perna: Tá pensando o que da sua irmã? Você acha que estou acostumada a fazer essas coisas?... Ele me puxou pra sobre seu corpo me abraçando: Oh Jéssica! Você é uma irmã maravilhosa!... E começou a beijar todo meu rosto; só escapou minha boca. Sai de cima dele e rindo: Agora você pode se vestir que ele está molinho, molinho!... Ele riu dizendo que ia dormir daquele jeito mesmo. Sai do seu quarto e fui pro meu e praticamente subindo pelas paredes toquei uma siririca até gozar. Três horas depois resolvi entrar no seu quarto e ele estava justamente levantando (ainda pelado): Acho que vou tomar um outro banho, você pode encher a banheira da suíte novamente pra mim?... Disse que sim e fui pra suite tirando a água anterior e abrindo as torneiras novamente. Vinte minutos depois Robson foi pra suíte e já sem nenhuma vergonha do meu irmão entrei vendo-o sentado na banheira e ouvi seu convite: Oi Jéssica, por que você não toma um banho aqui comigo?... Botei as mãos na cintura: Engraçadinho, está querendo aproveitar da irmãzinha inocente é?... Ele fazendo um gesto com a mão: Só um pouquinho, vem!... Tomei coragem e ficando fora de suas vistas me despi e pedindo pra ele fechar os olhos entrei sentando dentro da banheira logo após suas pernas que ficaram entre as minhas e que não me deixou abaixar mais pra encobrir meus seios... Ele olhou fixo pro meus peitos: Que peitinhos lindos Jéssica, dá até vontade de dar uns beijinhos nele!... Eu batendo meu pé em sua coxa: Não vem não que dou-lhe uns tapas na cara!... Ele esticou um pé encostando o dedão na minha xoxota: Deixa Jéssica, é só uns beijinhos, deixa?... Eu já estava deixando esfregar o dedão do pé da minha xoxota e adorando: Só se for um beijinho só!... Ele rapidamente ficou de joelhos entre minhas pernas e levou a boca no bico do meu peito que já estava duro que nem pedra e começou a chupar: Você falou que ia ser só um beijinho, mas está é chupando feito um tarado!... Ele abriu a boca engolindo a metade do meu peito e foi descendo fazendo pressão até o bico e voltando a repetir várias vezes... Estava adorando. Quando senti sua mão chegando na minha xoxota abri as pernas e deixei ele enfiar o dedo. Ele mamando nos meus seios e socando o dedo na minha buceta levei a mão segurando sua enorme pica quando senti a água da banheira abaixando rapidamente... Ele tinha tirado o tampão do fundo. Quando saiu toda a água ele me puxou fazendo ficar totalmente deitada no fundo da banheira e foi se posicionando entre em minhas pernas... Percebendo o que estava pra acontecer levantei as pernas bem alto e logo senti seu pinto começando a entrar na minha bucetinha. Robson ia empurrando e numa posição muito incômoda tentava de todas as maneiras mexer meu corpo pra facilitar a penetração quando pedi pra ele parar e ficar ele deitado na banheira. Subi sobre meu irmão e segurando sua piroca fui abaixando e fazendo minha xoxota escorregar até meu bumbum sentar sobre suas coxas... Alucinada de tesão iniciei um sobe e desce que sentia a ponta de sua pica bater no meu útero. Depois de vários sobe e desce parei tendo meu primeiro orgasmo com um pinto introduzido na buceta... Foi tão gostoso que não parava de rebolar que mesmo sentindo Robson gozando não parei deixando ele me encher com sua porra. Ainda com o pinto dele enfiado em minha buceta reclinei o corpo sobre o dele e ele segurando meu rosto: Você é demais minha irmã, é demais!... E me beijou na boca de língua fazendo meu coração bater fora do ritmo. Saímos da banheira como dois namorados que acabaram de transar cheio de beijos e carinhos. Naquele mesmo dia resolvemos não sair e ficamos juntos na sala vendo TV agarradinhos como dois apaixonados... Meu irmão me beijava tão gostoso que já nem me lembrava no meu atual namoradinho. Depois de duas horas de muito amassos ele me despiu e tirando seu pau duro pra fora me pediu pra fazer carinho... Deitei esticada no sofá e segurando seu pinto comecei lentamente com a mão pensando que ele só queria que eu o masturbasse quando pediu: Dá uma chupadinha, dá!... Sentindo seu pinto pulsando na minha mão: Mas Robson! Eu nunca fiz sexo oral!... Ele estranhando: Você nunca chupou e nunca foi chupada?... Me sentindo uma alienada em matéria de sexo: Nunca e nem sei como faz!... Ele mandou deitar no tapete e tirando toda sua roupa deitou numa posição invertida da minha entrando com a cabeça entre minhas pernas começando a passar a língua na minha buceta. Parece que levei um choque e ele mandou fazer o mesmo com ele... Muito sem jeito segurei seu pinto e abri a boca engolindo alguns centímetros. Quando senti ele lambendo minha xoxota com vontade num instante já estava mamando e lambendo sua pica como se fosse um delicioso sorvete... Tive um orgasmo tão diferente e tão gostoso que só percebi que meu irmão também estava gozando quando senti ele despejando seu primeiro jato na minha boca... Tirei rapidamente a boca recebendo o restante na cara e com o susto acabei engolindo um pouco sua porra. A partir daquele dia bastava um chegar perto do outro que logo me dava uma vontade de dar pra ele e ele ficava louco pra me comer... Nossas roupas voavam pela casa e logo estávamos trepando feito dois cachorros sem dono. Mas quando nossos pais voltaram tudo passou a ser mais difícil. Robson que já estava com sua casa quase pronta quando estava noivo; terminou e depois de mobiliar me convidou pra morar com ele. Foi um Deus nos acuda dentro de casa com nossos pais... Mas, mesmo com a desconfiança deles juntei minhas trouxas e fui morar com Robson. Hoje, meus pais tem certeza que vivemos como marido e mulher e fingem que está tudo normal.