sábado, 7 de abril de 2012

Bianca, a irmãzinha!!!



Olá, meu nome é Marcelo, tenho quase 28 anos e a 4 meses voltei pro Brasil, desta vez pra ficar. O que vou contar é uma situação verídica, procurei não deixar passar nada, cada detalhe eu coloquei no texto, é um texto grande mas eu garanto que vai valer a pena, isso mexe com minha cabeça até hoje, exatamente por eu não saber o que devo fazer realmente.

Recem completados meus 18 anos, fui embora do Brasil, briguei feio com meu pai na época, alias, sempre brigávamos e eu nunca concordei com muitos métodos de vida dele, então chegou numa situação que era insuportável viver num lugar onde eu era imposto a regras nas quais não concordava, sendo assim, fui procurar meu ideal, minha vida, fui embora pra Portugal, mesmo com a saudade enorme que ficaria principalmente da minha mãe e da minha querida irmãzinha Bianca, uma criança de 8 anos na época. Finalmente iria realizar meu sonho e o sonho do meu melhor amigo que também era daqui e já estava la há 1 ano, jogando futebol em um time semi profissional, vamos dizer assim. Fui para Portugal em 2002, meus últimos 10 anos de vida foram maravilhosos, eu joguei no mesmo time desse meu amigo, o que eu ganhava financeiramente não era tana grana assim, mas dava pra me sustentar, guardar um pouco e ainda mandar um dinheiro pra minha família, aprendi a ser homem, aprendi a ter responsabilidades de um homem, eu morava com dois amigos e nós tres jogavamos no mesmo time, era uma união imensa entre nós três, como curtimos, como festamos, foi uma experiência de vida eterna pra mim ao longo dos quase 10 anos e, alem do futebol, quando eu estava de férias no meio ou final de temporada, fazia bicos em um restaurante, talvez o melhor da cidade, que era de um brasileiro, cujo temos uma relação como se fosse de um pai com um filho, resumindo, me adaptei de forma absurdamente excelente em Portugal, ate pela receptividade dos portugueses e da língua similar a nossa. Neste tempo vim para o Brasil exatamente a cada 2 anos, sempre no final dos anos, 04, 06, 08 e 10 e agora em definitivo claro. Ao longo dos anos que vinha passear aqui e ver minha família, em uma cidade ?média? do interior do Paraná, o panorama era o mesmo, meu pai, 10 anos depois, na verdade sentia orgulho por eu ter me tornado um homem integro e com responsabilidades (apesar de eu ter festado mto nessa vida, nunca fumei, sempre fui moderado em bebidas, minha farra era mulher e buceta mesmo, minha e dos meus parças la na Europa), o único panorama que tinha mudado um pouco em relação a minha família, era a situação financeira deles, que nunca foi la essas coisas, tanto que eu mandava dinheiro pra ajudar, mas parece que com o passar do tempo foi piorando um pouco mais, o que mudou também de forma surpreendente foi minha irmãzinha, que na época que fui embora, era só uma criança linda, de pele bem branquinha, moreninha de olhos de cor verdes, tão claros e tão vivos que parecem mais um sonho, cabelo super liso e um sorrisinho mais que fofo, alem de super educada já. Sempre mantínha contato com minha mãe por telefone, e se não me engano de 2008 em diante, quando minha maninha já estava com 14 anos e meu pai finalmente comprou um computador, ela começava a acessar internet, então também passei a ter mais contato com ela.

Exatamente no fim de 2008, quando vim pra cá a passeio, levei um grande susto em relação a minha irmã, claro que ela me mandava fotos dela e da nossa família em geral e eu fazia o mesmo, mas ver pessoalmente é diferente, Bianca com 14 aninhos, começava a ganhar forma de uma jovem deslumbrante tanto fisicamente quanto na forma de sua excelente educação. Ao final do ano de 2010, vim pra cá também, minha irmãzinha prestes a fazer 16 anos, obviamente já tinha formas esculturais como eu já imaginava, eh de parar um shopping, mas eh obvio eu nunca sequer pensei na hipótese de qualquer coisa em relação a ela, tínhamos e temos mto amor e carinho como irmãos, mta união e sempre que eu vinha passear, trazia um monte de presente pra ela, principalmente coisas relacionadas a maquiagem que é o que ela ama de paixão.

Em Outubro do ano passado, depois de longas conversas, insistências tanto da minha mãe, quanto da minha irmã e até do meu pai (de forma mais modesta claro, já que fui embora daqui por causa dele), eu resolvi voltar, tentar minha vida aqui ao lado da minha família, havia guardado um dinheiro que poderia investir em algo legal aqui, voltei principalmente por um motivo, eu não jogava mais futebol, tive um serio problema em um dos joelhos e tive que parar com meu sonho no ano de 2006, mas o fato é que eu estava empregado e bem empregado no restaurante cujo eu já fazia bicos como contei, então sai do futebol em um dia e meu grande ?pai? em Portugal me efetivou no outro pra eu ser seu braço direito no restaurante. E lá se foram 5 otimos anos trabalhando naquele local de gente honesta, educada e receptiva, uma segunda família realmente, mesmo assim, a saudade pesou e foi o divisor de águas na minha decisão, voltei para o Brasil em Novembro do ano passado. Que alegria, iria comer comida da minha mamãe todos os dias e, foi aí que tudo realmente começou, a partir do dia que pisei aqui no Brasil em Novembro de 2011 (já nem lembro o dia exato apesar de ter pouco tempo) fato foi que deparei com aquela DEUSA, uma menina/mulher me esperando no aeroporto, junto aos meus pais, logo de cara, notei os olhares gulosos vindo de alguns rapazes ao lado que a secavam e comentavam sobre sua beleza. Minha primeira reação ao ver as formas que minha maninha, praticamente com 17, havia tomado em relação ao corpo, foi de engolir seco literalmente, mas vim do saguão com naturalidade, dei aquele abraço na minha família, todos choramos de emoção, minha pequena irmã com os olhos lacrimejando, secava as lagrimas dos meus olhos, passava sua delicada mão na minha face e sorriu, gente, que sorriso, aliado àquele sorriso, aquele perfume maravilhoso, hipnotizante exalando dentro daquele aeroporto, aquele lindo e liso cabelo escuro que batia no meio de suas costas, a pele branquinha do tipo que fica vermelha com qualquer coisa, os olhos mais belos do mundo e o corpo mais que escultural, seios perfeitos, bumbum empinado, coxas, barriga, nada exagerado, tudo perfeito de uma forma que se tirar ou colocar mais, ate estraga, em um olhar de cima a baixo, de 0 a 10, ela merece 1000. Feito os devidos cumprimentos, Bianca agarrou uma das minhas mãos me puxando, naquele momento, de dentro do aeroporto ate o estacionamento, quem viu a gente la, deve ter pensado que eramos um casal de namorados e não tinha uma pessoa no aeroporto, ate mesmo outras garotas, que não olhasse para a gente, quer dizer, pra ela principalmente creio eu.

A viagem de pouco mais de 1 hora do aeroporto ate em casa ocorreu de forma ótima, eu já começava a contar dos meus últimos tempos la em Portugal, já que não via minha família há 1 ano e mta coisa havia se passado neste período. Chegando em casa, vi como as coisas haviam mudado um pouco, meus pais estavam morando em uma casa um pouco mais simples que a que moravam, haviam se mudado, enfim, tomei um banho ótimo, estava bem cansado, desfiz minhas malas e fui ate a sala, onde fica o computador, a Bia ali estava sentada, mexendo com o facebook, como é de lei, cheguei por atrás dela e com uma das minhas mãos coloquei em sua frente os três embrulhos de presente que eu havia trago a ela, aquele sorriso lindo novamente veio a tona e com ele, literalmente um pulo em cima de mim de tamanha felicidade, minha mãe, preparando o jantar e vendo a cena disse pra minha maninha que ela tava doida por que ia me desmontar considerando o cansaço que eu já estava, Bianca abriu os presentes, um perfume maravilhoso que ela queria de outros carnavais, um kit de maquiagem top de profissional e alguns cremes tipo victoria secrets. Eu nunca vi alguém tão feliz ao receber presentes como essa menina ficou, logo após, entreguei os presentes que havia trago pra minha mãe e meu pai, algo mais modesto mas que lhe foram de grande agrado também. O jantar foi ótimo, matar a saudade da comida da mamãe, não tem igual, e de sobremesa o doce que minha irmãzinha havia feito, alem de todos aqueles dotes físicos, da tamanha educação, ela também se virava muito bem na cozinha, fez uma sobremesa especialmente pra mim, tudo mto maravilhoso.

Hora de dormir, casa pequena, tudo mto modesto porem de mto bom gosto e organizado, quarto dos meus pais, sala, cozinha, banheiro, área de serviço e outro quarto da minha Irma, obviamente me prontifiquei a dormir na sala, mamãe e a Bia praticamente no mesmo instante, disseram que de forma alguma eu ia pra sala, minha mãe disse que eu iria dormir no quarto, na cama da Bia e ela no colchão, obviamente que discordei e nunca que eu iria tirar o sossego dela, que no ato já disse uma frase que me fez suar frio, ?vc não vai dormir na sala, vai dormir comigo e está decidido?, claro gente, somos irmãos de sangue, mal nenhum há nisto, pelo menos não deveria haver. Já estava tudo decidido, concordei em dormir no quarto mas não na cama, o colchão era meu e a Bia continuara em sua cama, eu estava cansado demais, já eram altas horas, fiz minhas obrigações higiênicas e la fui deitar, não deu 10 min, la vem ela, com um camisão branco do piu piu, o qual obviamente demarcava ainda mais os traços perfeitos dos seios, e deixavam um pouco das suas lindas pernas de fora, ela logo ao entrar no quarto abriu aquele sorriso e falou ?se importa se eu ligar meu abajurzinho??, ah meu Deus, quem era eu pra dizer um não pra minha irmãzinha? Dormimos, a noite passou que não vi nada e creio que ela também não, passaram se os dias, mtos mimos pra la e pra cá, com todo respeito do mundo, inclusive com a Bia, visitei tios, primos, amigos que não via há um tempo, tudo corria normalmente, as amiguinhas de escola da Bia já estavam vindo em casa pra estudar em casa há alguns dias, época de provas finais, são 5 que tem no grupinho dela, e eu sentia que a Bia estava odiando aquilo cada dia que passava, ela fechava a cara de um jeito inegável, fato era que, de suas 5 amiguinhas, 3 delas não tiravam os olhos de mim sempre que podiam me olhar, me olhavam mesmo, me admiravam, se encantaram não sei, em relação a minha pessoa. Sempre fui mto educado, sempre manti minha forma física, meu estilo próprio, qnto a beleza eu não gosto de dizer pois da a impressão que fico me achando mas certamente isso pra aquelas meninas, juntado se a coisas como os olhos também claros que tenho, toda minha humildade como pessoa, pois minha vida não foram só rosas, longe disso, fato eh que todo o conjunto deve ter sido fator pra encantamento das meninas por mim, encantamento que minha irmã mais que odiava a cada dia, passado uns 15 ou 20 dias da minha chegada, perto do natal já, Bianca discutia com uma das amigas que veio estudar aqui, mesmo no quarto com a porta fechada e eu na sala mexendo neste mesmo computador que agora escrevo, ouvi alguém se excedendo em relação a voz, não pude deixar de encostar na porta e ouvir minha própria Irma dizer pra uma de suas amigas ?eu sei que vc ta doidinha por ele pq ele eh lindo, fofo, maravilhoso, um amor, tenho ciume sim e não quero que vcs fiquem falando dele perto de mim entenderam? Ele eh meu tudooo!!!!?, pessoal, depois de ouvir aquilo, acho que meu cérebro entrou em curto, fui ao banheiro, entrei debaixo do chuveiro, agua gelada e pensando no que acabara de ouvir e mais, pensar como iriam ser os próximos dias. Sai do banheiro tenso, tremendo, eu aos meus 28 anos, um homem já independente, com experiências únicas de vida e passando por esta situação, que seria a maior de todas, o fato foi que minha pressão arterial ate caiu, e caiu mesmo, parei no hospital, todos ficaram mto preocupados, minha irmãzinha então não sabia o que fazer pra ver meu sorriso de volta novamente, mas tudo acabou bem, fui devidamente medicado e voltei pra casa.

Minha relação com a Bia continuou a mesma pelos 5 dias depois deste ocorrido comigo, claro que ela não sabia que eu havia escutado a conversa com as amigas dela, estávamos já bem perto do natal mesmo e minha Irma havia acabado de entrar em férias escolares. Naquele dia, tudo parecia normal, eu já conhecia a Bia muito mais que antes claro, já tinhamos intimidade de irmãos e eu bem mais velho e vivido que ela, tentava orientar da melhor possível, ela já confia demais em mim, já havia me falado que nunca namorou sério mas que tinha beijado alguns poucos garotos que so queriam passar a mao no corpo dela e ela odiava isso, obvio que perguntei se ela não queria ou não tinha vontade do ato sexual e ela disse que não queria com aqueles moleques, eu já tinha perguntado também como era na escola ser ?popular? por ser tão bela, tadinha, ficou toda vermelha, dei lhe um abraço e um beijo na testa dizendo que com seu mano, não precisava ficar daquele jeito, então ela logo sorriu e disse ?UM INFERNO!! Praticamente todos os garotos ficam me cantando, fazendo piadinhas, não aguentava mais, ainda bem que agora to de férias?.

Era noite do 21 ou 22 de Dezembro, não lembro, fomos dormir, um temporal terrível anunciava que aquela noite estava longe de ser como as outras, de fato. Até aquele momento, não sabia do tipo de trauma da Bia, medo, horror, pavor de relâmpagos, estranho pra uma menina de 17, pois neste intervalo, ela já havia completado, minha mãe ao escutar o prenuncio entrou no nosso quarto e falou que qualquer coisa, pra que ela gritasse por mim pois ela não estava dormindo sozinha no quarto, achei estranheza no que minha mãe havia dito mas então foi aí que ela explicou do pavor que minha irmãzinha tinha em relação a tempestades, ela logo olhou pra mim que estava deitado ao seu lado no colchão e fez uma carinha de vergonha, eu sorri, levantei, passei a mão no seu rostinho com pele de seda, lhe fiz carinho e dei um beijo no seu rosto dizendo que ela poderia pular em cima de mim se tivesse medo (falei com tom e sotaque de um portuga legal, hahaha), ela sorriu e minha mãe também, saindo do quarto.

E veio aquela chuva, aqueles raios que clareavam o quarto completamente, não demorou nada e foi se a energia embora, ótimo pra dormir, ótimo, até sentir uma mão cutucando o meu tórax, e a linda e doce voz dela dizendo ?deixa eu dormir ai com vc por favor!?!??, meio sonolento liguei a lanterna do meu celular e la veio ela, pra se deitar comigo naquele colchão de solteiro, fui despertando aos poucos, meio assustado com as proporções que aquela tempestade poderiam causar, minha querida Irma se deitou ao meu lado, ficou teoricamente perto da minha boca e apoiou uma das suas mãos na minha barriga,nesse instante deu um puta de um raio que se me fez levar um susto, fez a coitadinha dar um grito imeeeenso me acordando de vez, e ela dizia ?eu morro de medo disso?, sua voz soava amedrontamento, voz de uma linda princesinha que precisava se sentir abraçada e protegida e, como eu haveria de negar aquilo?? Abracei minha irmãzinha e a disse que ela estava comigo e nada iria acontecer a ela, motivo pra eu ver aquele sorrisao ali, pertinho da minha boca, respirando o mesmo ar que o meu, acho que as batidas de nossos corações eram as mesmas, que perfume, que cheirinho de morango que exalava da minha maninha, que cheirinho de hortelã puro que vinha da sua respiração, que silêncio, só a chuva la fora com seus raios e trovões e aconteceu, parece que um imã conectou nossas bocas, fui atraído completamente pelo seu perfume, envolvente e sedutor, já podia sentir a boquinha dela entrelaçada com a minha, que deliciaaaaaaaa, que sensação, tipo de sensação que por nenhuma mulher que eu havia beijado eu tinha sentido. Ao longo daquele intenso beijo, meu pau começava a ficar super duro, e a gente ali colado, boca com boca, perna com perna, meu cacete duro, através do meu shorts já começava a se esfregar em minha irmãzinha, terminamos aquele beijo e eu nao sabia o que fazer, o que dizer, como agir, qndo ia abrir a boca pra pedir desculpas, fui supreendido com outro beijo super molhado, gostoso, cheio de sentimentos que ali se revelavam serem muito intensos e profundos, Depois desse segundo beijo, olhei pra ela e pedi desculpas, obviamente com a razão que me restava disse ser completamente errado o que acabamos de fazer, aí veio aquela frase estonteante pra derrubar qualquer ser da espécie HOMEM, ?se foi errado não sei, mas que foi a melhor coisa da minha vida não tenho duvidas e também sei que não foi errado pro seu amiguinho aí por que olha como está?, nossa que vergonha, de 10 palavras que eu disse depois dessa frase dela, 11 foram desculpas, mesmo pedindo desculpas, tentava ser meigo com ela, nunca que queria machucar meu docinho de irmã, foi quando ela me confessou que desde que me viu no aeroporto apesar de me ver como irmão, haviam coisas mais que isso e ela estava super confusa, até que descobriu que amigas dela me ?amavam? e então ela pode perceber que sentia mto ciúmes e começou a descobrir sentimentos por mim, foi se explicando de uma forma que logo veio o terceiro beijo, que começou tão devagarzinho e foi parar num ritmo frenético de língua de língua, aquele beijo que eh impossível vc dar numa mulher sem colocar uma mao boba, enfeitiçado pelo momento, uma das minhas mãos parou em um dos seios da Bia, percebendo minha exaltação, tirei a mao na hora, interrompi o beijo e falei ?isso ta indo longe demais, vamos parar pelo amor de Deus?, ouvi um sonoro xiuu da parte dela, como quem dizia pra eu ficar bem quietinho e, juntamente com sua expressão, veio sua mãozinha delicada, fazendo carinho no meu pau duríssimo por cima do shorts mesmo, eu não pude aguentar, me da um tesao mtoo grande de lembrar, não esperava por aquilo de jeito nenhum, dei um gemido que mais era um misto de prazer, satisfação, culpa e também surpresa, olhei no fundo de seus olhos, com a lanterna do celular iluminando nossas faces e a perguntei o pq teria que ser assim? Aí vieram todos os seus elogios em relação a mim, ?pq vc eh um homem que encanta qualquer moça, pq vc eh lindo, pq vc eh fofo, pq vc eh super educado, engraçado, pq vc eh meu IRMAO, e eh este homem que esta na minha frente que eu desejo?, aquilo era o sinal verde, alias o amarelo, pq em nenhum momento deixamos de ser irmãos, claro, Bia segurou meu pau sem eu induzi la a fazer aquilo, fez de vontade própria e me perguntou se era normal ser daquele tamanho e ficar daquele jeito, a disse que sim, quando estava mto excitado, e veio ela, dizer que queria só pra ela e que seria naquele exato momento, numa rapidez incrível veio ela de encontro a minha boca, descendo por toda minha barriga, abaixando o zíper do shorts e pegando meu pau com suas mãos, eu não via nada, soh sentia aquela língua deliciosa escorregando ate chegar la, um beijo na pontinha da cabeça como se ela dissesse pro meu pau ?oi mto prazer, estou fazendo isso pela primeira vez mas serei o seu sonho!!?, era muito louco tudo aquilo, eu estava mais que ofegante, ela começou só beijando meu cacete de cima abaixo até vir a primeira chupada, que mais parecia uma mamada na ponta de uma chupeta, ficando ali, só na cabecinha e aos poucos,aprendendo o jeito da coisa e já querendo engolir mais, QUE BOQUETE!!!! Meu pau latejava tanto que dava uns espasmos esquisitos e ela com certeza sentindo aquilo, chupava como se fosse um pedacinho do céu, não tive noção tempo, a noção que tive foi um prazer imenso que estava prestes a explodir num gozo dentro da sua boquinha, mas claro que não iria fazer isso e amedrontar minha ninfetinha. Terminado o boquete, veio ela chupando, mordendo meu tórax, subindo ate minha face, chegando perto da minha orelha e sussurando ?que grande, duro e gostoso que ele eh, nunca vi isso antes e agora quero ver ele todo dia desse jeito?, que safadinha!!! quer dizer, nós podemos ate pensar que uma garota de 17 anos, perfeita como eh minha maninha, que ela só vai ter atitudes de princesa, mas princesas também fazem cocô, peidam, podem xingar, transar, eh que certamente não poderia me imaginar naquela situação com ela, e também preciso saber que, imagina como está o corpo de uma garota aos 17, em ebulição, hormônios e tal, morrendo de vontade de conhecer os prazeres do sexo mas ao mesmo tempo um medo de doer na primeira vez, de não curtir, ficar traumatizada, e o caso da minha Irma era isso mesmo, medo da dor e também nunca havia gostado de ninguém pra dar sua xaninha ou chupar um pau pela primeira vez.

Depois de toda chupação dela em mim e do seu sussurro em meu ouvido, veio outro beijo delicioso, um beijo de entrega, de amor, de felicidade, confesso que pra um mero mortal como eu eh IMPOSSIVEL resistir isso, já sentindo aqueles seios duríssimos tocando em mim, coloquei a luz do celular mais pra baixo, levantei aquele roupão do piu piu que ela usava, revelando ali sua calcinha, completamente enxarcadaa, ate fiz uma piadinha dizendo que a chuva era tanta que tava molhando ate ali, fazendo com que ela gargalhasse e dissesse q eu era um besta, dizendo também que estava daquele jeito por minha causa, por vontade de me ?sentir? ali dentro, ai meu Deus, meu coração foi a 1000 e eu querendo sentir cada centimetro do seu corpo e chupar cada parte, deliciosamente cheirosa, mamei em seus peitinhos lindoos, mesmo com a pouca luz da lanterna do celular, se revelavam do jeito que eu sempre imaginei mesmo, biquinhos rosados, que tesão, meu pau pulsava de alegria se esfregando já em sua xoxotinha por cima da calcinha, fui abaixando, mordendo, sugando, cheirando, cada parte da sua barriga ate chegar la, aquela bucetinha, eu queria tanto vê la na claridade da lanterna, mas a posição não deixava isso acontecer, ate quando deu um clarão de um relâmpago e fez o favor de iluminar o quarto, já com a chuva bem mais branda, mas clareou o suficiente pra eu ver aquilo, uma xaninha perfeita, apertadinha, com lábios rosados tambem, completamente enxarcada como se estivesse se preparando pra receber pica pela primeira vez, e detalhe, o cheiro que exalava, cheiro de sexo juvenil, misturado com o doce perfume sabor de morango que ela usava, santo creme que trouxe de Portugal pra ela, devia ter trago logo uns 20, era tão gostoso aquele cheirinho, aquele pedacinho de carne, que meti a língua sem dó, com movimentos rápidos, vai e vem danado, fazendo minha menininha gemer de tesao, bem baixinho, mas continuamente, minha maninha teve seu primeiro orgasmo ali, com minha língua tomando conta de toda sua xoxota, que coisa incrível, vendo a satisfação dela, fui gentilmente ate seu rosto, e lhe fiz carinho e o obrigado dela veio com a frase mais linda que eu poderia ouvir TE AMO MEU TUDO, e me deu outro beijoo, revelando seu coração batendo mto forte pelo orgasmo que tinha tido, a Bia terminou aquele beijo me dando vários selinhos molhados e dizendo ?te amo, te amo, te amo e te amo?, eu estava feliz por ter feito ela atingir seu primeiro orgasmo, e também estava racionalmente pensando no erro da situação pelo grau de parentesco. No calor do momento e dos beijinhos Bianca me revelou com apalpamentos, ?agora eu quero (apertou meu pau), aqui dentro (conduziu minha mão na sua xaninha) com um olhar completamente malicioso e dengoso, ?Quero ser só tua MEU AMOR por favor, só que tenho mto medo, precisa ser com calma, mas confio em vc mais que tudo?

Pessoal, apesar de toda experiência em sexo que tenho, de ter transado mtoo nessa vida, eu não sabia o que fazer, claro que o querer eh completamente diferente de poder, e o monstro da historia seria eu pra qualquer efeito, fiquei bem pertinho dela, fazendo carinho no seu cabelo e comecei com jeitinho a dizer sobre aquele momento, de todos os riscos que corríamos, disse que ela era uma menina deslumbrante e que qualquer cara no mundo a desejaria um dia como esposa, ela balançando a cabeça negativamente, já sabendo aonde eu queria chegar e fazendo uma carinha de dar dó, agarrou meu pau com uma mão novamente, com a outra colocou sua calcinha pro lado e direcionou meu pau bem na entrada de sua xoxotinha, que calooor, todo aquele meladinho delicioso que escorria, dava uma sensação única pra mim e ela dizendo ?eh aqui o lugar dele?, deixando então a situação rolar, meu pau simplesmente foi deslizando na sua bucetinha, sem fazer esforço algum, como se tivesse sendo sugado pra dentro, mesmo apertadinha, ia deslizando tamanha lubrificação dela, mas logo sendo interrompido por algo que o impedia de penetrar profundamente, Bia arregalou os olhos e abriu a boca, sem soltar a voz mas como se sentisse mtas dores, não teve jeito, meu cacete entrou todinho dentro dela, agora sim a fazendo dar sonoro grito de ?ainnnn ta doendo mto?, mesmo com tanto carinho, eu tentei fazer de um jeito, dando beijinhos nela, fazendo carinho, tentando compartilhar a dor dela comigo também, fato eh que, havia um hímen rompido, e meu pau enterrado la dentro, Bia ja começava a sorrir satisfeita ao sentir aquilo, apesar da dor que devia sentir, tenho certeza que o tesão foi mto maior, ela começou a se mexer, como se fosse o sinal verde pra eu bombar, então comecei devagarzinho, sempre com mto cuidado, conversando com ela e perguntando pra ela como ela se sentia, foi maravilhoso, espetacular, lindo realmente, ela gozou novamente e logo após tirei meu pau de dentro de sua xaninha e gozei de uma forma que meu pau doeu demais, de tanto que ejaculei, estávamos exaustos, fiz carinho nela, dei um beijinho no rosto e perguntei como ela se sentia, a resposta foi ?me sinto como quem está completamente realizada apesar de mto ardida e dolorida mas completamente admirada por ser tão gostoso fazer isso, eu quero mto mais, todos os dias?, sorria ela falando pra mim, eu tava feliz pela satisfação dela, pela minha também, mas e o fato de ser sangue do mesmo sangue? Realmente não sei.

Estavamos mto cansados, nesta fase a luz eletrica já havia voltado, mas Bia relutou quando falei pra ela voltar pra sua cama, ela fez foi me dar um abraço, me dar um selinho e balançar a cabeça de forma negativa, como quem dizia que era ali o seu lugar, e novamente quem sou eu pra negar algo pra essa menina? Dormimos ali abraçadinhos, como casal de namorados, ao amanhecer, aquele sensação maravilhosa de ser acordado com um monte de beijinhos e ouvir uma voz tão meiga dizer ?te amo, te adoro, te quero?,são situações assim que vc descobre que também há o paraíso nesta terra, um sorriso doce de satisfação, de gratidão e vc saber que aquela perfeição de garota estava dizendo aquilo só pra voce, uma ocasião em que qualquer homem do universo, desejaria estar ali no seu lugar, isso não tem preço, vc já acorda e passa o dia se sentindo o rei do universo, vc ri até de um tropeção que vc dá, de tão bobo que fica, e aos 28 anos tendo vivido mtas coisas já na vida, me senti um rapaz de 17 de novo.

Ocorrido todas as coisas que vocês acabaram de ler acima, aí a razão foi pedindo licença, por que como seria eu e a Bia em relação aos nossos pais?? Como seriam nossos olhares um pro outro, como disfarçar?? Será que eu iria esquecer de todo o ocorrido?? e ela então? Uma garota com 17 anos tendo o primeiro homem da vida, logo seu irmão que ela teria que conviver todo dia, eu duvido que ela esqueceria, não, ela não esqueceu, muito pelo contrario...

Bom, a situação seguinte e o desenrolar da minha situaçao eu compartilho com vocês em outro conto, fiquem ligados que em breve eu escrevo, ate aqui agradeço a quem leu e a quem aprovou, obrigado!!



--------------------------------------------------------------------------------

3 comentários:

  1. Parabéns pelo relato, se realmente foi verídico, foi sensacional.

    Eu, praticante com irmã também, fiquei completamente excitado em ler algo como este.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. muito bom kara adorei seu conto espero ler mais:D

    ResponderExcluir
  3. Excelente conto, por favor continue com os relatos!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário ele é muito importante para melhorarmos cada vez mais o Blog.Se o comentario der como não enviado tente novamente é uma falha do blog, na segunda tentativa ele aceita.Obrigado!